Não sei se já contei por aqui, mas Victoria mal nasceu e já tem sua primeira viagem internacional marcada #vicpelomundo Adoro! Vamos para os EUA no réveillon e para isso, comecei todo aquele processo de tirar passaporte, fazer cidadania, visto e etc.

Espero que ela curta ser uma pequena viajante como os pais são né… porque vai começar desde cedo! =)

O processo, no todo, foi bem mais simples do que eu esperava. Para tirar o passaporte dela foi bem tranquilo. Só precisei acessar o site da Polícia Federal e marcar a opção “Requerer Passaporte”. Nesse momento você vai preencher todas as informações necessárias e dados da criança, estar com a GRU paga (aquela taxa de R$257,25) e marcar a opção se a criança pode viajar apenas com um dos pais ou precisa dos dois juntos para realizar as viagens. Marquei “autorizando o menor a viajar com apenas um dos genitores, indistintamente”, assim ela pode ir só comigo ou só com o Alexandre sem precisar de toda aquela burocracia de autorização de viagem e etc.

Uma informação que eu não sabia é que a duração do passaporte para bebês e crianças pequenas é completamente diferente dos adultos. Até 1 ano de idade ele é válido por 1 ano, de 1 a 2 por 2 anos, 2 a 3 por 3 anos, 3 a 4 por 4 anos e acima de 5 ele já vale pelos 5 anos, como é o padrão. Ou seja: só vale tirar se você tiver uma viagem planejada mesmo.

Agora é a hora de separar a documentação e mandar ver. Você vai precisar de:

  • Certidão de nascimento original;
  • Identidade e CPF dos pais (ou passaporte);
  • Uma foto 5×7 com fundo branco, recente, colorida, sem data e sem nada que cubra o rosto do bebê (adultos têm a foto feita na hora, crianças menores de 3 anos precisam levar);
  • Protocolo e comprovante do pagamento da GRU;
  • Caso um dos pais não esteja presente no dia, uma autorização do pai ausente para a emissão do passaporte com firma reconhecida.
  • Caso já tenha feito, é importante levar o passaporte anterior.

(Foto do meu pacotinho para o passaporte | Nanda Castelo Fotografia)

É imprescindível que no dia do agendamento os pais estejam juntos com o bebê no ato da solicitação. Já para buscar o documento pronto, basta o menor de idade com um dos responsáveis.

Depois é só aguardar a emissão que costuma ser rápida (aqui no Rio leva no máximo 15 dias corridos) e buscar o documento pronto.

Viajar sozinha é uma coisa que pode assustar. Eu mesma nunca tentei, nunca tive coragem e nunca precisei. Mas como sei que essa é a realidade de muita gente, reuni aqui algumas dicas de como fazer a sua viagem ainda melhor quando se está sozinho.

  1. Abra a cabeça: Acho que o passo mais importante em uma viagem em que você está sozinha é abrir a cabeça a novas experiências, amizades, lugares… vá preparada para as novidades e esteja disposta a viver esse momento.
  2. Hospede-se em um hostel: Hotéis são confortáveis e bacanas, porém, quando você viaja sozinha pode acabar um tanto quanto entediada. Hospedar-se em albergues e hostels pode ser uma boa solução. Muitas pessoas estão viajando sozinhas, como você e será mais fácil conseguir companhia, conversar com alguém e até mesmo dividir gastos de passeios.
  3. Tenha em mãos telefones importantes: Esse dica serve para qualquer viagem, mas quando se está sozinha, todo cuidado é pouco. Tenha em mãos telefones e emails importantes como os contatos do seu seguro viagem, cartão de crédito, consulado do local que você está visitando e um cartão do seu albergue.
  4. Diga sempre onde você está: Mantenha sua família no Brasil informada das cidades, países e locais que você está visitando. Deixe com alguém um roteirinho da sua viagem com as hospedagem já reservadas, horários e dias de vôos, números de reserva e etc.
  5. Não exagere nas malas: Lembre-se que quando estamos sozinhas as coisas podem ser mais difíceis, por isso, seja comedida na hora de fazer as malas. Você pode precisar carrega-las sozinha em escadas, longas distâncias e pode até mesmo não ter onde coloca-las confortavelmente no hostel.
  6. Tenha uma cópia dos seus documentos no seu email: Pra garantir sua segurança e menos perrengues de viagem, tenha sempre no seu email uma cópia dos seus documentos de viagem, passaporte, dados de vôos, endereço de hotel…
  7. Cuidado com seu dinheiro: Mantenha seu dinheiro e cartões em lugares seguros e bem escondidos quando não estiverem com você. Confira sempre se o cofre não abre com a senha padrão 0000 e se deixar na mala, deixe escondido em lugares inusitados e claro, mantenha a mala super bem trancada.
  8. Não tenha medo: Viajar sozinho pode ser assustador, mas acredite, milhares de pessoas no mundo fazem isso e tudo corre bem. Seja cautelosa e informe-se sobre o local que você está visitando. Veja onde é e não é seguro, o que pode fazer, aonde pode ir e tenha sempre aquele pé atrás com pessoas nova. Não se feche para elas, mas fique ligada.
  9. Fique conectada: Se está insegura, permanecer conectada pode te dar mais tranquilidade. Compre um chip de internet e tenha acesso ao GPS, whatsapp e ao bom e velho Google. Isso vai te deixar mais tranquila e certamente mais informada.
  10. Aproveite. Curta. Viva!: Experiências como essas podem ser comuns na vida de muita gente, mas se você está lendo esse post é porque está disposta a viajar sozinha e curtir essa nova experiência. Então se jogue, aproveite, viva esse momento ao máximo. Tenho certeza que vai ser incrível!

Dicas dadas, agora é só comprar as passagens, embarcar e aproveitar! Na volta, me contem como foi a experiência, se as diquinhas ajudaram e claro, deixem uma mensagem motivadora(e as suas dicas, claro!) para o amiguinho que ainda não foi viajar sozinho, mas assim como você, está tomando coragem pra ir.

Como vocês acompanham por aqui, Victoria nasceu e assim como a mãe dela, corre nesse mini corpinho (agora) rechonchudo o sangue italiano. Aproveitei essa temporada da licença maternidade para dar entrada no registro dela como cidadã italiana e, em breve, fazer o passaporte europeu.

O processo é médio simples e começou antes mesmo dela nascer. Como eu queria fazer isso o quanto antes, quando estava com uns 7 meses de gravidez procurei uma pessoa para me ajudar a tocar todos os procedimentos. Achei que no meio da minha nova rotina seria mais fácil contar com a ajuda de uma pessoa que realmente entende do assunto.

Agendamos um horário pelo site para que déssemos início ao processo de registro civil no fim de agosto. Calculei que ela já estaria com mais de um mês e assim a nossa rotina já deveria estar um pouco mais certinha. Não deu outra e foi mais tranquilo me ausentar de casa por algumas horinhas.

Para da entrada na cidadania italiana de uma criança, você precisa de uma cópia com inteiro teor da certidão de nascimento do bebê e essa cópia precisa ser traduzida e juramentada por algum tradutor indicado pelo consulado. O processo de tradução até que é rápido, leva mais ou menos 10 dias corridos.

Além disso, você precisa levar os seis últimos comprovantes de residência (conta de luz, gás, telefone fixo) ou seu imposto de renda mais recente, alem do comprovante do agendamento. eu levei o meu passaporte italiano também, porque sou dessas que “vai que”. E foi ótimo porque a pessoa olhou o passaporte por conta da mudança de nome que eu tive por conta do casamento… mas se eu não tivesse levado teria dado certo também.

Chegando lá o processo é bem rápido. Ela é registrada na hora mesmo e três meses depois você já pode solicitar o passaporte italiano da criança. Ainda não cheguei nessa fase e sei que o procedimento é diferente, mas em breve faço post sobre o passaporte pra vocês.

Então, basicamente o processo para o registro civil da criança no consulado italiano é assim. Bem simples e fácil de fazer. Aqui no Rio, o que tem demorado mais é o agendamento… portanto, organize-se para agendar com antecedência e prepare a documentação. Lembre-se que precisa pagar e emitir as certidões com inteiro teor, precisa pagar e mandar traduzi-las e esperar o agendamento.

Consulado Italiano no Rio
Av. Pres. Antônio Carlos, 40 – Castelo/Centro
Telefone: (21) 3534-1315
http://www.consriodejaneiro.esteri.it/Consolato_RioDeJaneiro/pt

Há alguns anos tenho cultivado o vício hábito de viajar no final do ano, entre Natal e Reveillon. Então, consegui reunir alguns destinos bem bacanas para quem quer passar a virada fora do Brasil, e claro, algumas dicas para cada um desses casos.

Sei que falar sobre reveillon em agosto pode parecer precoce, mas acreditem, não é! Se você pretende viajar pra curtir essa data, pode começar a pensar no seu destino e organizar sua viagem.

Mas antes de começar a falar sobre isso, acho importante esclarecer uma coisa… cada país tem uma cultura diferente, por isso, as festas e comemorações são bem diferentes umas das outras. Nem sempre as pessoas se vestem de branco, a comida não precisa ser super específica, nem todo mundo pula onda ou joga lentilha pro alto… O primeiro passo para um bom reveillon fora do Brasil é entender que cada lugar é diferente do outro e isso faz da virada tão especial. Sabendo disso, você já está preparado para curtir muito a sua viagem da virada.

Paris | 2011

Sabe um sonho antigo, Paris no reveillon era isso pra mim. Sempre quis conhecer a cidade luz na virada do ano. O frio não me importava, os dias cinzas e curtos também não. Eu queria ver uma Champs Elisee lotada de gente, explodindo em fogos, com muito champagne francesa estourando… #fail. Paris no reveillon não é nada disso gente. hahahaha Eu amei minha virada, não entendam mal, mas não teve absolutamente nada disso que eu falei. As ruas fecham e lotam, mas não tem queima de fogos nem na Champs Elisee nem em nenhum lugar próximo (pelo menos não teve no ano que eu fui) e as bebidas alcoólicas são proibidas na rua. E acreditem, eu ate levei uma garrafa de champagne e consegui beber um pouquinho burlando a regra e a blitz de policiais que estavam revistando todo mundo. Comecei minha virada na rua e terminei em uma festa super bacana do Buddha Bar. Valeu a pena!
(Na Champs Elysee um pouco antes da virada!)

Las Vegas | 2012

Depois de não conseguir tudo que eu imaginava em Paris, resolvi experimentar Vegas, a cidade que nunca dorme. Aqui, assim como em Paris, não vi queima de fogos e pra falar a verdade, nem sei se tem/teve, acho que sim. Apesar da Strip fechar para os carros e os pedestres tomarem conta, fica meio muvucado demais, por isso, optamos por ir para uma festa em uma boate. Foi divertido, afinal, estavamos em Vegas baby! A maior dica aqui é: avalie as opções e compre seu ingresso da festa de reveillon com muita antecedência. Eles esgotam rápido e ficam cada vez mais caros. Se você não é do tipo party rock, não se preocupe, Vegas também oferece opções mais calmas, como jantares deliciosos em seus muitos restaurantes.

(Na boate Pure… um pouco antes da meia noite e um pouco depois de vários drinks! hahaha)

Veja o post completo aqui.

Punta Cana | 2013

Quer coisa melhor do que passar a virada do ano de frente para aquele mar azul lindo de morrer? Em Punta Cana é assim. Fui em família e optamos por ficar na festa do nosso hotel. Como era de se esperar, uma festa simples e sem muito luxo, porém com um jantar delicioso, fogos e animação. Para os mais jovens e animados (not me!), tinham outras opções como curtir as festas e shows em outros hotéis como o Hard Rock, por exemplo. No meio da noite, nós acabamos saindo da festa do nosso hotel e indo pela areia para a festa do Paradisus, nosso hotel vizinho, que estava suuuper animada. Esse esquema reveillon na praia é maravilhoso né? Sempre uma boa opção para quem quer aproveitar a viagem da virada para relaxar.

(Não achei fotos da noite do reveillon… por algum motivo que devo agradecer a Deus! hahah)

Veja o post completo aqui.

Porto | 2014

Acho que já deu pra perceber que eu curto muito viajar no Reveillon nem que seja para curtir um friozinho né?! Primeiro Paris, depois Vegas e agora Porto, em Portugal. A virada do ano no Porto me lembrou muito Copacabana. Passamos a virada de fato na praça principal da cidade, onde há uma grande concentração de pessoas, queima de fogos, shows… bem muvuca e ao mesmo tempo bem legal. Diferente de todos os outros reveillons que já passei fora do Brasil. Um pouco depois da meia noite e meia, fomos caminhando para a beira do Douro, onde estava acontecendo uma festa de reveillon. Compramos os ingressos um dia antes, no próprio lugar da festa e foi ótimo. Boa bebida, gente bacana (de todas as idades), musica animada… Valeu super a pena!

(Na festa de reveillon que fomos em um casarão na margem do Douro)

Veja o post completo aqui.

Varadero | 2016

O reveillon em Varadero foi bem similar ao reveillon de Punta Cana. Sabe aquela festona de hotel, com comida internacional e música latina? Então… Enquanto no Brasil temos o costume de passar a virada com o pé na areia e pulando ondas, por lá, eles organizaram uma super festa na beira da piscina. Não teve queima de fogos, mas teve DJ, show, banda, contagem regressiva… foi super animado. Para os que gostam de música latina, a noite deve ter sido perfeita. Para a gente terminou cedo pois voltamos para o Brasil no dia seguinte e queríamos acordar cedo para aproveitar um pouco mais da praia antes de partir. Ainda assim curti bastante. A dica aqui é reservar com a maior antecedência possível a sua ceia do reveillon em um dos restaurantes que o hotel oferece, assim, garante um bom jantar num horário que seja bacana para você. (Como tem muitos europeus por lá, eles costumam fazer um jantar às 18h30 e outro às 20h30).(Logo depois de meia noite, na beira da piscina do hotel, onde estava acontecendo a festa da virada!)

Veja o post completo aqui.

Bom, esses foram alguns lugares pelo mundo em que já passei o reveillón. Não necessariamente são lugares de festa, mas são lugares legais para ir com os amigos, família, para descansar ou para curtir. Cada um com suas particularidades e seu estilo.