30
ago 2017

1 mês de Victoria

Vic completou um mês no último dia 10 de agosto e aproveitei que hoje é meu aniversário (eeeeeeee, parabéns pra mim!) para postar as fotos que a Nanda Castelo fez do primeiro mês dela.

Pra quem não sabe, a Nanda, é mãe da Mariah e da Amora, duas fofas que tem (quase) 4 anos e 9 meses respectivamente. Além de uma super mãe, a Nanda é fotógrafa e topou fazer as fotos de todos os meses da Vic. Nos conhecemos na internet e ontem conseguimos nos conhecer na “vida real” e colocar em prática as fotos que começamos a programar quando eu ainda estava com 11 semanas de gravidez.

Fizemos as fotos ontem com um atrasinho de alguns dias e valeu muito a pena. Estou completamente apaixonada pelo resultado e já satisfeita com essa ideia de fotografar todos os meses para registrar o crescimento (muito rápido) da pequena.

Aproveitamos que ela estava aqui e fizemos algumas fotos minhas com a Victoria. Outra recordação maravilhosa né?! Afinal, há pouco mais de um mês ela estava na minha barriga e eu estava naquela ansiedade de como seria o rostinho dela, o parto… Agora, teremos o registro mês a mês dessa transformação.

 

Quem quiser conhecer mais o trabalho da Nanda pode ver o site dela. Aliás, mamães, recomendo muito que vocês sigam ela no instagram também. Além de fotos lindas ela dá várias dicas bacanas pra quem tem filhos e fala sobre comidinhas, looks, achados e etc. Eu adoro!

Fotos: Nanda Castelo Fotografia

Já começo esse post me desculpando por ter demorado tanto a postar esse video. Victoria já nasceu, já tem um mês e eu tô aqui postando sobre o 6o e o 7o meses. Depois já me desculpo por ter juntado dois meses em um, mas atrasei tanto para gravar o 6º mês que acabou sendo melhor fazer dessa forma.

Nesse video contei como foram/estão sendo esses meus últimos meses de gravidez. Foi super legal falar sobre esses meses que passaram, principalmente, porque foram os meses que eu comecei, de fato, a me sentir grávida de verdade. E um pouco depois disso a Victoria nasceu. Pra quem não viu ainda, contei um pouco sobre o parto dela aqui.

Edição: Julia Zettel (juliamzettel@gmail.com)

E ai? Curtiram? Entenderam porque só no finalizando eu comecei a me sentir grávida de verdade? Esses foram meses muito agitados e de muita mudanças reais na minha vida e no meu corpo, então, deu pra sentir a gravidez de fato, deu pra saber que era pra valer e foi quando eu comecei a ficar ansiosa com a chegada da Victoria! =)

Espero que vocês tenham gostado desse vídeo e me perdoem pelo atraso e pela falta de continuidade. hahahaha Vocês vão ver que no video acho que vou fazer outros! hahahah #tolinha E claro, não esqueçam de curtir apertando o joinha e de se inscrever no canal. Quem tá inscrito assiste sempre primeiro.

Para ver o video do 5º mês, clique aqui.
Para ver o video do 4º mês, clique aqui.
Para ver o video do 1º trimestre, clique aqui.
Para ver o video onde contei pra todo mundo que estava grávida, clique aqui.

Eles surgem e transformam completamente nossas vidas! Ao nascerem, nasce em nós um amor inimaginável e todos os momentos passam a ser especiais (mesmo os mais inconvenientes). Seja menino, seja menina, seja mais de um, os bebês são verdadeiros “derretedores de coração” 😀 e enchem a nossa casa de alegria.

Como eles crescem (muito) rápido, o tempo parece voar e a dica é fotografar sempre que rolar uma pausa entre uma fralda e outra. Será uma tarefa divertida registrar algumas imagens do seu bebê, e ainda melhor quando rever as fotos e relembrar das histórias, dos detalhes, do cheirinho de neném.

– Os primeiros 15 dias

Os 15 primeiros dias de vida costumam ser os mais aconselháveis para fotografar com mais autonomia, diria, ainda, que o ideal seria do 7º ao 14º dia de vida, mas varia de criança para criança. Nesse período, os nenéns ainda estão bastante sonolentos e por isso fotografá-los dormindo deixa tudo mais íntimo.

Use a criatividade e abuse dos proprios sempre que possível, use acessórios e tenha em mente de manter o ambiente sempre quentinho e o mais confortável possível para a segurança do bebê.

Prefira fotografar em casa e prepare o ambiente, o fundo (vale até mesmo usar luzes de natal e desfocar bastante como fundo), escolha cores neutras e os objetos mais especiais (como o primeiro brinquedinho, o primeiro sapatinho…). Acredite na luz natural mas use uma lâmpada de apoio (com certa distância do neném) caso sinta necessidade.

Tenha sempre muita atenção ao que for utilizar, prefira roupinhas e cobertores de tecido macio e cuidado com a superfície onde apoiará o(a) pequeno(a), ela deve ser firme, não escorregadia, e ser feita de materiais que não contenham farpas nem nada cortante.

NUNCA tente fazer poses acrobáticas com seu bebê sem a ajuda de profissionais. Válido lembrar de ter muito cuidado com a cabecinha dele, que é a parte mais sensível do seu corpinho. Prefira sempre poses reais à poses criadas.

– Depois de 15 dias

Registre partes do corpo como o tamanho da mãozinha, do pé, os tufinhos de cabelo, a boquinha, o umbiguinho, as dobrinhas dos braços e das coxas. Aproveite um tempo juntinho do seu bebê e curta apreciar e fotografar esses detalhes, veja o quão pequenino(a) ele(a) é diante de você.

07
ago 2017

Bem-vinda Victoria!

parto victoria coisas que amamos parto nathalia tosto10 de julho, o dia mais especial da minha vida. Acho que falar isso pode parecer clichê, se bobear até é mesmo. Mas foram 9 meses esperando por esse dia, 9 meses esperando pra ver a sua carinha, 9 meses com medo (bobo eu sei) do parto e desse momento, 9 meses com as emoções à flor da pele e a ansiedade a mil, 9 meses de espera por você!

Bom, mas antes de começar (ou de terminar) as declarações de amor vou contar pra vocês como foi o meu parto e como tudo aconteceu no tão esperado dia do nascimento da Victoria.

Acordei na 2ª feira, dia 10 de julho, como um dia normal. Estava planejando fazer algumas coisas do blog, cortar os cabelos e preparar umas comidas pra deixar congeladas pro meu período pós parto. Após a primeira ida ao banheiro, imaginei que os planos poderiam mudar. Um pequeno sangramento me deixou alerta e fez com que eu e Alexandre fossemos parar no consultório do obstetra.

parto victoria coisas que amamos parto nathalia tostoApós identificar que a minha bolsa tinha rompido na parte de cima (sim, Victoria MMA provavelmente fez algum movimento mais brusco e rompeu a bolsa no alto, por isso, não teve aquele dramalhão de cinema de água caindo para todos os lados e deixando todos a postos para ir para o hospital), saímos do consultório do obstetra direto para o hospital. Já tinha colocado as coisas da maternidade no carro afinal, sou virginiana e prefiro estar sempre preparada para o que der e vier.

Chegando lá o processo foi rápido. Fizemos a internação, avisamos aos familiares e em pouco tempo eu já estava a caminho da sala de cirurgia. Tudo aconteceu de forma tão calma e tão tranquila, muito diferente do que eu havia imaginado. Não fiquei com medo, não fiquei
tensa, não chorei (antes da hora), nada. Foi uma experiência bem legal e diferente do que eu imaginei.

Do momento em que começaram a fazer a cesárea até a Victoria nascer, foram poucos minutos. Me lembro da emoção e da alegria, do chorinho dela, do momento em que o pediatra disse que ela estava bem e era perfeita, mas lembro principalmente do momento em que ela se acalmou quando colocaram ela no meu colo e tivemos nosso primeiro contato. Foi a maior emoção do mundo. É realmente inexplicável. (Olha ai, mais um clichê!)

parto victoria coisas que amamos parto nathalia tosto
(Bem inchadinha ainda, no dia seguinte que nasceu!)

Antes que comecem as perguntas: sim foi cesárea. Não, não era minha primeira opção. Na minha situação não tínhamos nem como tentar normal, eu não entrei oficialmente em trabalho de parto, não tive dilatação e ela estava muito alta. Eu também não era/estava uma normal-maníaca. Se rolasse, ótimo. Se não rolasse, tudo bem também.

Bom, de lá pra cá aprendi a amar incondicionalmente, aprendi que chorar faz parte (tanto pra ela quanto pra mim), aprendi que o puerpério é real e atinge todo mundo, aprendi que baby blues existe, aprendi que dou conta e sou muito mais capaz do que eu podia imaginar, aprendi que levar pontos é mais fácil do que ouvi-la chorar, aprendi que em apenas 20 dias de vida dela já aprendi mais do que em 31 anos da minha vida.

Bem-vinda Victoria. Bem-vinda meu amor!