No último dia 19 de novembro, fizemos o batizado da Victoria. Inicialmente, pensei em fazer uma coisinha bem íntima, só pra família pós cerimônia, mas a ideia foi mudando, os íntimos e queridos são muitos, resolvemos comemorar o aniversário do Alexandre junto do batizado da Victoria e ai já viu né?! Então, o que era para ser uma celebração em família, se tornou um almoço bem maior cheio de amigo, amor e risadas. Perfeito!

Eu idealizei tudo na minha cabeça. Já sabia as cores, já sabia como queria a mesa, já sabia quem faria o almoço, já sabia praticamente tudo… mas não sabia muito bem como colocar tudo em prática. Pra isso, contei com a super ajuda da Carol, da Céu de Tule, que é uma assessoria de eventos. Sem ela, com certeza, eu não teria ficado tão tranquila. Até porque, no dia do batizado em si, eu não poderia ir ao local da recepção para fazer nada. Eu tinha que me arrumar, arrumar a Victoria, ir para a igreja… e a Carol foi meus olhos, ouvidos e mãos no salão. Ela recebeu as flores, acabou a decoração da mesa, arrumou as mesas dos convidados, resolveu os pepinos que aconteceram durante a minha ausência, checou se as bebidas estavam geladas… ou seja, foi a pessoa que fez acontecer no dia. Quando eu cheguei do batizado em si, que vi tudo pronto, fiquei emocionada. Sem dúvidas, não teria sido tão prático e confortável sem ela.

Bom, como tinha decidido não fazer nada muuuito incrível, só um almocinho (que virou almoção) para família e amigos. Optei por só fazer uma mesa de doces bem bonita e comemorar o batizado e o aniversário do Alexandre no play mesmo.

Quase todas as louças eram do acervo da Céu de Tule, mas aluguei as boleiras e os vasos na Panos e Cores. As flores, que deram vida a decoração, eu fiz com o Florista Ancelmo (de Botafogo. Indicação da Carol e o melhor preço que achei!).

Todos os tecidos, sejam as passadeiras da mesa de doces, o centro de mesa das mesas dos convidados, a fita do bolo, o tecido do bem casado… eu mesma mandei fazer. Comprei o tecido e levei para uma costureira preparar tudo. Ficou perfeito e foi um charme a mais na festa. Uma dica: as passadeiras eu vou poder usar até na mesa da minha casa se eu quiser, e os centros de mesa, optei por fazer de um tamanho que eu posso usar como guardanapo de tecido aqui em casa. Ou seja, reutilizando tudo que foi feito para a festa.

Os dois bolos foram o ponto focal da mesa. Como era aniversário do Alexandre, quis fazer uma coisa especial pra ele. Então optei por fazer dois bolos da linha Empório da Comfeito (uma linha de bolos mais baratinha, porém não menos deliciosa), um com recheio de brigadeiro e o outro com recheio de doce de leite. Escolhi naked porque não curto muito pasta americana e porque achei que ficaria mais bonito na mesa. #soudessas Ah! Em cima do bolo do Alexandre, pedi para a Flavia Boabaid, fazer um topo bem lindão que combinasse com a festa. Ele amou a surpresa!

As forminhas brancas também eram da Céu de Tule e as azuis, comprei no Centro do Rio. Os docinhos foram os que eu e o Alexandre gostamos. Brigadeiro de Oreo, da Brigadeiros do Barão; brigadeiro branco, da Grazi; suspiros da Les Bisous; bem casados da Lourdes Maria e os lindos biscoitos decorados da ADR Cookies. Foi o suficiente para lotar a mesa (que era bem grande), deixar tudo lindo e claro, fazer a alegria dos convidados.

Outra coisa que acabou fazendo parte da decoração da mesa, foram as lembrancinhas que eu mandei fazer para entregar no dia: um livrinho de orações com um tercinho preso. A Marcia Macedo, da MM Design, que fez toda a papelaria do meu casamento, do meu chá de panela e do meu chá de bebe, obviamente me ajudou e preparou tudo exatamente como eu queria e imaginei. Ficou perfeito!

O resto foi só amor e alegria dos nossos amigos e familiares, que estavam muito contentes de participarem daquele momento tão especial pra gente e pra Victoria. Foi lindo e muito mais perfeito do que eu imaginei!

Lista de Fornecedores

Organização: Céu de Tule
Buffet: Crepe Cabral
Bolos: Comfeito
Biscoitos: ADR Cookies
Brigadeiros: Brigadeiros do Barão e Grasi (brigadeirosdagrasi@gmail.com)
Suspiros: Les Bisous
Bem Casado: Lourdes Maria
Louça: Céu de Tule e Panos e Cores
Flores: Anselmo Flores (2527-6987)
Aluguel de Mesas: Teleporto (2504-1245 / 2273-4258)
Topo do Bolo: Flavia Boabaid
Fotos:
 Nanda Castello Fotografia
Lembrancinhas: MM Design

 

23
mar 2016

Foto Noturna!

camilla-cheade-Roma e Napoli-22 foto noturnaFoto noturna: esse tema parece ser um problema e faz a maioria das pessoas a apelar logo para o flash, sem nem pensar duas vezes. Mas a fotografia noturna pode ser muito interessante quando sabemos exatamente como fotografar com pouca luz, e sem flash.

Para começar, precisamos entender que nessas condições de pouca luminosidade a câmera precisa de mais tempo para registrar a imagem. Por isso, o ideal é fazer uso de um tripé, pode ser aquele grandão ou um daqueles modelos menores de viagem. Ok, mas e quem não tem tripé? Simples, basta apoiar a câmera em uma superfície firme, como um banquinho, uma mureta, ou até mesmo no chão. Isso evita que a imagem fique tremida.

camilla-cheade-Italia3-209 foto noturnacailla-cheade-Italia3-419 foto noturnaO ISO (falamos dele aqui!) alto ajuda a diminuir esse tempo longo de exposição da câmera, mas pode causar ruído. Dependendo do modelo do seu equipamento, esse ruído pode ser imperceptível ou pode arruinar sua foto, por isso é bom fazer alguns testes para saber até quanto ele pode ser elevado.

Para que a imagem não saia muito escura, ou seja, subexposta, verifique o fotômetro e tire algumas fotos para conhecer a melhor exposição.

camilla-cheade-aurora-1 foto noturnaA abertura menor faz com que pontos de luz reflitam como estrelas, e as aberturas maiores permitem registros interessantes de rastros de luzes em movimento, como os faróis dos carros em trânsito.

Experimente ângulos e composições diferentes e, se estiver viajando e o local permitir, saia à noite para fotografar os lugares mais visitados sem nenhum turista por perto!

Fotos: Camilla Cheade

Camilla Cheade
www.camillacheade.com

coisas que amamos diy prato de queijos tinta de quadro negro1

Sempre que via esses pratos nas arrumações de mesa do Pinterest e queria um pra mim. Mas pão dura que sou, sempre me recusei a pagar mais que R$30 em um desses. Obviamente , por esse motivo, não comprei nenhum, até o dia em que eu mesma resolvi fazer o meu prato “quadro negro” de queijos. Afinal, não podia ser tão difícil assim né?! E não é mesmo, basta acompanhar o passo a passo ai em cima.

A tinta usada foi a tinta fosca acrilex, na cor verde escuro. Usei um pincel, mas acho que a melhor opção é um rolinho pequeno para evitar ondulações, como nas imagens acima. É beeeem fácil e rápido de fazer e um potinho de tinta desses rende muita pintura, não só para pratos, mas para canecas, quadros, portas (apesar de não ser específico para isso) e o que mais você quiser!

coisas que amamos diy prato de queijos tinta de quadro negro2

coisas que amamos diy prato de queijos tinta de quadro negro3

Estreei meu prato esse final de semana, e o resultado final ficou bem bacana. Gostei bastante, mas achei chato que na hora de cortar o queijo, sempre ia um pedacinho pro giz e você acabava comendo queijo com giz. hahahahaha Acho que vale mais para os queijos mais secos tipo parmesão e grana padano, pois são menos gordurosos e vão grudar menos giz. Ah! Reparem que as ondulações fizeram com que a minha letra ficasse péssima. Por isso, optem por um rolinho na hora de pintar.

Fotos: Eu mesma e Camilla Cheade.

Meninas prendadas fiquem a postos! O DIY de hoje é tipo aquele for dumbies que eu fiz há um tempo atrás. É tão facinho que chega a ser ridículo ahahah. E o melhor é super baratinho! Nós já sabemos o poder que um acessório bacana tem em um look, mas comprar um colar bacana hoje em dia está ficando meio carinho, né?? Então a solução é improvisar e criar nosso próprio acessório arrasa quarteirão. #ficaadica

Agora vamos lá… o material é pouco e super fácil de ser encontrado em qualquer lugar. Você só precisa comprar uma headband bacana que dê pra transformar em colar, um pedacinho de cordão metálico para fazer a extensão do seu novo acessório e dois arinhos metálicos para finalizar.

Essa minha headband comprei na Renner por R$15 se é que eu não me engano. Mas já vi umas super honestas a venda em alguns camelôs aqui do Rio por preços mais módicos. Super simples, né?! Preparadas? Começando em 3, 2, 1…

Depois de cortar e tirar o elástico da headband utilize o mesmo fecho para fazer seu colar. Cuidadosamente use o alicate para alargar a passagem do fecho apenas o suficiente para conseguir passar o cordão metálico por ele (step1).

Depois de alargar, meça o tamanho do cordão metálico necessário para o colar passar pela sua cabeça sem ficar apertado, corte esse pedaço e passe pelo fecho de um lado ao outro (step 2).

Pegue a ponta do cordão e leve até  a parte superior do cordão metálico formando quase um círculo. Utilize uma argolinha para prender a ponta do cordão na parte superior dele mesmo (step 3).

Repita esse mesmo procedimento do outro lado, cuidando para que o colar não fique muito apertado no seu pescoço (step 4) e voilá! Seu novo colar está pronto! Mais fácil impossível não é mesmo!?

Claro que só agora na hora de publicar o post eu me dei conta de que não tirei uma foto do resultado final mesmo (#anta). Tipo, do colar pendurado no meu pescoço, mas vocês entenderam bem como ele fica e como é fácil de fazer né?