Ler mais já foi uma das minhas metas de início de ano, há 2 ou 3 anos atrás tracei isso como meta e na época me lembro da frustração de não ter conseguido cumprir. Com a chegada da Victoria, acabei mudando o meu gosto pela literatura informativa e hoje em dia leio muito mais do que antes, mas dessa vez assuntos focados em educação e maternidade (falei sobre isso aqui).

Pensando nisso, e no quanto eu quero retomar o hábito da leitura por prazer, conversei com Pedro Pacífico, o responsável pelo badalado instagram de leitura @book.ster, que topou ser o entrevistado de hoje aqui no CqA e contou pra gente um pouco mais sobre leitura, sobre como ele entrou nesse mundo das redes sociais e como se vê hoje como um “influenciador” de leitores .

O que você recomenda para quem quer criar o hábito da leitura? Aquela pessoa que diz que não tem tempo, que não lê nada desde os tempos da escola…

Na minha opinião, o segredo para criar o hábito da leitura é incluir essa atividade no seu dia a dia. Ou seja, o hábito da leitura é um hábito diário. Se esforce para ler um pouco todo dia e, com isso, você vai criando esse hábito aos poucos. Depois de um tempo, vira automático, você não consegue mais ficar um dia sem ler. Ah, quando eu falo para ler todo dia, não significa ler 50 ou 100 páginas, mas ler um pouco mesmo, ao menos 3/5 páginas. Assim, você não perde o ritmo, nem o “fio da meada” dos livros. Um dos grandes responsáveis pelo abandono das leituras é aquela mania de ficar alguns dias sem ler… Quando você vai pegar o livro de novo, você já não lembra onde tinha parado, o que aconteceu na história, e acaba desanimando.

Você tem uma meta de livros/ano? Quantos já leu até hoje?

Apesar de achar que metas podem ser uma forma de incentivar a leitura, temos que tomar cuidado para que ela não torne esse hábito uma competição. Sempre falo que o importante não é a quantidade de livros lidos, mas sim a habitualidade da leitura. Na verdade, quantidade é muito relativo, pois depende do número de páginas, da densidade de determinada obra… Em 2018, já li 38 livros.

Você pode citar 5 livros que considera imperdíveis (na sua opinião)

São MUITOS. Mas vou dar alguns exemplos de livro que marcaram o meu amadurecimento como leitor:

1 – Capitães da areia, Jorge Amado (aqui)
2 – O estrangeiro, Albert Camus (aqui)
3 – A revolução dos bichos, George Orwell (aqui)
4 – O sol é para todos, Harper Lee (aqui)
5 – Memórias do subsolo, Fiódor Dostoievski (aqui)

Tem alguma dica para o livros fluir mais e melhor? Para a leitura no travar? E se travar? Pode abandonar?

Pode abandonar sim, hehehe. Tem tanto coisa boa para ler, então não vale perder tempo com livros que não gostamos. E não é porque um livro é amado pela maioria, que também será amado por você. Para melhorar o ritmo e evitar que você canse de uma obra, recomendo ler mais de um livro ao mesmo tempo. Ao alternar a leitura, você dificilmente vai ficar empacada em alguma delas. Ah, e para não confundir as histórias, escolha livros de gêneros e com temáticas diferentes.

Você já abandonou algum livro por achou chato demais?

Sim, alguns! Por exemplo, O pintassilgo, Donna Tart. Mas tem muita gente que ama… Como costumo dizer, a leitura é uma experiência individual e que vai despertar um sentimento diferente em cada leitor.

Em que momentos do dia você gosta/consegue ler? Acho que o fator tempo é um grande problema pra muita gente.

Leio antes de dormir. Separo 30 minutos à 1 hora por dia.. Isso já está ótimo! O problema é que hoje em dia perdemos MUITO tempo mexendo no celular e redes sociais…

Quando o book.ster começou a fazer sucesso e você se tornou “uma celebridade” dos livros na internet? A sua intenção era essa?

Hahaha, não me considero uma celebridade, mas fico feliz que a página está crescendo e, principalmente, pela interação com os seguidores. Sou um leigo na área e comecei a ler mais quando passei a seguir perfis literários há cerca de 3 anos. A partir disso, percebi que se eu também fui influenciado a ler mais e a ler livros que antes não teria “coragem” de ler, qualquer uma também poderia ler. Recebo muitas mensagens agradecendo pelo incentivo e contando sobre como a pessoa voltou (ou criou) o hábito diário da leitura. Criei o instagram sem qualquer pretensão… O único objetivo era ter um espaço para poder falar sobre os livros que lia, já que no meu dia a dia esse assunto era muito pouco falado. Hoje, já mudou bastante.. todo mundo quer falar comigo de livros agora, hehehe, mas sei que a grande maioria das pessoas ainda sente essa falta de espaço para debater a literatura.

Quais os benefícios que você vê na leitura?

Inúmeros… Leitura é uma atividade prazerosa, que relaxa e consegue transportar você para outras realidades. É um tempo que você tira para você e é um conhecimento adquirido para sempre.

Você poderia dar 5 dicas para as pessoas que querem manter, criar ou retomar o hábito da leitura?  

– Leia todos os dias;
– Comece por gêneros que te agradem mais;
– Não tenha medo dos clássicos;
– Tente ler mais de um livro ao mesmo tempo;
– Não fique criando metas impossíveis – a leitura é para ser uma atividade prazerosa, e não uma obrigação.

Quem ai não chegou nesse ponto do texto e ficou morrendo de vontade de começar a ler mais, participar das resenhar, traçar metas…? Eu assumo, que desde o dia em que o Pedro respondeu as perguntas eu me “obriguei” a retomar meu hábito da leitura e estou adorando. Já peguei livros que estavam aqui empilhados juntando poeira esperando a minha disposição e já comecei outros que eu queria muuuuito ler mas “não tinha tempo”.

Nessa brincadeira já criei uma organização pra mim, coloquei uma ordem nos livros que quero ler e estabeleci um esquema de ler um livro de ficção + um livro de não ficção ao mesmo tempo. Assim não misturo os assunto, não canso e consigo dar continuidade a leitura. Vamos ver quantos eu consigo ler até o final do ano?

Espero que esse post motive vocês tanto quanto eu fiquei motivada. Obrigada Pedro, pela entrevista e pela inspiração! =)

Desde que eu estava grávida retomei um hábito que infelizmente andava meio de lado: o da leitura. Como sou meio nerd, acabo querendo estudar e pesquisar tudo aquilo que me interessa ou me envolve em determinado momento. E a gravidez/maternidade era a bola da vez naquele momento.

Não deu outro, leitura é mesmo um hábito e depois que você começa, pronto, só para por falta de tempo. Por conta disso, fiz uma seleção variada de livros que eu li e recomendo para quem está nesse mundo louco da maternidade ou para quem vai entrar nele.

Como as crianças aprendem: Foi o último livro que li e estou encantada. Ele é super interessante para nos mostrar que as crianças entendem tudo que a gente fala, que é super importante a gente se comunicar com elas. E claro, mostra por A+B a importância da educação e da forma de educar no sucesso da criança. Meu deu vários insights e abriu a minha cabeça para muitas atividades educacionais. Curti muito! (Acho super válida a leitura também para quem não tem filhos para trabalha com educação, pedagogia…). Compre aqui!

 

60 dias de neblina: Esse livro é maravilhoso em qualquer momento da maternidade. Seja na gravidez, seja no puerpério, no pós parto, quando você acha que tá fazendo tudo errado, quando você se culpa por cada problema, quando você acerta e se sente incrível… Mães, leiam esse livro! Ele desmistifica várias questões da maternidade, ele te mostra empatia ao invés de julgamentos, ele faz chorar, faz rir… É realmente incrível! Compre aqui.

Meu Filho Não Come: Livro escrito por um dos mais renomados pediatras do mundo, Dr. Carlos Gonzales. É fundamental para quem tem bebês e crianças que comem mal, são seletivos ao extremo, chatinhos ou não comem. Ele acalma os nossos corações de mãe/pai e explica um pouco sobre isso, sobre como proceder, porque isso acontece… Vale a leitura. Compre aqui.

 


Crianças Dinamarquesas: O que as pessoas mais felizes do mundo sabem sobre criar filhos confiantes e capazes. Depois de muitas pesquisas os autores desse livro chegaram a conclusão de que os dinamarqueses educam os filhos de forma que geram um resultados poderoso: crianças felizes, emocionalmente seguras e resilientes, que se tornam também adultos felizes. E o livro mostra um pouco disso, como eles fazem, o que eles fazem e claro, como nós podemos fazer. É interessante pra abrir a cabeça da gente. Pra pensarmos um pouco fora ada caixinha. Compre aqui!

 

Acho que essa foi a minha seleção mais recente de livros. Certamente com o passar do tempo, dos anos, das fases da vida da Victoria eu vou acabar lendo outros livros, sabendo de outros títulos que valem a pena e vou compartilhando com vocês.

Quem quiser ler mais sobre gravidez e maternidade em si, já falei sobre alguns outros que li quando estava grávida aqui. Inclusive sobre o famoso “Crianças francesas não fazem manha”.

Desde que a Victoria nasceu, faço o esforço de ensinar a ela a importância dos livros. Sempre que posso compro livros novos pra ela, paramos na livraria para ela olhar as coisas, tocar, sentir novas opções e desde sempre faço questão de estimular esse contato.

Não tenho dúvidas de que está funcionando. Se tem uma coisa que ela curte nessa vida são os livros. De qualquer cor, tamanho, estilo, modelo… ela abre, fecha, passa a mãozinha… adora de verdade! Pensando nisso, fiz uma pequena seleção de alguns modelos que acho que ela gosta e de outros que acho que pode vir a gostar no futuro ou que podem ser importantes de alguma forma para ela.Acho que aqui consegui reunir uma variedade legal de títulos e dar alguma ideia para as mamães que querem estimular seus bebês mas ainda não sabem como.

Os livrinhos de banho, por exemplo, aqui em casa nunca entraram na banheira. Como Vic está (há algum tempo) na fase de colocar tudo na boca, deixo os livrinhos de banho no dia a dia dela. Assim ela pode pegar, morder, apertar… e estar sempre em contato com eles.

Os livros de papel, deixamos para ler na hora da rotininha de dormir. Sim, desde que ela nasceu ela tem uma rotina na hora de dormir e ler um livrinho faz parte desse procedimento. Então, pegamos um livro lemos, guardamos e vamos para a cama. E assim se passaram 9 meses entre erros e acertos, mas acima de tudo muitas tentativas e estímulos.

Espero que vocês tenham curtido esse post, e claro, compartilhem com as amigas, amigos, mamães e papais que podem gostar de ler sobre o assunto também! =)

Sei que o que vou falar aqui não é muito novidade para ninguém, principalmente para as gravidinhas de plantão, mas como entrei nesse mundo recentemente e estou adorando as “novidades” resolvi compartilhar com vocês dois livros que eu estou lendo no momento e o que eu estou achando de cada um deles.

A Encantadora de Bebês: “O livro ensina como os pais devem agir com os seus filhos, desde as primeiras semanas de vida até os primeiros anos da infância. Apresenta técnicas que, além de facilitar o dia-a-dia dos pais de primeira viagem, acalmam os bebês e esclarecem dúvidas sobre a criação de crianças pequenas. Depois de lidar com mais de 5 mil crianças, neste livro Tracy ensina, de forma bem-humorada, a administrar ataques de cólicas, saber se a criança comeu o suficiente, por que o bebê não dorme direito, entre outras questões que afligem os pais. Além disso, ajuda a elaborar métodos para fazer com que os pequenos adquiram padrões regulares de sono, comecem a treinar o uso do vaso sanitário e evitem más-criações”.

Realmente o livro é meio que um beabá de criação dos filhos. Tracy sinaliza os tipos de bebês, como lidar com cada um deles, as mais variadas situações com filhos… Pessoalmente, estou achando o livro bem interessante. Gosto da forma como ela escreve, é didático mas ao mesmo tempo de leitura super leve. Ou seja, você lê, lê, lê e quando vê passaram 100 páginas e você não percebeu. Gosto disso.

Resultado de imagem para a encantadora de bebes(Foto fofa retirada do f-utilidades!)

Concordo em gênero, número e grau em várias coisas que ela fala com “não se deve deixar o bebe chorando para que ele aprenda”. Estou totalmente de acordo com essa frase. Algumas outras coisas, acho que só vou poder concordar ou discordar depois que a Victoria nascer e a minha criação começar de fato.

No geral, achei válido ler o livro. Dá uma sensação boa de preparo para o que vem pela frente. Sabe quando você chega numa prova tendo estudado a matéria completa? Então, é assim que eu me sinto. hahahahaha #nerd Se você tem tempo e paciência para estudar sobre o assunto, leia. Acho que você vai gostar.

Encontrei pra vender aquiaqui, aqui, aqui e aqui. A partir de R$60,21.

Crianças Francesas não Fazem Manha: “Uma jornalista americana vivendo em Paris resolve investigar quais são as diferenças na criação das crianças francesas que fazem com que elas pareçam tão mais calmas e educadas que as crianças americanas. Nos anos em que vive em Paris, Pamela engravida e passa a criar seus próprios filhos com algumas das premissas francesas de educação infantil. Ali, ela se percebe dividida entre seus próprios conceitos e aqueles adotados por essa nova cultura da qual ela e a família passam a fazer parte”.

Assumo que o livro não empolga muito. Dá um soninho e tem uma escrita que não ajuda muito, acho que por isso mesmo ainda não terminei de ler. Mas a ideia de entender a criação de crianças em outros lugares do mundo me enche os olhos. Vejo como nós, brasileiros, somos diferentes nesse quesito.

Resultado de imagem para crianças francesas não fazem manhaO que eu achei é que o livro é um pouco exagerado demais. Os franceses são endeusados por controlarem seus filhos, enquanto os americanos são taxados como péssimos pais por terem uma conduta completamente diferente. Concordo com muitas coisas que são ditas no livro, mas outras muitas me questiono inclusive se eram necessárias estar ali para alguém ler, de tão sem noção, na minha opinião, que são.

Pessoalmente, gosto de ler exatamente para conseguir distinguir o que acho legal aplicar e o que acho que não combina comigo e com o meu estilo de criação (ou aquilo que eu imagino que será o meu estilo de criação). Mas assumo que esperava mais do livro.

Encontrei para vender aqui, aqui, aqui e aqui. A partir de R$23.

Se vocês tiverem outras dicas e indicações de livros, deixem ai nos comentários tô amando ler tudo e ficar por dentro desse novo mundo que é a maternidade! =) Obrigada.