Tag Archives: viagem

Obaaaaaa! Mais um video da minha última viagem pela Europa. No CqA TV de hoje, mostrei um pouquinho do nosso roteiro pela Inglaterra. Como contei aqui no blog, passei por Londres, Winchester, Stonehenge, Bath e York, e mostrei isso em vídeo para vocês!

Curtiram? Ficaram com água na boca e querendo conhecer todas essas cidades? Essa era a intenção do video. As dicas do que fazer, como chegar, onde ficar e etc vocês encontram nos posts de cada uma das cidades que visitei.

Não se esqueçam de curtir o canal (clicando aqui) e ficar por dentro de todas as novidades que estamos postando semanalmente por lá. Cliquem no sininho para receber o alerta sempre que tiver novas postagens por lá! =)

29
maio 2017

Dublin | Irlanda

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagemMinha última parada nessa viagem pelo Reino Unido foi Dublin, na Irlanda. Inicialmente, meus planos eram ir para a cidade vivenciar e conhecer os famosos festejos de St. Patricks Day, mas com a descoberta da gravidez achei que seria confuso demais (e sofrido demais não poder beber na data).

Acabamos mudando as datas da viagem e tivemos a oportunidade de encerrar essa deliciosa jornada conhecendo um pouco mais da capital da Irlanda do Sul, seus (muitos) pubs, cervejas e povo alegre e simpático.

A cidade

Dublin é a capital e maior cidade da Irlanda. O nome em inglês deriva da palavra irlandesa “Dubhlinn“, que significa “Lago Negro”. Localiza-se na província de Leinster próxima ao ponto mediano da costa leste da Irlanda, sendo cortada pelo Rio Liffey e o centro da região de Dublin. Desde 1898 possui nível administrativo de condado (county-boroughs). Seus limites são os condados de Fingal a norte, Dublin meridional a sudoeste e Dun Laoghaire-Rathdown a sudeste. Tem uma população de 527.612 habitantes na cidade, e sua área metropolitana tem 1.804.156 habitantes.

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagemFundada como um assentamento viking, foi o centro do Reino de Dublin e se tornou a principal cidade da Ilha após a invasão dos Normandos. A cidade cresceu de maneira rápida durante o século XVII; se tornou na época a segunda maior cidade do Império Britânico e a quinta maior da Europa. Dublin entrou em um período de estagnização após o Ato de União de 1800, mas continuou o centro econômico da Ilha. Após a Partição da Irlanda em 1922, virou a capital do Estado Livre Irlandês, e mais tarde, da República da Irlanda.

Dublin é reconhecida como uma cidade global, com um ranking “Alpha-“, colocando a cidade entre as 30 mais globalizadas do mundo. Atualmente é o principal centro histórico, cultural, econômico, industrial e educacional da Irlanda. Fonte: Wikipedia.

Como chegar

A Irlanda é uma ilha, portanto, para chegar lá, você basicamente precisa ir de avião. Existem navios e opções marítimas, mas certamente o avião é a mais rápida e barata delas.

Nós saímos de Glasgow em direção a Dublin e voamos de Air Lingus. Era a opção mais rápida e barata que encontramos, mas várias companhias aéreas fazem esse trajeto. Escolha a melhor opção para você, para seu roteiro e bolso. Os vôos saem da Europa inteira e são bem fartos. Se você estiver saindo do Brasil, grandes companhias como KLM, Air France e Lufthansa, por exemplo, também voam até lá, porém fazendo escala em suas cidades de origem.

Dica importante: Se você for fazer escala em Londres, deixe uma folga de 3h entre os vôos. O aeroporto é enorme e a chance do seu portão de embarque e desembarque ser afastado um do outro também. Previna-se!

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagemComo se locomover por lá

Nós nos hospedamos bem no bafafá da cidade, então, pessoalmente consegui fazer quase tudo a pé por lá e foi ótimo. Quando precisamos pegamos um taxi e também funcionou super bem.

Para ir e vir do aeroporto, utilizamos o taxi mesmo. Já tinha lido que era seguro e que os preços não eram absurdos. Concordo em gênero, número e grau. Valeu super a pena. Não me lembro exatamente o valor da corrida agora, mas acho que não passou de 30 euros para uma rota de mais ou menos 35 minutos (sem trânsito).

Onde se hospedar

Agora que vocês como eu achei importante estar bem localizado na cidade, chegou a hora de falar sobre a hospedagem por lá. Acho que essa é uma questão que muita gente levanta, pois o bafafá da cidade, pode ser uma ótima pedida ou a maior furada de todas. Por isso, fique atento as dicas daqui para escolher a sua hospedagem.

Optamos por ficar em Temple Area. É nessa área que a noite de Dublin rola solta. É nela também que se concentram 10 entre 10 pontos turísticos da cidade. Portanto, opções não faltam por lá. A questão mais importante é: como escolher bem o seu hotel.

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagemdublin irlanda dicas coisas que amamos viagemdublin irlanda dicas coisas que amamos viagemFicamos no Temple Bar Hotel e eu gostei muito. O hotel era novinho, o nosso quarto era super amplo e como pedimos para ser silencioso, nos colocaram no último andar e não ouvimos nenhum barulho da rua, e olha que ficamos hospedados lá durante o final de semana. O café da manhã também era sensacional. Ficamos muito satisfeitos com a escolha.

Um dos pontos positivos desse hotel, que serve de dica para vocês que estão pretendendo viajar para Dublin é que ele fica no final da Fleet Street que é a rua dos bares e do badalo, então, ele fica mais afastado do barulho e da movimentação. O mesmo serve para o Fleet Street Hotel.

Se você quer ficar pertinho do agito mas não quer correr o risco de ser acordado a noite por bêbados gritando na rua, recomendo os hotéis que ficam do outro lado do Rio, em especial o Hilton – The Morrison Dublin e o Arlington. Se quiser um hotel bem luxuoso pertinho de tudo, escolha o Westin.

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagemdublin irlanda dicas coisas que amamos viagemAgora, se a sua ideia é badalar, conhecer gente, ficar louco e beber todas, posso indicar de olhos fechados o The Norseman, que fica dentro do pub de mesmo nome. O hotel é bacaninha, fica no andar de cima e a recepção é junto do bar. Nada mal fazer check in e tomar uma cervejinha enquanto espera, né?!

O que fazer/Quanto tempo ficar

Acho que se você ficar 2 dias inteiros consegue ver bem o que a cidade tem para oferecer. De dia faz turismo, a noite bebe. Lembrando que se a ideia aqui é dormir tarde, acordar tarde e ficar de ressaca, acrescente um dia na sua estada pela cidade! hahahaha

  • Guiness Storehouse: Esse foi disparado o programa que eu mais gostei de fazer por lá. A ideia aqui é a mesma da Heineken Experience. Você conhecer a história da cerveja, saber como é feita a produção da bebida, a escolha dos ingredientes… A fábrica é incrível e a estrutura para receber os turistas também.  Ainda nesse passeio você tem direito a experimentar a cerveja com um especialista te mostrando o que é importante perceber na prova e depois, relaxar e beber de fato uma cerveja tirada por você mesmo em uma das chopeiras da cervejaria. Muito legal! Como de costume, no final, você vai passar por uma lojinha da Guiness onde vai enlouquecer e querer comprar tudo que vir pela frente. Um programa que vale super a pena fazer, mesmo para quem não é amante de cerveja.

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagem dublin irlanda dicas coisas que amamos viagemdublin irlanda dicas coisas que amamos viagem

  • Castelo de Dublin: Antes de começar a imaginar um castelo daqueles de desenho animado, calma. O castelo de Dublin nada mais é do que um complexo governamental. No passado, ele foi sede do governo britânico no país. Pessoalmente, achei um pouco chato de visitar, gostei mais do jardim e da parte externa do Castelo, mas é aquele tipo de lugar que você tem que pelo menos dar uma passadinha para ver, sabe como é?!

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagem dublin irlanda dicas coisas que amamos viagem

  • Catedral de St. Patricks: É um linda igreja que fica bem pertinho de tudo na cidade. Vale a visita. Se conseguir assista uma missa por lá, dizem que é lindíssima.

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagem

  • Temple Bar: Essa é a região do agito. Além de passar por ela o tempo inteiro é por lá que você vai comer, é por lá que você vai sair, e principalmente beber. Então, não se preocupe, você vai conhece-la querendo ou não.

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagem

  • Trinity College: Um dos pontos mais famosos da cidade. É uma universidade de 1592 com vários prédios históricos e jardins lindos. Se visitar, não deixe de conhecer a biblioteca. É um dos pontos altos do local.
  • Destilaria Old Jamenson: Se você não teve a oportunidade de conhecer nenhuma outra destilaria, essa pode ser a sua chance. Eu não tive tempo (nem paciência) pra ir pois já tinha ido a una destilaria na Escócia, então acabei pulando o programa.

Além desses pontos que são mais básicos você pode visitar o parlamento, os parques, o estádio de futebol e até mesmo a costa da cidade. Nós não fazíamos questão (e pegamos dias muito chuvosos por lá) então, acabamos nos concentrando nessa região do Temple Area e adoramos.

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagemAh! A cidade oferece vários walking tour nessa área também. Escolha o seu e aproveite para conhecer mais a fundo esses pontos sem precisar contratar um guia privado para isso. Nós sempre fazemos e gostamos muito. Dessa vez só deixamos de lado por conta da chuva e porque eu já estava gravida demais para andar o ritmo do walking tour sem descanso. hehehehe

Onde comer

Fade St. Social – The Gastro Bar: Um dos restaurantes que mais gostei de conhecer na cidade. Ele fica fora do roteirinho turístico e quem nos indicou foi o concierge do hotel, quando ele percebeu que era exatamente o tipo de lugar que queríamos. Um restaurante cool porém nada turístico. O Fade Social é um restaurante de tapas irlandesas e é muito gostoso. Ele fica a mais ou menos 7 minutos de caminhada do Temple Bar. Ele fica na Fade Street.

The Church: Outro lugar muito bacana para comer por lá. Era uma antiga igreja (inclusive a igreja onde Arthur Guinness – fundador da Guinness Brewery – se casou com sua esposa) e hoje é um dos pubs mais famosos da cidade. O local também é um restaurante de primeira. Não deixe de fazer sua reserva para garantir que vai conseguir um lugar para comer. Ele fica na esquina da Mary Street com a Jervis Street.

dublin irlanda dicas coisas que amamos viagemElephant and Castle: Esse restaurante foi super indicado por vários locais. Apesar de ficar no coração do Temple Area, ele não é um restaurante muito turístico. Mas acredite, é super lotado. Seja pro almoço ou pro jantar, não deixe de fazer reserva se quiser conhece-lo. Gostamos muito da comida.

Então acho que é isso gente! Espero que vocês tenham gostado das dicas, e que curtam Dublin como eu curti. Sem dúvidas vou voltar a cidade para poder beber em todos os pubs pelos quais passei (e não bebi) e claro, pra conhecer um pouco mais daquilo que eu não tive a oportunidade de conhecer.

Essa é sempre a melhor desculpa para voltar a um lugar que a gente gosta né?!

Estive em Miami a pouco tempo e resolvi fazer um post diferente dos que eu costumo fazer por aqui. Selecionei alguns programas que são “fora da caixinha” que eu adorei fazer na cidade para compartilhar com vocês.

Sei que a maioria das pessoas pensa que Miami é um lugar apenas para praia, compras e bons restaurantes. Esse post é exatamente para ajudar a quebrar um pouquinho esse mito e dar sugestões de lugares novos, passeios atípicos e programas fora da rota super turística da cidade. Espero que vocês curtam! =)

1. Spa day no Mandarim Oriental: Está exausto das compras e precisando de um descanso? Esse é o programa perfeito para você. Minha recomendação aqui é: tire uma manhã ou tarde para curtir o delicioso Spa do Hotel Mandarin Oriental. Posso falar por experiência própria que você não vai se arrepender de fazer isso.

Você não precisa ser hóspede para utilizar o spa. Faça sua reserva com antecedência, escolha pelo site o protocolo que mais te agradar e relaxe. São várias opções de massagens, tratamentos e terapias. Pra todos os gostos, estilos e bolsos.

O spa é lindíssimo, o atendimento é daqueles de cair o queixo sabe? Desde a pessoa que te recebe no check in, até a forma como você é tratada antes do tratamento, na sala de espera… Juro que tô até agora encantada com o banheiro lindo (e delicioso) e com o roupão mais felpudo que eu já usei na vida! hahahahah

Ah! Pro programa ficar ainda mais completo, aproveite para terminar o programa fazer uma deliciosa refeição no La Mar, o restaurante peruano do hotel. Sou suspeita para falar porque amei muito e olha que sou meio fresca para comer hein! A comida é magnífica (sério!) e a vista é linda. Pra garantir, recomendo que você faça uma reserva. Eu fui almoçar e adorei, mas acho que no jantar deve ser incrível também.

2. Airboat Tour nos Everglades: Esse foi um dos programas que eu já estava planejando antes mesmo de decidir passar tantos dias em Miami. Queria conhecer os Everglades, me sentir na abertura de CSI Miami (#soudessas) e ver os tão falados jacarés da Florida pessoalmente.

Depois de verificar que o programa era super ok para grávidas (tem um pouquinho de emoção, mas não balança, não sacode e não me senti em risco em nenhum momento), agendei meu horário e comprei meus ingressos, tudo pelo site mesmo. Escolhi uma empresa que não fosse tão distante da cidade para garantir que não precisaríamos nos locomover tanto.

Encontramos com o pessoal do passeio em um posto de gasolina na estrada e de lá eles nos guiaram até o local onde começaria o passeio. O esquema é bem tranquilo, você entra no seu airboat e um guia/piloto sai em busca dos jacarés parando em locais estratégicos para você admirar e fotografar a fauna e flora local.

Os jacarés ficam bem perto do barco e dá um medinho porque eles te encaram mesmo, mas como eles entendem que aquele barco é um grande bicho, eles não fazem nada e não atacam. Pelo menos, nunca houve registro de ataque aos barcos.

O passeio é legal de fazer com crianças maiores. Bebês e crianças muito pequenas não são permitidas. Claro que tem que ter cuidado porque se cair na água, já era. Mas é um passeio tranquilo. Se achar que seu filho vai ter medo, fique no “andar de cima” das cadeiras pois elas ficam mais afastadas da água e dão uma sensação maior de segurança.

Lembre-se: Se for no verão, leve protetor solar, repelente e um chapéu/boné (que não voe quando o barco andar!). Se for no inverno, vá agasalhado pois o barco vai rapidinho e o vento é friozinho.

3. Pegar uma prainha em um Parque Estadual: Já que está em Miami, que tal conhecer um lugar diferente e fora do roteiro comum? E o melhor, conseguir ainda aproveitar uma prainha daqueles com areia branquinha, sem ondas e água cristalina. Nada mal né?

É exatamente isso que você vai encontrar na praia de Bill Bags, em Key Biscayne. A praia fica dentro do Bill Bags Cape Florida State Park, um parque estadual onde além de ir a praia você pode fazer trilhas, andar de bicicleta, fazer picnics e conhecer um dos faróis mais antigos da Florida.

Para entrar no parque você pagar U$5 por carro e ganha um mapinha para percorrer tudo. Paramos bem em frente a praia e conseguimos ver a área de picnic (com churraqueiras disponíveis), os restaurantes, a praia e claro, o farol. O local é bem tranquilo e a praia é uma ótima opção para as crianças. Não tem onda, quase não venta e é um local onde é possível admirar tartarugas marinhas. Não tivemos essa sorte, mas isso deve acontecer com frequência pois há várias placas espalhadas pela praia. Achamos que o programa valeu para sair do basicão praia em South Beach e para conhecer mais a cidade.

Aliás, outra dica para complementar o programa é na volta da praia, almoçar no The Rusty Pelican. O local tem uma vista linda do skyline de Miami e a comida muito gostosa. Eles funcionam non stop desde as 11h, por isso, não se preocupe com a hora que vai chegar, mas lembre-se que nos finais de semana e a noite o local fica super lotado.

O que acharam? Programas legais e bem diferentões né? Pra todos os gostos e bolsos também. Se vocês tiverem dicas de outras coisas bacanas de se fazer por lá e que saiam do roteiro comum, deixem aqui nos comentários e vamos ajudar os viajantes a conhecer um outro lado de Miami, ainda pouco explorados pelos turistas.

Acho que muitas mamães de primeira viagem, como eu, se perguntam isso quando resolvem fazer o enxoval lá fora. A gente sabe que no Brasil os impostos são altíssimos e por isso os produtos ficam bem mais caros. Claro que tem que colocar no papel o quanto se gasta na viagem em si com passagens, alimentação, seguro, carro e hospedagem, mas ainda assim, acho que o enxoval nos EUA vale muito a pena.

Ok, até ai, não falei nenhuma novidade. Se não valesse tanta gente não ia para fora comprar, certo!? Pois é, mas o que realmente vale comprar lá fora e o que você pode deixar para comprar aqui? Alguns produtos são iguais e tem preço muito similar e outras coisas você encontra aqui com preços até melhores… Fiz um quadrinho, baseado na minha viagem, no meu enxoval e na minha opinião, que acho que vai ajudar bastante na hora de decidir o que comprar lá e o que comprar aqui.

enxoval nos eua vale a pena

Uma outra dúvida que eu tive quando comecei a pensar no enxoval foram as coisas que de fato valiam a pena comprar nos EUA nas lojas físicas x nas lojas online. Como vocês sabem, fiz o enxoval com a ajuda da Mommys Concierge, o que já é uma mão na roda, e elas recomendam algumas compras pela internet para garantir o produto específico que você quer e/ou para que você tenha mais opções de modelos, cores, estampas…

Além disso, na internet é possível que você encontre algumas promoções legais que fazem valer o valor que você gasta com o IOF e com uma possível cobrança do hotel no recebimento dos pacotes.

O que eu comprei pela internet: Bomba de leite, termômetro digital, babá eletrônica, boia de praia/piscina, Desitin roxo (bisnagas e pote), protetor solar infantil (creme e bastão), kit de meias, vitaminas (pra mim), remédio de azia (pra mim), cabides de veludo, tapete de atividades e algumas roupinhas da Ralph Lauren e da Oskosh.

Por que valeu a pena? Primeiro porque grande parte disso uma outra pessoa trouxe dos EUA para a gente, ou seja, não entrou na nossa cota. E já que ela ia trazer, o mínimo que podíamos fazer era mandar entregar no hotel dela, né?! Segundo porque algumas dessas coisas estavam super em promoção na Amazon como os protetores solares, os cabides, as meias e o Desitin. Então valeram muito a pena e sairam beeeem mais barato do que comprar nas lojas físicas lá. E isso eu comprovei quando estava lá.

enxoval nos eua vale a penaO que eu comprei na internet que não valeu a pena? Nada. As únicas compras de roupa que eu fiz pela internet foram no President´s Day, numa promoção da Oshkosh e agora, depois de voltar de viagem umas coisinhas que faltaram na Ralph Lauren. As peças da Oskosh estavam bem baratas e até acho que valia a pena, mas eu podia ter comprado na loja diretamente que daria praticamente no mesmo (ou ficaria até mais barato por conta dos descontos que as meninas do Mommys Concierge tem em algumas lojas). As roupinhas da Ralph Lauren eu comprei porque além dos descontos do site (+ frete grátis) nas lojas físicas não achei tantas opções como no site, e não achei os preços tão bons também. Além disso, eram coisas que eu queria muito e que não comprei em outras lojas na viagem.

As lojas que fui durante a viagem foram:
Roupas: Carters, Oskosh, Gap, H&M, Janie e Jack Outlet, Ralph Lauren, Tommy Hilfigher, Ross, Pili Carrera (caaaara!), Nini e Loli e Gymboree.
Produtos: Babies r Us, Buy Buy Baby e Nini e Loli.

Lembrando que tudo que está escrito aqui é referente a minha experiência, meu enxoval, minhas compras e claro, os valores do período em que eu viajei para comprar que foi agora, em maio de 2017.

enxoval nos eua vale a penaResumo da história: se você pode e quer ir aos Estados Unidos fazer o seu enxoval, sim, essa é uma viagem que vale a pena. Entenda que você vai comprar roupas e produtos para os próximos 12 a 18 meses e gastar uma grana forte de uma única vez. Provavelmente se fizesse o mesmo no Brasil, iria gastar mais dinheiro mas não seria de uma vez só e você poderia parcelar. Por isso, decidir se essa é uma viagem interessante para você depende muito de pessoa para pessoa, de cada casal, da disponibilidade financeira que vocês tem… tem que pensar bem, com calma, colocar todas as despesas no papel e ver se interessa pra vocês.

Se você não pode ou não quer fazer isso, não se preocupe. Você tem a vantagem de poder ir comprando as coisas aos poucos por aqui, parcelar tudo e gastar conforme a necessidade. Sim, algumas coisas aqui são mais caras, mas pelo menos você não terá a despesa da viagem, não precisará desapegar de uma grana alta de uma única vez e certamente poderá parcelar suas compras.

E vocês? O que acharam que valia realmente comprar aqui e o que valia comprar lá? Deixem aqui nos comentários e vamos ajudar as outras mamães que estão pesquisando sobre o assunto.