Acho que um dos momentos que os pais mais temem quando o assunto é viajar com um bebê é o avião. Assumo que eu estava um pouquinho apreensiva com esse momento. Será que o ouvido vai doer? Será que ela vai chorar sem parar? Será que vai conseguir dormir? Mil questionamentos passaram pela minha cabeça, mas só a vivência e a prática conseguem fazer com que a gente se tranquilize né?

Como acabei de voltar da Disney com a Victoria (que viajou com 5 meses e meio) e consegui reunir algumas dicas essenciais para você fazer uma viagem de avião com bebê da forma mais tranquila e confortável possível pra você e pro seu pequeno também.

  • Vôos noturnos são excelentes: Independente se o seu bebê dorme a noite toda ou não, sem sombra de dúvidas fazer um vôo noturno vai ser a melhor escolha. Ou eles vão dormir no bercinho ou vão dormir no seu colo. Mas pode ter certeza, eles não passaram a noite inteira acordados dentro do avião.
  • Evite escalas: Além de serem cansativas, elas também fazem com que o bebê fique desperto. Sei que as vezes é impossível não ter alguma escala no vôo, mas se puder evitar, acho que a melhor opção é pega um vôo direto.

(Esse é o bercinho da Delta. No meu vôo só havia um disponível. Ele não é muito confortável e é bem pequenininho. Vic quase não coube.)

  • O bercinho não é necessariamente um big deal: Peguei o bercinho na ida e na volta, e nas 18h totais de vôo, pude usá-lo no máximo por 6h. Talvez eu tenha dado azar, talvez não. Quando o aviso de apertar cintos está aceso o bebê não pode ficar no bercinho. Ou seja, Vic passou grande parte do tempo no meu colo. Além disso, o berço é pequenininho e ela com 5 meses mal cabia nele.
  • Procure o assento mais confortável pra você: Procure marcar o assento que seja mais confortável pra você. Prefere janela, sente-se na janela. Gosta de esticar a perna no corredor, então não pense duas vezes. Eu gosto de sentar na primeira fila pois estico a perna na parede e quando não tem parede, tem muito espaço na frente e achei esse espaço extra excelente para ficar de pé quando Vic estava acordada e inquieta (antes do avião levantar vôo principalmente!).

  • Trocar fralda não é uma missão impossível: Apesar daquele micro banheiro, trocar fraldas por lá não é uma missão impossível. Tenha em mãos tudo que você precisa para uma troca e vá com tudo. O trocador é fácil de abrir e o máximo que acontece é o bebê colocar a mão na parede do banheiro (que eu morro de nojo! #fresca) mas depois você limpa a mão dele e pronto.
  • A TV pode ser um aliado: Victoria não está acostumada a ver televisão, então, toda vez que aparece uma telinha na frente dela ela fica maluca. No vôo de ida, ela acordou mais ou menos 1h antes do avião pousar… do momento que precisamos sentar e apertar os cintos até a hora que pude levantar, a TVzinha foi uma mão na roda. Pros que costumam ver TV, as cias áereas tem programas para crianças e bebês.
  • Alimentação no vôo: se o seu filho está só no peito, ótimo, ele é um excelente “cala boca” ou melhor, acalma bebês. Mas se ele já come ou toma mamadeira, não conte com a boa vontade da tripulação para esquentar água ou nem mesmo para te dar água. Leve o que você precisa com você no vôo e garanta a comidinha do seu baby na hora em que ele precisar e não na hora em que os comissários tiverem boa vontade.

(O bercinho é acoplado na parede em frente as cadeiras da fileira do meio, que normalmente ficam bloqueadas para aqueles que solicitam o bercinho. Reparem que ele aguenta até 12kg).

  • A mala de mão dos sonhos: Capriche na mala de mão. Pode parecer uma bobeira, mas ela pode salvar sua vida durante o vôo. Leve mudaS (no plural) de roupa para você e seu marido, e principalmente para o bebê. Pense que pode fazer frio, calor, ele pode vomitar, pode derramar alguma coisa na roupa… quando o assunto são bebês, é beeem melhor prevenir do que remediar. Nosso vôo foi cancelado e fomos parar em Atlanta a -4ºC. Vic nem percebeu. Eu tinha um gorrinho, uma boa coberta, roupas e pijamas extras, e muitas fraldas.
  • Documentos em mãos: Deixe os seus passaportes e os do seu bebê, assim como cartões de embarque sempre em mãos. Pode ser nas suas ou na da pessoa que estiver com você. Vira e mexe alguém pede para ver a documentação do bebê e é muito melhor deixar tudo de fácil acesso.
  • Facilite a sua vida ao máximo: Sei que essa dica parece bem idiota, mas acredite, não é. Pense em tudo que pode facilitar o seu processo de vôo. Do momento que você sai de casa até o momento que você pisa no quarto do hotel com seu bebê. Bolsa transpassada ajuda (e muito!), roupa confortável,  um sapato que você não precise das mãos para calçar, nada de metais, acesso rápido as coisas do bebê (trocador, muda de roupa, cobertinha, paninhos, remédios…), pouca tralha nas mãos…

Além dessas dicas, ainda tem aquelas coisas básicas que lemos em todos os lugares: chupeta ou peito na hora do pouso e da decolagem, muito entretenimento para seu bebê principalmente se for um vôo diurno, entretenimento que não faça muito barulho para não incomodar os vizinhos, não ligue para os olhares atravessados se o seu bebê começar a chorar, calma e paciência…

Acredite, o vôo é muito mais tranquilo do que parece. Claro que os bebês choram. Claro que ficamos aflitos quando isso acontece. Mas passa, eles se distraem, nós acalmamos eles, eles dormem com aquele barulho gostoso e com o escurinho do avião.

Ano passado tive a incrível oportunidade de conhecer a Rússia. Visitei Moscou e São Petersburgo e fiquei maravilhada com o país e com tudo que vi. Ano que vem, a Copa do Mundo será realizada por lá e resolvi ajudar vocês a se organizarem para visitar o país e ainda curtir os jogos do Brasil na Copa do Mundo Russia 2018.

Como vocês sabem, agora que os sorteios foram feitos, os hotéis, passagens e trens vão esgotar super rápido e a cada dia que passa vão ficar mais caros. Por isso, recomendo que vocês façam as reservas o quanto antes para garantir um bom lugar por um preço justo.

Resultado de imagem para grupos copa do mundo 2018Foto: BBC

Mas vamos as dicas práticas. Já que você vai a Rússia, com certeza vai querer conhecer um pouquinho do que ela tem a oferecer né?! Pra nossa alegria, os três primeiros jogos do Brasil passam por cidades famosas e ótimas de se conhecer no país.

Sendo o cabeça de chave do grupo E, os jogos ficaram assim: ROSTOV (17 de junho – Brasil x Suíça), SÃO PETERSBURGO (22 de junho – Brasil x Costa Rica) e MOSCOU (27 de junho – Brasil x Sérvia).

Perfeito seria se Moscou fosse antes de São Petersburgo, mas como não podemos escolher essas coisas, o mapa fica mais ou menos como esse abaixo:

Brasil na Copa do Mundo Rússia 2018 hospedagem onde ficar hotéis dicas

Como se locomover

Como vocês podem perceber as distâncias são longas entre os lugares, principalmente dado que a Rússia é um país imenso, então, recomendo que vocês façam essa locomoção de avião (eu uso muito a Voopter para pesquisar preços e comprar passagens, principalmente na Europa, e recomendo) ou de trem, falei sobre o Sapsan (o trem de alta velocidade) nos meus posts sobre Moscou e São Petersburgo.

A Aeroloft e a S7 são companhias aéreas russas, super tradicionais, então, provavelmente, vocês vão achar vários vôos com preços bons nelas. Podem comprar tranquilamente e ficar tranquilo na hora de voar.

Alugar carro pode ser uma boa opção se você é mais aventureiro. No interior da Rússia pouca gente fala inglês e as pacas de sinalização são em cirílico. O que pode dificultar o seu translado. Outro ponto que vale ser pensado no caso do aluguel do carro, são os estacionamentos nas cidades que costumam ser bem caros.

Onde ficar

Se você já está decidido mesmo a ir, minha maior dica é: corra, corra e corra. Como já falei aqui em cima, quanto antes você reservar os hotéis mais fácil conseguir um bom quarto, bem localizado com um preço mais honesto. Por isso, não pense duas vezes e faça sua reserva correndo.

Brasil na Copa do Mundo Rússia 2018 hospedagem onde ficar hotéis dicas

  • ROSTOV (Rostov on Don): 17 de junho – Brasil x Suíça
    Situada no sul da Rússia, essa cidade foi fundada no ano de 1749 sendo a atual capital da província que tem o mesmo nome. Um dos mais relevantes centros industriais e comerciais do país, sendo ligada ao mar por um canal profundo. Possui ligação também com os mares Báltico, Branco e Cáspio. 

    >> Calcule uns 3 dias para a hospedagem já incluindo o dia do jogo.

Residentsiya (Izvolte) Hotel: Um dos melhores hotéis da cidade. É bem localizado, tem estacionamento gratuito, transfer para o aeroporto e quartos familiares.

Ramada Hotel e Suite: Hotel de rede para garantir que o inglês é falado e que você vai ser entendido. Apesar de não ser no centrinho, fica próximo a estação de trem, ao aeroporto e as principais estradas. Também tem estacionamento gratuito, transfer para o aeroporto e quartos familiares.

Don Plaza Congress: Hotel com mais jeitão de executivo, mas também super bem localizado. Também oferece estacionamento gratuito e transfer para o aeroporto.

Topos Congress: Um dos hotéis mais próximos do estádio. Fica a mais ou menso 2km do SKA, onde o Brasil vai jogar. Tem estacionamento, transfer e quartos familiares.

Aluguel de apartamento: Esse apartamento é bem localizado, próximo ao centro, em um prédio moderno com estrutura para atender a casais, família e amigos. Tem estacionamento, restaurante e free wifi.

> Veja mais hotéis em Rostov clicando aqui.

Brasil na Copa do Mundo Rússia 2018 hospedagem onde ficar hotéis dicas

  • SÃO PETERSBURGO: 22 de junho – Brasil x Costa Rica
    Chamada carinhosamente de Peter, a cidade de São Petersburgo é uma cidade federal, (o que significa que é uma cidade autônoma da Rússia) e já foi capital do país. No ano de 1914 seu nome passou a ser Petrogrado e em 1924 foi renomeada como Leningrado, nome que persistiu até 1991 quando ocorreu a queda da União Soviética e a cidade retomou seu nome original que faz referência ao czar Pedro, O Grande responsável por sua fundação no ano de 1503. Para saber mais sobre São Petesburgo, clique aqui.
    >> Recomendo que você fique 4 dias inteiros, já incluindo o do jogo.

Belmond Grand Europa (fiquei lá, recomendo muito!), W Hotel, Four Seasons Hotel Lion Palace e Kempisnki Hotel Moika 22: São todos hotéis de muito luxo. Conheci todos eles quando estive lá e posso indicar todos. São hiper bem localizados e sem dúvidas, excepcionalmente confortáveis.

Petr: Outra opção super bem localizada, mas bem mais acessível que os hotéis anteriores. Eles oferecem transfer para o aeroporto e quartos familiares.

Sonata: Também fica próximo de tudo e oferece transfer para o aeroporto. É uma opção mais simples e econômica.

Arena Hotel: O hotel mais perto da Arena Krestovsky. Uma opção simples mas bem localizada para quem quer apenas ver o jogo.

Aluguel de Apartamento: Em São Petersburgo as tarifas de hotéis podem ser mais altas, por isso, alugar um apartamento pode ser uma boa opção.

>> Veja mais hotéis em São Petersburgo clicando aqui.

Para ler todos os posts publicados no blog sobre São Petersburgo, clique aqui. Veja mais dicas de hospedagem, onde comer, pontos turísticos, segurança, o que fazer, como chegar e etc.

Brasil na Copa do Mundo Rússia 2018 hospedagem onde ficar hotéis dicas

  • MOSCOU: 27 de junho – Brasil x Sérvia
    Sendo uma das cidades sedes da Copa do Mundo de 2018, a capital russa tem uma história interessante, tendo sido fundada aproximadamente no ano de 1140 quando recebeu o status de capital do Grão-Ducado de Moscou em 1712 deixou de ser a capital para dar lugar a São Petersburgo que nessa época era uma cidade relativamente nova. Moscou só voltou a ser a capital do país após a Revolução Bolchevique no ano de 1918. Mesmo com a queda da União Soviética a cidade continuou como a capital russa. Uma das principais cidades turísticas da Rússia, está situada bem na divisa entre o continente europeu e asiático

Four Seasons, Ararat Park Hyatt, Ritz Carlton e Metropol são algumas das opções mais luxuosas da cidade. Todos super pertinho da Praça Vermelha, o que é uma ótima pedida para quem quer fazer turismo além de assistir aos jogos da seleção. Não espere gastar pouco dinheiro nesses hotéis, mas saiba que provavelmente eles vão valer cada centavo.

Peter 1: Foi o hotel que eu me hospedei. Ele é um 5 estrelas mais simples e que merecia 4 estrelas. Mas fica perto da Praça Vermelha e é bem confortável. Ele oferece transfer para o aeroporto e vale o custo x benefício.

Mercure Moscow  Baumanskaya: Um hotel de rede, que fica um pouco afastado do bafafá mas tem transfer para o aeroporo e fica na boca no metro. Sem falar que é uma opção mais acessível.

Double Tree e Hampton, são dois hotéis da Rede Hilton que ficam bem próximos ao estádio e são boas opções para se hospedar.

The Kubs Capsule Hotel: Quer só dormir e gastar o mínimo possível, essa é uma boa opção para você. O hotel-capsula oferece “quartos” (ou capsulas) a partir de R$66. O que é um achado para essa época do ano.

>> Veja mais hotéis em Moscou clicando aqui.

Para ler todos os posts publicados no blog sobre Moscou, clique aqui. Tem outras dicas de hospedagem, restaurantes imperdíveis, passeios, pontos turísticos, dicas, tour no metrô, lojas e muito mais.

Bom, como sou brasileira, não desisto nunca e tenho memória curta a ponto de não me lembrar do 7×1 (#odio!), acredito piamente que o Brasil passará adiante na copa. Se isso acontecer teremos dois possíveis cenários:

– Se terminar a primeira fase ganhando, como o cabeça de chave do grupo, os jogos seguintes acontecerão em Samara, Kazan, São Petersburgo e Moscou.

– Se ficar em segundo lugar no grupo, os jogos serão em São Petersburgo, Samara, Moscou e Moscou.

Ou seja, o primeiro cenário é melhor para o nosso futebol e para os turistas também. Por isso, apesar de não ter conhecido essas cidades, fiz uma pequena pesquisa sobre essas outras cidades e de alguns hotéis por lá para vocês se hospedarem.

Imagem relacionada

  • SAMARA: 2 de julho – Oitavas de final
    A cidade de Samara, é capital da província, possui o mesmo nome, e durante o período de 1935 a 1991 foi chamada de Kuybyshev. Sua fundação se deu no ano de 1586. O maior rio da Europa, o Rio Volga, corta a cidade. Ela fica a 17 horas de trem de Moscou.

Holiday Inn Samara: Rede americana de hoteis que é simples e acessível. Nada mal para a época da copa do mundo.

Moya Hotel: Hotel bacaninha que fica a 5km do Cosmos Arena. Oferece transfer para o aeroporto, estacionamento gratuito além de vários tipos de quarto para todos os gostos e bolsos. (Bônus: fica pertinho de uma IKEA! heheheh)

Hampton by Hilton: Hotel mais acessível da rede Hilton. Uma opção boa para quem gosta de hotéis de rede e quer ter certeza de conseguir falar em inglês no hotel.

Ibis Samara: Uma opção super mais em conta na cidade. A rede Ibis é conhecida por ter bom preço e qualidade. Além disso tem estacionamento e transfer para o aeroporto.

>> Veja mais hotéis em Samara clicando aqui.

Imagem relacionada

  • KAZAN: 6 de julho – Quartas de Final

    Capital do Tartaristão, região com maior concentração de muçulmanos na Rússia, Kazan tem em seu Kremlin a principal atração para turistas. O complexo, que data do reinado de Ivan, o Terrível, no século XVI, abriga prédios importantes para a cidade, como a Catedral da Anunciação e a Mesquita Kul Sharif, símbolo da convivência pacífica entre as duas religiões no local atualmente.

The Mirage: Um hotel luxuoso no centro da cidade de Kazan, bem próximo dos principais pontos turísticos. Tem estacionamento, transfer e quartos familiares.

Riviera Hotel: É a melhor opção pertinho da Arena Kazan, onde será realizado o jogo do Brasil. É possível ir a pé para o estádio. Oferece transfer para o aeroporto e estacionamento gratuito.

Ramada Kazan City Centre: Uma opção um pouco mais acessível no centro da cidade. Ele também oferece estacionamento, transfer para o aeroporto e quartos familiares.

Park Inn by Radisson: Outra opção boa com preço um pouco melhor. Ele fica muito próximo ao aeroporto e assim como os outros tem transfer, estacionamento e quartos familiares.

>> Veja mais hotéis em Kazan clicando aqui.

Agora que você já está minimamente orientado sobre os jogos e cidades que o Brasil vai jogar, não perca tempo e faça logo suas reservas tanto de hotel, quanto de passagens aéreas e de trem. São muitas pessoas, do mundo inteiro para assistir aos jogos.

Se você ainda não tem ingressos, recomendo muito o Follow Brasil. Que são todos os jogos do Brasil enquanto ele estiver disputando a copa. Vale muito a pena. Se você não conseguir pelo site da Fifa, procure em alguma agência especializada, elas costumam comprar em lotes e depois revender.

LEMBRETE IMPORTANTE: É necessário um seguro de saúde para viagens com cobertura mínima de 30 mil euros para entrar na Rússia e em todos os países da Europa. Eu costumo usar esse comparador de preços e coberturas da Real Seguros para fechar os meus seguros e recomendo.

Tudo pronto? Agora é só vestir a camisa, pintar o rosto e decorar as musiquinhas de estádio para torcer muito para a nossa seleção conseguir conquistar esse hexa!

VAMOS BRASIL! RUMO AO HEXA! =)

Bom, em breve, nossa primeira viagem internacional com a Victoria vai acontecer e por mais que eu achei que vai ser ótimo e vai dar tudo certo, sempre bate aquela insegurança né?! Como vai ser uma viagem em familia, todos foram muito solícitos e toparam tudo para a pequenininha poder ir e para nós podermos aproveitar ao máximo as férias.

Antes de definirmos pra onde iríamos, o que íamos fazer, quanto tempo ficar… pensamos em muita coisa. Tínhamos que pensar no bem estar dela, no que fosse mais agradável pra gente e claro, naquilo que nos trouxesse o mínimo de segurança. Sem esquecer de que estávamos fazendo uma viagem em família, ou seja, o destino tinha que agradar todo mundo.

Destino: Pra decidir pra onde iríamos nessa primeira viagem, pensamos em um lugar que nos trouxesse segurança. Tanto pela língua falada, como pelas facilidades para com um bebe e também para o caso de qualquer emergência médica. Sim, sei que é meio louco pensar nisso, mas o seguro morreu de velho. Por todos esses motivos escolhermos ir para os Estados Unidos.

Conforto: Pra não baquear muito a Victoria (e para não nos deixar traumatizados) queríamos um lugar que tivesse vôo direto e noturno ou com o mínimo de escalas possíveis. Outro ponto que avaliamos muito no quesito conforto foi o fato de podermos alugar uma casa ou ter um bom hotel com estrutura bacana. A liberdade para levar nosso carrinho trambolho também pesou. Afinal, se vamos passar o dia na rua com a pequena, que ela esteja confortável num carrinho grandão e gostoso.

Clima: Pensamos muito em ir para a Europa, mas como vamos no reveillon, por lá será o auge do inverno, e acho que ela não ia curtir tanto essa temperatura nada amena. Então, resolvemos ir para os Estados Unidos mas para um lugar que não tivesse um inverno tão rigoroso.

Baby Friendly: Queríamos um destino baby friendly afinal, vai ser nossa primeira viagem verdadeira com ela, então, pra gente era importante estar em um lugar que tivesse o mínimo de estrutura para um bebê. Banheiros familiares, trocadores… Apesar da Victoria mamar exclusivamente no peito, quando fechamos a viagem ela nem tinha nascido e não sabíamos como seria isso. Por isso, essa estrutura era tão importante. Ela vai viajar com 5 meses e meio, em alguns casos o bebe já come alguma coisa, bebe suquinho e etc com essa idade. Não é o caso dela, mas poderia ser. Pensamos nisso também.

Acesso: Outra coisa que pode parecer bobeira, mas era importante pra gente: ser um lugar acessível. Você passar um dia inteiro com um bebe de colo, passeando pra cima e pra baixo. Imagina se fosse um local onde o carrinho não pudesse andar, não tivesse acesso, fosse cheio de escadas… péssimo né?! Estar de carro ou a pé era outro quesito importante. Afinal, os horários de um bebe são completamente diferentes, então, eu e o Alexandre, apesar de estarmos em uma viagem em família, queríamos ter liberdade para ir e vir quando achássemos conveniente.

Tralha: Todo mundo já sabe que um bebê pode precisar de mil e uma coisas, por isso, pensar na quantidade de tralha que você vai levar é importante. Principalmente em tempos de companhias aéreas que restringem (e até cobram) a bagagem despachada. Pense nisso na hora de decidir qual passagem comprar e qual companhia aérea escolher.

Comida: A Victoria ainda vai estar mamando no peito exclusivamente quando viajarmos, mas acho que esse é um item extra a se pensar. Quando o baby já come é sempre bom pensarmos se o lugar que vamos tem uma comida tranquila para bebes comerem, se tem supermercado perto, se tem estrutura para fazer alguma coisa… (pensei nisso para as próximas viagens!)

Repeteco: Pra essa primeira viagem pra fora do país com ela, optamos por um destino que a gente já conhece. Assim, se a gente tiver que abrir mão de uma coisa aqui ou outra ali, não vamos sentir tanto. É legal também por que vamos nos adaptando a um novo estilo de viagem pra ela e pra gente.

Ufa! Parece muita coisa né? Mas no final todo esse “excesso de cautela” é para a primeira viagem. Acho que depois, com o tempo, vamos nos acostumar e as viagens serão mais fáceis. Não que a gente não pense nessas coisas, mas acho que o pensamento vai fluir naturalmente e não será tão programado assim.

Agora é só curtir e entender, que com um novo membrinho na família o estilo e rítmo das viagens mudaram mesmo, mas não necessariamente para pior. Apenas p diferente daquilo que estávamos acostumados.

Em breve, volto aqui para falar mais sobre o assunto. Mas no próximo post, com a viagem já feita, cheia de dicas e contando mais sobre o próximos destinos. Sim, próximos no plural! Oba!!!

Acho que 99% das pessoas só conta o lado bom das viagens, mas vocês já pararam pra pensar que muitas vezes as coisas podem dar errado? Podem ser coisas pequenas, podem ser coisas grandes… não temos controle sobre tudo que pode acontecer, o importante é estarmos preparados para toda situação, inclusive as que não são esperadas.

Já passei alguns perrengues em viagem e acho que posso compartilhar com vocês algumas formas de amenizar a frustração, raiva e todos os sentimentos ruins que passam pela gente quando alguma coisa não dá certo nas nossas viagens.

  1. Perder um vôo: Seja culpa sua ou não, perder um vôo é sempre um saco. Você perde horas (ou dias) no seu destino, as vezes perde diárias de hotel, programas e passeios já pagos e muitas vezes ainda tem que arcar com as despesas de um novo vôo, acomodação no lugar que está e etc. Pra resolver isso, você precisa em primeiro lugar se alocar em um novo vôo, o mais rápido possível. Fale com a companhia aérea e veja o que é possível fazer no seu caso. Se a culpa foi um atraso da mesma cia aérea fica tudo mais fácil. Exija seus direitos. Se perdeu o vôo por causa do mal tempo ou alguma coisa do tipo, as companhias aéreas não costumam fazer nada nesses casos. Em seguida entre em contato com o hotel do destino para ver o que pode fazer, se consegue um reembolso da diária perdida, ou pelo menos, se consegue um voucher para gastar aquele valor em outro momento. O mesmo serve para os seus fornecedores de passeios. Caso tenha comprado um pacote de viagens, deve entrar em contato com a agencia para que ela faça esses contatos e acertos para você.
    Como evitar: Saia sempre com muita antecedência par ao aeroporto (o recomendado é chegar 3h antes em vôos internacionais e 2h antes em vôos nacionais). Sim, parece muito, e é. Mas é sempre melhor prevenir do que remediar. Nunca marque escalas com menos de 3h, principalmente em grandes aeroportos como Londres, Paris, Amsterdam… Tenha em mãos os todos os contatos que você pode precisar em “caso de emergência”.
  2. Malas extraviadas: Outra grande chateação comum em viagens. Chegou no seu destino (ou em casa) e as suas malas não. Se for em casa, menos mal… mas se for no seu destino, é um saco. Tem que dar queixa no aeroporto, falar com a cia aérea e contar com a boa vontade dos atendentes e com a sorte. E se acontecer? Tenha sempre uma (ou mais) muda de roupa na mala de mão e leve com você itens de valor. Contate seu seguro viagem que, normalmente, cobre extravio de bagagem também. Se quiser pode colocar um gps dentro da mala, hoje em dia pequenos dispositivos com rastreamento são vendidos para identificar aonde a mala está.
    Como evitar: Confira sempre o ticket colocado na sua mala e veja se o destino está correto. Retire tickets de viagens anteriores para não confundir o envio. Não deixe para despachar a sua mala no último segundo. Pesquisas indicam que malas despachadas nos últimos minutos tem mais chances de serem perdidas.
  3. Ser roubado: Por mais cuidados que sejamos, os bandidos estão cada vez mais espertos e conseguem driblar todas os nossos cuidados. Furtos são muito comuns em viagens e pra não surtar caso isso aconteça é importante que você sempre tenha seus documentos escaneados no seu email, cópias físicas em sua mala e os telefones importantes com você. (Seguro saúde, cartão de créditos, consulados…)
    Como evitar: Nunca deixe seu dinheiro todo num único lugar, fique atento a sua bolsa/carteira em locais de muito movimento, pesquise sobre as áreas de (in)segurança das cidades que você vai visitar, verifique se o cofre do hotel não abre com a senha default 0000, deixe seus pertences de valor sempre em local seguro e trancados e esteja sempre de olho nas suas coisas e no ambiente ao seu redor.
  4. Overbooking: Essa é uma situação cada vez mais recorrente nos aeroportos, e por incrível que pareça, nos hotéis também. Mas, infelizmente isso é algo que está completamente fora do nosso controle.
    Como evitar: Apesar de estar fora do nosso controle, existem algumas coisas que podemos fazer para talvez evitar isso. Por exemplo: faça sempre que possível seu check in online e chegue cedo no aeroporto. Pode até ser que seu vôo tenha overbooking, mas chegando cedo você consegue garantir o seu lugar. No caso dos hotéis, o overbooking é bem menos comum. Mas se você quiser ter certeza absoluta de que está tudo ok com a sua reserva, envie um email para o hotel uma semana antes da sua reserva e garanta que está tudo certo.
  5. Falta de documentos: Vocês podem até pensar que isso quase não acontece, mas acreditem, cada lugar do mundo exige uma documentação diferente para você entrar e sair dele e esquecer ou errar a documentação necessária para acessar um país é um dos erros mais comuns dos viajantes.
    Como evitar: Confira várias vezes toda a documentação necessária para entrar no país que você está visitando, tenha cópias de todos os seus documentos com você, acesse o site do consulado do país que você vai, verifique se é necessário algum tipo de visto especial, tenha em mãos o comprovante internacional de febre amarela (sou dessas que leva em todas as viagens, por que nunca se sabe!), veja se é necessário pagar alguma taxa na entrada e se precisa ter a moeda local… o ideal é você verificar isso sempre próximo a sua viagem pois as regras podem mudar.

Acho que esses são alguns dos perrengues de viagem mais comuns. Espero que as dicas ajudem vocês a evitar passar por eles e claro, deixem vocês preparados para o que der e vier.

Fotos da Internet