Há alguns anos tenho cultivado o vício hábito de viajar no final do ano, entre Natal e Reveillon. Então, consegui reunir alguns destinos bem bacanas para quem quer passar a virada fora do Brasil, e claro, algumas dicas para cada um desses casos.

Sei que falar sobre reveillon em agosto pode parecer precoce, mas acreditem, não é! Se você pretende viajar pra curtir essa data, pode começar a pensar no seu destino e organizar sua viagem.

Mas antes de começar a falar sobre isso, acho importante esclarecer uma coisa… cada país tem uma cultura diferente, por isso, as festas e comemorações são bem diferentes umas das outras. Nem sempre as pessoas se vestem de branco, a comida não precisa ser super específica, nem todo mundo pula onda ou joga lentilha pro alto… O primeiro passo para um bom reveillon fora do Brasil é entender que cada lugar é diferente do outro e isso faz da virada tão especial. Sabendo disso, você já está preparado para curtir muito a sua viagem da virada.

Paris | 2011

Sabe um sonho antigo, Paris no reveillon era isso pra mim. Sempre quis conhecer a cidade luz na virada do ano. O frio não me importava, os dias cinzas e curtos também não. Eu queria ver uma Champs Elisee lotada de gente, explodindo em fogos, com muito champagne francesa estourando… #fail. Paris no reveillon não é nada disso gente. hahahaha Eu amei minha virada, não entendam mal, mas não teve absolutamente nada disso que eu falei. As ruas fecham e lotam, mas não tem queima de fogos nem na Champs Elisee nem em nenhum lugar próximo (pelo menos não teve no ano que eu fui) e as bebidas alcoólicas são proibidas na rua. E acreditem, eu ate levei uma garrafa de champagne e consegui beber um pouquinho burlando a regra e a blitz de policiais que estavam revistando todo mundo. Comecei minha virada na rua e terminei em uma festa super bacana do Buddha Bar. Valeu a pena!
(Na Champs Elysee um pouco antes da virada!)

Las Vegas | 2012

Depois de não conseguir tudo que eu imaginava em Paris, resolvi experimentar Vegas, a cidade que nunca dorme. Aqui, assim como em Paris, não vi queima de fogos e pra falar a verdade, nem sei se tem/teve, acho que sim. Apesar da Strip fechar para os carros e os pedestres tomarem conta, fica meio muvucado demais, por isso, optamos por ir para uma festa em uma boate. Foi divertido, afinal, estavamos em Vegas baby! A maior dica aqui é: avalie as opções e compre seu ingresso da festa de reveillon com muita antecedência. Eles esgotam rápido e ficam cada vez mais caros. Se você não é do tipo party rock, não se preocupe, Vegas também oferece opções mais calmas, como jantares deliciosos em seus muitos restaurantes.

(Na boate Pure… um pouco antes da meia noite e um pouco depois de vários drinks! hahaha)

Veja o post completo aqui.

Punta Cana | 2013

Quer coisa melhor do que passar a virada do ano de frente para aquele mar azul lindo de morrer? Em Punta Cana é assim. Fui em família e optamos por ficar na festa do nosso hotel. Como era de se esperar, uma festa simples e sem muito luxo, porém com um jantar delicioso, fogos e animação. Para os mais jovens e animados (not me!), tinham outras opções como curtir as festas e shows em outros hotéis como o Hard Rock, por exemplo. No meio da noite, nós acabamos saindo da festa do nosso hotel e indo pela areia para a festa do Paradisus, nosso hotel vizinho, que estava suuuper animada. Esse esquema reveillon na praia é maravilhoso né? Sempre uma boa opção para quem quer aproveitar a viagem da virada para relaxar.

(Não achei fotos da noite do reveillon… por algum motivo que devo agradecer a Deus! hahah)

Veja o post completo aqui.

Porto | 2014

Acho que já deu pra perceber que eu curto muito viajar no Reveillon nem que seja para curtir um friozinho né?! Primeiro Paris, depois Vegas e agora Porto, em Portugal. A virada do ano no Porto me lembrou muito Copacabana. Passamos a virada de fato na praça principal da cidade, onde há uma grande concentração de pessoas, queima de fogos, shows… bem muvuca e ao mesmo tempo bem legal. Diferente de todos os outros reveillons que já passei fora do Brasil. Um pouco depois da meia noite e meia, fomos caminhando para a beira do Douro, onde estava acontecendo uma festa de reveillon. Compramos os ingressos um dia antes, no próprio lugar da festa e foi ótimo. Boa bebida, gente bacana (de todas as idades), musica animada… Valeu super a pena!

(Na festa de reveillon que fomos em um casarão na margem do Douro)

Veja o post completo aqui.

Varadero | 2016

O reveillon em Varadero foi bem similar ao reveillon de Punta Cana. Sabe aquela festona de hotel, com comida internacional e música latina? Então… Enquanto no Brasil temos o costume de passar a virada com o pé na areia e pulando ondas, por lá, eles organizaram uma super festa na beira da piscina. Não teve queima de fogos, mas teve DJ, show, banda, contagem regressiva… foi super animado. Para os que gostam de música latina, a noite deve ter sido perfeita. Para a gente terminou cedo pois voltamos para o Brasil no dia seguinte e queríamos acordar cedo para aproveitar um pouco mais da praia antes de partir. Ainda assim curti bastante. A dica aqui é reservar com a maior antecedência possível a sua ceia do reveillon em um dos restaurantes que o hotel oferece, assim, garante um bom jantar num horário que seja bacana para você. (Como tem muitos europeus por lá, eles costumam fazer um jantar às 18h30 e outro às 20h30).(Logo depois de meia noite, na beira da piscina do hotel, onde estava acontecendo a festa da virada!)

Veja o post completo aqui.

Bom, esses foram alguns lugares pelo mundo em que já passei o reveillón. Não necessariamente são lugares de festa, mas são lugares legais para ir com os amigos, família, para descansar ou para curtir. Cada um com suas particularidades e seu estilo.

Falar sobre Las Vegas poderia ser uma tarefa facílima. Cassinos, boates, shows, bons restaurantes, agito noturno, Grand Canyon e compras. Acabou! A cidade é isso, mas não pensem que é pouco. Isso é muita coisa e é uma delicia de fazer. Não são apenas cassinos, são os maiores do mundo. Não são boates comuns, são as mais desejadas e badaladas. Os shows são tão famosos quanto os da Broadway e alguns estão em cartaz há mais de uma década. Os restaurantes são pra todos os gostos, preços, possibilidades e desejos. E sim, conseguem agradar a todos. E o Grand Canyon, uma das maravilhas do mundo ali do lado. Sem falar nas compras, que só acabam junto com o seu dinheiro. Resumindo: Las Vegas é demais!

O que fazer nos Cassinos?

Acho que se você tirar um dia inteirinho pra conhecer todos os cassinos da Strip, ainda assim, talvez você não consiga terminar a missão. São imensos e cada um com seu estilo, seus horários e suas atrações. Esse é um passeio que você faz por conta própria e que é típico da cidade. Saia andando pela Las Vegas Boulevard (também conhecida como Strip – a rua dos cassinos) e entre em todos os cassinos para conhecê-los. Vale a pena.

  • Bellagio: O show das águas que acontece no lago na frente do hotel é imperdível. Assista de dia e a noite e quantas outras vezes achar necessário. As músicas mudam e a dança das águas também.
  • MGM: Tem uma aparição dos leões. Achei bem fraquinho. Para crianças talvez seja legal.
  • Mirage: Show Volcano. Simula a erupção de um vulcão na frente do hotel. Legalzinho.
  • Tresure Island: Show dos piratas. É o maior que acontece na frente dos hoteis, mas é bobo demais. As crianças vão gostar, os adultos nem tanto.
  • Venetian: Lindo e com passeios de gondola pra quem estiver disposto a pagar uma graninha pros gondoleiros cantores.
  • New York, New York: Tem uma montanha russa super legal dentro. Para dar uma volta nela basta pagar $14. Ela começa no interior do hotel e vai para o lado de fora onde passa a Strip. Parece ser bem radical.
  • Stratosphere: Tem vários brinquedos no alto da torre, para subir você tem que pagar, a não ser que tenha reserva no restaurante Top of the World. Cada brinquedinho custa algo em torno de R$20.

O que fazer off  Cassinos

Tudo. Afinal é isso que tem pra fazer, um pouco de tudo. Shows, passeios, visitas, compras e fotos e mais fotos. Sem parar. Pra quem quer fugir um pouco da muvuquinha que fica na rua principal da cidade as opções são poucas, mas não são inexistentes.

  • Cirque du Solei: São vários show do grupo para você escolher. Os mais famosos são o “O” (amei!), La Rève, Ka e Love (dos Beatles). Assisti o Mystère deles e achei fraco. Não recomendo. 
  • Outros shows: Tem pra todos os gostos. Vale a pena investigar os cantores que farão show no período da sua estada por lá. Celine Dion, Steve Wonder e Elton John são figurinhas quase que garantidas. Além desses shows de música é possivel comprar peças de teatro, comédias, show de mágica (alô David Copperfield), Blue Man Group, striptease para homens e mulheres e muito mais. Escolha de acordo com o seu estilo e com o quanto você está disposto a gastar.
  • Grand Canyon: Você pode ir de ônibus, helicóptero ou de carro. A escolha é sua. Eu fui de helicóptero e amei tanto que fiz um post aqui sobre isso.
  • Freemont Street: É a parte mais antiga de Vegas. Foi reformada e hoje recebe muitos turistas por conta de seu show de músicas e imagens projetadas no teto eletrônico que tem na rua.

Onde comer?

Acho que Las Vegas é o melhor lugar do mundo para comer. Você encontra restaurantes excelentes de todos os tipos, gostos e preços em cada esquina. Fiquei impressionada com a quantidade de bons restaurantes que encontrei lá. O MGM é o hotel com o maior número de restaurantes da cidade, inclusive é lá que está o estrelado Joel Robuchon, um dos mais famosos e caros restaurantes da cidade. Mas todos os hotéis tem uma variada gama de restaurantes pra sua escolha, inclusive os “all you can eat”. Eu não fui em nenhum desses pois as filas dos mais famosos (Bellagio e Paris) eram imensas, mas dizem que vale a pena.

  • Aureole: Lindo e delicioso. Com uma adega de 3 andares (sim, de um prédio) e tecnologia para escolher vinhos e harmonizá-los com seu prato. Não deixem de pedir o Risoto de Cogumelos com presunto de parma de entrada. É  divino. Fica no Mandalay Bay.
  • Top of the World: O restaurante giratório no topo do Stratosphere é quase um ponto turístico. Com preço bom, comida deliciosa e uma vista linda da cidade ele não pode ficar de fora da sua seleção de onde comer. Não esqueça de fazer reserva.
  • PJ Clarks: Pra quem gosta de um bom hamburger esse é uma boa opção. Fica no The Forum Shops at Caesars.
  • Crafts Steakhouse: Pra quem gosta de Top Chef, esse é o restaure de carnes do Tom Colicchio o jurado do programa. Fica no MGM.

Onde comprar?

Acho que a pergunta mais correta seria: Como fugir das compras? Em Vegas, para todos os lados que olha você encontra alguma coisa para comprar. É impressionante. De artigos de luxo a lembrancinhas turísticas em Vegas você encontra tudo, sempre.

  • Outlet: Falei bastante sobre o Las Vegas North Outlet que eu fui nesse post aqui. Ótimo pra fazer compras em massa hahahaha.
  • Crystals: O shopping mais luxuoso da cidade. Lindo por fora e caro por dentro. Só grandes nomes como: Hermès, Balenciaga, Prada, Dior e outras desse mesmo nível são encontradas por lá. Pra quem vai se jogar nas brands esse é o lugar perfeito. Todas reunidas num só local.
  • Fashion Show: O shopping que fica em frente ao Palazzo é uma ótima opção pra quem não quer torrar todo o dinheiro. Tem Forever 21 (a maior que eu já vi na vida – são 3 andares enormes), Zara, Abercrombie e outras desse tipo.
  • The Forum Shops at Caesars: Gostei muito desse shopping. Lá tem Marc Jacobs, Tory Burch, MAC…
  • Hotéis: Nos hotéis mais chiques você encontra muitas lojas de luxo como Chanel e Louis Vuitton. Se você preferir comprar no hotel ao invés de comprar no Crystals essa também é uma opção. Muitos shoppings ficam também na passagem entre um hotel e outro, portanto, passeie muito e entre e saia dos hoteis na hora de fazer suas compras.
  • Ross: Tem uma enorme ao lado do MGM. Pra quem não conhece é uma loja que vende roupas de coleções antigas (tipo um outlet) de várias marcas com preços baixíssimos. É enorme e uma zona, mas vale a pena catar coisas por lá. Nike, Diesel, Samsonite e Jamsport são algumas das marcas que você encontra.

Como se locomover?

Eu diria pra vocês o que eu digo pra todo mundo: ande, ande, ande! Essa é sempre a melhor opção para conhecer um lugar, mas como eu sei que os pés se cansam e que as compras pesam, as vezes é necessário andar por Vegas sem gastar toda a sola dos seus sapatos. Ai vão algumas dicas.

  • Monorail: Para andar pela strip você pode optar pelo monorail. Eu fiz essa opção, mas não valeu muito a pena. Meu hotel não tinha ponto e as paradas ficam afastadas das entradas dos hoteis, então era necessário andar muito para chegar na estação. Se o seu hotel tem uma estação de monorail e você não se importa de andar até ela, talvez essa seja uma boa alternativa pra você. O passe de 24h custa $12 e começa a valer da hora que você faz a compra. Quem quiser andar entre os hoteis Luxor, Excalibur e Mandalay Bay, eles oferecem um monorail gratuito entre eles. Vale a pena.
  • Ônibus: Acho que essa é a melhor opção. Sim, as vezes a Strip está engarrafada e por isso o ônibus pode demorar (nada que você não aguente, ok?!) a chegar ao seu destino, mas de qualquer maneira se você calcular o tempo que anda até a estação de monorail deve dar o mesmo tempo que fica parado na Strip. São vários pontos espalhados ao longo da rua e basta fazer sinal que o motorista para. A passagem custa $7 e você tem que ter o dinheiro certinho pois o “trocador” é uma maquininha que não dá troco.
  • Taxi: Também é uma boa opção. Não é muito caro e muita vezes pra andar de um ponto ao outro na Strip você vai gastar o preço da passagem do ônibus. Normalmente os taxistas pegam a highway que fica parelela a Strip (e completamente sem trânsito) então vão bem mais rápido de um ponto ao outro. Um taxi do Excalibur ao Stratosphere, por exemplo, custa aproximadamente $17. Até o outlet $20.
  • Aluguel de carro: Muita gente chega a Vegas de carro e acaba continuando com o carro por lá. Essa também pode ser uma boa opção. Muitos hotéis/cassinos tem estacionamento gratuito para hospedes e consumidores. Lembrem-se que é sempre bom verificar o preço do estacionamento antes de parar pra evitar sustos na hora de pegar o carro. Alugue aqui.

Onde ficar?

Na Strip! Essa é a resposta mais fácil de todas. Os hotéis de Vegas são super baratos. Escolha aquele que se encaixa no seu perfil de gasto vs sofisticação. Veja se seu cartão de crédito faz alguma parceria com eles (normalmente os platinum e black fazem!) e mande ver na sua escolha. Fiquei no Excalibur e não recomendo. Apesar de ser um dos hotéis mais simples da Strip o quarto era bem satisfatório. Não repetiria porque iria preferir ficar mais bem localizada na Strip. Os hotéis mais pro meio da rua são mais bacanas. Acho que o Venetian, Bellagio, Vdara, Aria, Trump Tower (sem cassino), Wynn, Encore ou Paris seriam minhas opções hoje.  Bons, bonitos e bem localizados. Esse é sempre o meu lema. Para um bom custo x benefício, experimente o novíssimo LinQ. É super bem localizado, pertinho de tudo e com preço ótimo!comissão booking hotel grande
Badalando nas nights

Sou nova pra algumas coisas e velhas pra outras. Se tem uma coisa que eu adoro fazer é sair pra dançar. Estando em Vegas não podia perder a oportunidade de conhecer as boates mais famosas do mundo né!? Pelo tempo que eu fiquei vs condições físicas só consegui conhecer duas  mas valeu a pena e eu me diverti demais. Experiência recomenda para todas as idades (preferencialmente todas as idades acima de 21 anos).

Conheci a TAO, que fica no Venetian, e é super famosinha por receber celebridades e por seu buda gigante, e na noite de reveillon fui para a Pure, no Ceasar. Gostei das duas, mas não posso negar que achei as músicas da Tao melhores. O único problema que identifiquei foi pegar bebidas. As filas são enooormes. Na Tao dá pra driblar isso pegando bebida no primeiro andar, que é o restaurante (mas quem gosta de jantar relaxado pode esquecer, lá é praticamente um jantar dançante! hahahah).

Dicas espertas!

Aquelas dicas que todo mundo quer e precisa antes de viajar, mas são difíceis de encontrar por ai na hora que a gente precisa.

  • Se precisar comprar uma mala esqueça o Outlet. Na Ross você encontra malas das melhores marcas por preços ínfimos. Vale muito a pena.
  • Não deixe de fazer reserva nos restaurantes que quiser muito ir. Muitos deles não aceitam gente que chega na hora sem reserva.
  • Muitas vezes o traje para jantar e badalar é social. Então nada de tênis/sapatênis para os homens. Sapato e camisa social são necessários.
  • Se quiser ir ao topo do Stratosphere sem pagar, faça reserva no Top of the World. Fora isso, são $16 só pra subir.
  • Ao longo da Strip e no Fashion Show tem quiosques que vendem ingressos pro show da noite por preços bem mais baratos. Chegue cedo e compre o seu por um preço bem menor. Acho que um deles chama Tix4Tonight.
  • Negocie o preço do passeio de helicóptero. Dizem que funciona.
  • Use e abuse do concierge do seu hotel. Eles fazem reservas em restaurentes, compram passeios e shows e tem o sistema interligados com todos os hoteis. E o melhor: não cobram nada por isso. É uma mão na roda.
  • No outlet alugue um locker se não quiser ficar carregando suas compras pra cima e pra baixo.
  • Para badalar fora do seu hotel chegue cedo (tipo 21h30). Muitas vezes isso faz a diferença na hora de você entrar na boate.
  • Jogue $0,75 por vez nas máquinas do Wheel of Fortune de $0,25. Elas sempre pagam bem e por isso são as mais disputadas.
  • Beba de graça nas mesas de jogos… as moças demoram a trazer a bebida, mas trazem.
  • Não esqueça de dar gorgeja pra todo mundo. Da moça que te traz bebida na mesa até o taxista que te leva de um ponto ao outro. Eles ficam muito ofendidos se não ganharem nada.
  • Vegas é um dos poucos lugares dos EUA (ou seria o único?) onde você pode andar na rua com bebidas alcóolicas na mão. Aproveite pra tomar sua cervejinha sem problemas na rua.
  • Menores de 21 anos não jogam, não bebem e nem podem ficar perto das mesas de jogos. Espere até ter 21 anos pra ir a Vegas. Você vai aproveitar muito mais.
  • Ande SEMPRE com seu passaporte/documento original. Sem ele você não pode fazer nada na cidade, nem compras com cartão de crédito.

Ufa! Acho que com esse guia vocês vão fazer uma ótima viagem e vão conseguir aproveitar muito o que Las Vegas oferece. Divirtam-se e boa viagem!

comissão booking hotel minicomissão real seguro minicomissão rentcars carro mini

 

Falar sobre Las Vegas é fácil e eu falei bastante aqui. Mas quis dar um destaque especial para esse passeio incrível de helicóptero pelo Grand Canyon. Uma experiência incrível e que não podia ficar de fora. Já aviso que esse post está enorme por que tem várias fotos aqui pra quem não foi curtir um pouquinho e pra deixar vocês com água na boca.

Sei que muitas vão dizer que têm medo, e que voar de helicóptero não é uma opção. Ok! Se você preferir ficar hooooras dentro de um ônibus e correr o risco de não conseguir ver bem, você pode também. Mas eu fui com a cara e com a coragem e me joguei no helicóptero. Fiz a reserva do passeio através do concierge do meu hotel (Aliás, façam isso. Super prático!). Eles tinham uma parceria com a empresa Maverick. Pesquisei um pouco e vi que essa empresa é a mais tradicional de Las Vegas e há anos promove esses passeios. Mas muitas outras também fazem o tour. Na própria strip você consegue fazer uma pesquisa de preços.

A empresa oferece uma infinidade de passeios de helicóptero para o Grand Canyon, você só precisa calcular o tempo que tem x o dinheiro que está disposto a gastar. Tem vôos noturnos para ver a strip iluminada, vôos com passeio de barco pelo Colorado River, vôos no pôr do sol e vôos com picnic no meio do Grand Canyon. Essa foi a minha escolha.

Não esperem um almoço de luxo tá?! É um lanchinho humilde mas super honesto. Ah! E com champagne. O piloto traz no helicóptero um recipiente com kits comidinha pra cada passageiro e bebidas. Tudo é diposto em mesas que já estão fixadas no local, com toalhinhas xadrez pra dar aquele clima de picnic mesmo e depois tudo é recolhido não podendo ficar nenhum resíduo de lixo. Pra quem não sabe, o pouso acontece em terras indígenas e a empresa paga os índios para fazer esses passeios e se compromete a manter tudo limpo. No local é possivel ver pequenos animais como esquilos e águias.

O passeio completo durou aproximadamente 4h. Acho que foram 2 horas voando, 45 minutos no picnic e o resto no check in, na ida/volta para o aeroporto de onde saem os helicópteros e para as instruções de vôo. E posso dizer, não me arrependo nem por um segundo e fico feliz da vida de dizer que valeu cada centavo (ainda bem!).

A experiência é super organizada, meio Disney sabe?! E é ótimo por que você vê a seriedade dos pilotos e das pessoas responsáveis pelo passeio e se sente super segura. No helicóptero cabem até 8 pessoas, e o próprio piloto divide quem vai na frente e quem vai atrás e depois troca pra todo mundo curtir um pouquinho. Durante o vôo, o piloto vai explicando e mostrando os locais que o helicóptero sobrevoa, mostra locais onde filmes foram gravados (na represa Hoover Dam foi gravado Superman) e onde celebridades como Celine Dion e Mike Tyson moram.

Na volta do passeio, uma pequena paradinha no meio do deserto para abastecer e a sobrevoar Las Vegas, que não poderia ser mais legal.  É incrível ver que de fato Las Vegas é uma cidade enorme no meio do deserto, no meio do nada. Todo mundo fala, mas ver é diferente, sabem!? Ver a Strip de cima, os hotéis, ver a grandiosidade das coisas por lá.

O preços são altos e variam de passeio para passeio, mas não variam muito de empresa para empresa. Dizem que é possível negociar com as empresas e baixar esse valor. Acredito, mas não recomendo que façam isso na alta temporada pois são muitas pessoas querendo voar e nem tantos helicópteros assim para levar esse povo todo. Eu comprei o meu pacote com 4 dias de antecedência porque não tinham mais vôos para os dias anteriores ao que eu fui. Ou seja, arriscado demais pra quem quer muito fazer o passeio.

comissão booking hotel minicomissão real seguro minicomissão rentcars carro mini

17
jan 2012

Vegas North x Tanger

Mais gostoso que falar de compras, só fazer compras né?! E é exatamente isso que 99,9% dos brasileiros fazendo quando vão para a América. Comigo não foi diferente. Especialmente porque todas as cidades que visitei tinham um outlet super acessível e ao meu alcance. Infelizmente não tive tempo de conhecer o outlet de Los Angeles (que dizem que é demais), mas tirei o atraso no Vegas North e no Tanger de Park City. Cada um com suas vantagens e desvantagens, claro. O que posso dizer é: preparem seus cartões e um bom tênis para conhecer esses dois outlets de cabo a rabo.

Em Las Vegas existem dois outlets da “familia premium” o North e o South. Um em cada ponta da Strip. Os dois tem várias lojas em comum, a diferença é que o North é beeeem maior e tem lojas a mais que o South e por isso ele foi a minha opção. Ele fica a 5 minutos e $15 de taxi da strip e pra quem vai de carro o estacionamento é enorme e gratuito. Ou seja, super acessível. São mais de 170 lojas (confere aqui a lista completa) com descontos de até 80%. Lojas mais premium como Burberry e Dolce e Gabbana marcam presença lá e nos permitem comprar aquela roupinha ou aquela bolsa com o preço bem mais baixo.

Pra quem tá de taxi e acha que vai penar carregando as sacolas, não desanime. Lá é possivel alugar lockers pra você deixar suas coisas durante a bateção de perna. E a melhor dica de todas é: se você pretende de fato fazer compras (e não comprar apenas uma coisinha), entre no centro de informações e compre o livrinho de descontos. Além dos descontos que as lojas já tem, você consegue reduzir ainda mais o preço usando esse livrinho. Ele custa $5 e provavelmente na sua primeira parada ele já vai se pagar.

E nem só de neve e ski vive Park City. O Tanger Outlet, que fica a 40minutos de ônibus da Main Street, é um dos locais mais visitados da cidade. São mais de 60 lojas reunidas com descontos de até 80%. Marcas como Abercrombie, GAP, BCBG, American Eagle, são algumas que marcam presença no local.

Dizer que o outlet fica a 40minutos da cidade é meio desanimador né? Seria se o transporte para lá não fosse tão confortável e barato, mas não é. Os ônibus públicos gratuitos com hora marcada te levam até o outlet passando por outros locais tentadores como um Wallmart e uma TJ Maxx que ficam no caminho. O fato de ser um outlet fora do circuito das grandes cidades é uma enorme vantagem no quesito “superpopulação”. O outlet é vazio e você pode fazer suas compras com toda a calma do mundo. Esse outlet também é muito bom para quem quer comprar roupas para esportes na neve pois tem mais de uma loja especializada no assunto e os preços são lá em baixo. Minha recomendação é: se jogue nas compras e depois compre sua mala nova pra trazer as novidades na TJ Maxx do caminho. Nem precisa dizer que foi isso que eu fiz né?! hehehe

VEJA MAIS EM:
Diário de Las Vegas
Yummy Tip: Stein Eriksen Lodge
Voando pelo Grand Canyon
Diário de Park City