Esse fim de semana fiz um programa que eu amo, mas que por algum motivo inexplicável não faço tanto quanto eu gostaria: tomar café da manhã em um lugar diferente. Como foi aniversário de uma amiga, ela escolheu ir no Empório Jardim que fica dentro do Instituo Moreira Sales, na Gávea.

Há muitos anos atrás eu tinha ido até o local passear e ver uma exposição, mas acho que na época nem tinha ainda a possibilidade de tomar café da manhã por lá. Chegamos relativamente cedo, 9h50, e o local abria às 10h. Como estávamos sem reserva foi o timing perfeito. Conseguimos mesa com tranquilidade. Mas a primeira dica já fica aqui: reservem antes de ir e peçam uma mesa na área externa que é muito mais agradável.

O Empório Jardim assumiu a cafeteria a pouco mais de 6 meses e na minha opinião já fez um ótimo trabalho. Achei o atendimento bacana e as comidas estavam deliciosas. Lá, funciona meio que em um esquema “cartela”. Você vai marcando o que você quer e eles vão trazendo conforme você solicita.

A variedade de comidinhas é enorme. Inclusive funciona bem para quem tem interesse em fazer um brunch por lá, por mais que as comidas sejam mais de café da manhã, no cardápio você encontra drinks mais suaves como mimosa e Aperol.

No geral achei um programa muito bacana e que vale a pena ir. Boa comida, ambiente agradável e preço justo. Não é o lugar mais barato do mundo, mas ainda assim 80% das coisas tem um preço honesto. Ah! Se você estiver com crianças e bebezinhos, vai adorar… o ambiente é super kids friendly e na área externa do café tem bastante espaço para estacionar seu carrinho de bebê e passear com seu filhote no meio das árvores do local.

Empório Jardim no Instituto Moreira Sales
Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea.
(21) 3284-7424
Estacionamento gratuito no local.
Das 10h às 20h.

Outro dia recebi um pacotão mara de coisas da assessoria da N21, aquela marca super bacaninha que é vendida exclusivamente na Drogasmil, Tamoio e Farmalife. Entre as mil makes que eu recebi estava essa água micelar e esses discos de algodão. Obvio, que não pensei duas vezes e corri para testar né!?

Estou usando há um mês sem parar, seja para tirar a maquiagem no final do dia ou para dar aquela limpadinha mais profunda depois do banho. Fiquei muito satisfeita nos dois casos. Ela funciona bem pra limpar a pele e tirar a maquiagem e também é ótima para dar aquela finalizada na pele depois de lavar o rosto.

(Depois de lavar o rosto com sabão, ele ainda remove as impurezas mais profundas)

Se eu estiver usando uma maquiagem mais básica, de dia a dia, um disco úmido resolve o problema. Uso ele frente e verso e ele consegue remover a maquiagem toda. Bem bom. Ou seja, você não precisa nem de muito algodão e nem de muito produto para conseguir um bom resultado. Ponto para a aguinha.

Com relação ao disco de algodão, gostei muito do fato dele ser macio e não se desfazer ou “soltar os fios”. Já usei alguns que depois de molhados começam a se despedaçar e outros que soltam fios. Bem desagradável. Esse é exatamente o oposto. Ele é super macio e fica intacto mesmo depois de molhado com o produto.

No geral fiquei muito satisfeita e recompraria tanto a água quanto o algodão. Inclusive, estou pensando seriamente em comprar lotes desses discos de algodão para os primeiros meses de vida da Victoria. Acho que deve ser melhor usar isso que aquelas bolinhas né?!

Onde comprar? Ganhei da assessoria, mas vende na na Drogasmil, Tamoio e Farmalife.
Quanto? Água micelar: R$25,90 | Discos de algodão: R$5,90.

02
maio 2017

Yummy Tip: Azur

onde comer com vista no rio azur leblonTaí uma dica ótima para turistas, cariocas, gringos e pessoas que gostam de comer bem. Conheci o Azur há dois finais de semana e me encantei. Ele é mais um dos quiosques renovados da praia do Leblon, porém, com um diferencial: ele tem sua cozinha assinada por um renomado chef de cozinha. Pedro Artagão, o responsável pelos comes e bebes servidos no Azur, é também o dono de outros grandes nomes da culinária carioca como Irajá Gastrô (aquele do melhor e mais famoso bolo de chocolate do Rio), Formidable Bistrot e Cozinha Artagão. Sabem o que isso significa? Um lugar de muito boa comida!

Fui almoçar lá despretensiosamente depois de um pulinho na praia e que programa gostoso. Tão bom que voltei na Páscoa com a família. O local, nas duas ocasiões, estava cheio, claro, mas logo conseguimos uma mesa para sentar e começar a farra. O atendimento foi ótimo. Desde o momento de espera do lado de fora do quiosque até lá dentro quando já estávamos comendo. Todos, sem exceção, foram muito prestativos e eficientes. Exatamente, como eu acredito que tenha que ser o atendimento de um bom restaurante.

onde comer com vista no rio azur leblon onde comer com vista no rio azur leblonO cardápio é bem brasileiro e oferece muitas opções com frutos do mar. As comidinhas de balcão são carinhas, mas muito gostosas. Experimentamos os pasteis de siri, camarão e palmito (R$14/cada) e todos estavam ótimos. Para os pratos principais, escolhemos moqueca de peixe (R$140) e bobó de camarão (R$160), eu comi um pouco dos dois e posso falar, estavam deliciosos.

Só não vou dizer que achei os pratos caros, porque eles serviram muito bem 3 pessoas, ou seja, dividimos os dois pratos por seis pessoas e saímos todos muito satisfeitos. Em geral os pratos acompanham arroz branco, farofa de dendê e pirão. Os acompanhamentos são pequenos, mas os gentis garçons nos trouxeram aquele reforço quando o acompanhamento acabou sem cobrar a mais por isso. Mais um ponto para o restaurante.

onde comer com vista no rio azur leblononde comer com vista no rio azur leblonA carta de vinhos foi uma das únicas coisas que achamos que era um ponto negativo do lugar. Os vinhos são caros. O mais barato custa R$128. Sei que talvez a ideia do quiosque não seja receber jovens beberrões de vinho, mas podiam pesar um pouco menos a mão no preço das garrafas para segurar um pouco mais a clientela do almoço por lá… Fica ai a dica! hehehehe

Outro ponto negativo que pode facilmente ser mudado é a música que toca por lá. Na primeira vez ela incomodou pouco, mas na Páscoa estava nas alturas e tocando uma música meio bate-estaca, super nada a ver com o clima e com o ambiente do lugar.

Resumo da história: valeu muito a pena conhecer o Azur, experimentar a deliciosa comida e fazer esse programa tão gostoso. Espero que os governantes do Rio vejam como os cariocas são carentes de locais assim e continuem reformando e expandindo os quiosques da orla, da Lagoa Rodrigo de Freitas e criem mais áreas com espaço para uma boa comida e um ambiente super agradável com esse (aliás, o Jardim de Alah está alí doido para ser mais bem aproveitado hein!). Aprovadíssimo!

Serviço:
Quiosque Azur
Av. Delfim Moreira, S/N, Posto 11 | Leblon.

Contei pra vocês no video de compras da viagem que uma das aquisições que eu fiz na Europa foi o shampoo Oh So Straight, do Phil Smith. Já conhecia a marca e já tinha testado alguns produtos como o serum da mesma linha. Então, quando vi o shampoozinho na prateleira da Poundsland por míseros £1, não resisti! hahahaha

Tô usando o shampoo desde o momento em que comprei ele durante a viagem e já percebi algumas coisas nele: ele limpa muito bem apesar de não fazer muita espuma. O que pra mim é um ponto positivo e um ponto negativo. Ele não é o tipo de shampoo que hidrata o cabelo, mas ao mesmo tempo acho que nem é essa a função dele. E por último, acho que ele atua pouco no que ele se vende, que é “abaixando” os fios. Pessoalmente, sempre que uso tenho a sensação de que o meu cabelo ta menos liso que antes, sabem!? Fico com vários fios arrepiados e uma sensação meio de cabelo despenteado, sei lá.

No geral, não foi um shampoo que eu amei e eu não vou recomprar. Ele limpa bem, mas não faz o que promete. Não que seja um shampoo ruim, entendam, mas para o meu cabelo não funcionou tão bem. Então, não amei.

Onde comprei? Na Poundsland, mas achei pra vender aqui.
Quanto? Paguei £1, mas achei aqui por R$49,90.