Tag Archives: dicas

Can't wait to get you | Pinterest: heymercedes: Contei por aqui outro dia um super dilema que acho que 90% das grávidas tem com relação a mudança do corpo, autoestima, beleza e etc. E quando estamos grávidas, fica difícil a gente estar bonita, se sentir bonita e se vestir bem com tantas mudanças acontecendo. Algumas pessoas conseguem, outras não, por isso, não se cobrem tanto…

Uma coisa que aprendi e que vale para qualquer momento da sua vida é: vista-se com aquilo que te faz bem. Acho que isso vale em dobro quando você está grávida, tanto pelo seu conforto quanto pelo seu bem estar estético. Acho que me considero um ótimo exemplo disso. Não engordei tanto no rosto, nos seios e nos braços, mas estou achando as minhas pernas super inchadas e feias, então, estou preferindo usar calças. Muitas grávidas preferem usar vestidos mais soltinhos. Eu não estou curtindo agora. Entenderam como funciona? Pensando nisso, selecionei algumas dicas que podem nos ajudar a nos vestir melhor estando nessa fase diferente da nossa vida. Vamos lá!?

1. Se você é baixinha: Se você, assim como eu é baixinha, opte por peças que ajudem a te alongar. Os coletes ou parkas mais longas são uma ótima opção. Além de cobrirem o bumbum, eles alongam a silhueta e ajudam a dar uma disfarçada no seu “novo tamanho”. Os colares longos também dão essa sensação e podem ser uma outra boa opção para dar uma disfarçada na sua altura x seu novo eu.Resultado de imagem para style the bump2.  Se está com o quadril mais largo:  Usar partes de baixo escuras são sempre uma boa opção nesse caso. Se o seu quadril aumentou a ponto de te incomodar, talvez seja legal optar por calças e saias mais escuras. Elas ajudam a disfarçar o tamanho e podem fazer com que você se sinta melhor e se incomode menos com isso.Resultado de imagem para style the bump3. Se os seios cresceram demais: A primeira dica aqui é para você comprar novos sutiens que estejam de acordo com o seu novo tamanho e sejam extremamente confortáveis. Se você não quiser gastar dinheiro com isso, já invista nos sutiens de amamentação que serão usados no pós parto. Alguns deles são bem bonitos e não ficam devendo em nada aos nossos sutiens normais. Outra dica para essa situação é optar por cores escuras na parte de cima, mas calma, essa não é a única solução. Decotes como golas quadradas e “V” ajudam a mudar o foco, assim como colares mais curtinhos que ficam afastados do seus seios.Resultado de imagem para style the bump4. Se a barriga está enorme: Se o seu problema é o barrigón, não se preocupe. Agora é a hora de você mostrar para todo mundo que você está grávida mesmo. Se você está ok com todo o resto do seu corpo, use e abuse dos vestidinhos colados para mostrar toda sua forma de mamãe. Se isso te incomoda, você pode optar pelas roupas mais soltinhas como batas e vestidos larguinhos. Lembrando novamente do macete do colete que ajuda muito a alongar as barrigudinhas.Resultado de imagem para kate hudson pregnant style5. Se engordou na parte de baixo: Está muito inchada ou engordou mais nas pernas, então não se prenda a necessidade de usar vestidos apenas por que está grávida. Opte pelas calças confortáveis e não poupe esforços em achar uma boa calça jeans ou preta que atenda as suas necessidades. As calças de grávida são ótimas opções e são super confortáveis. Perfeita para as mamães não se sentirem mal usando a peça um dia inteiro.Resultado de imagem para style the bump6. Se os braços estão incomodando: Acha que seus braços estão chamando a atenção? Essa é fácil de resolver também. Escolha peças que cubram um pouco os braços. Seja blusas/batas de manga longa, peças com a manga mais curta ou até coletinhos que cubram a região que te incomoda. O importante aqui é sentir-se bem!Resultado de imagem para style the bump7. Se está muito inchada ou os pés cresceram: Achava que isso era lenda até aumentar de tamanho nos pés. Aqui a única solução que encontrei pra mim foi: peguei 3 sapatos 2 números maior que o meu emprestado. Você pode optar por comprar se quiser, mas preferi acreditar que eles vão voltar ao normal depois do parto e peguei tudo emprestado. Para o inchaço, a solução e colocar as pernas pro alto e mandar ver na drenagem linfática. Ajuda muito!

E ai? Gostaram das dicas? Tem alguma outra sugestão pra me dar e pra dar para as mamães que estão passando por essa fase tão intensa de mudança no corpo? Deixem aqui nos comentários. Tudo que precisamos é de um pouco de autoestima e muitas boas dicas! =)

Fotos da internet

Vocês acompanharam minha viagem para fazer o enxoval e viram aqui no blog algumas das minhas opiniões sobre o que vale e o que não vale a pena comprar lá fora para o enxoval do bebê. Agora, a ideia desse post é te ajudar a pré-organizar as coisas que você comprou antes que você enlouqueça.

Se você viajou, certamente voltou com a mala cheia. Muita roupa, brinquedos, produtos de farmácia, higiene e etc. Tudo isso precisa de uma pré-organização antes da arrumação final. E eu vou contar pra vocês aqui como eu fiz isso lá em casa, com as coisas da Victoria.

Assumo que meu lado virginiano estava muito ansioso por esse momento. Sou do tipo que gosta de arrumar as coisas, então, não pensei duas vezes: peguei minha etiquetadora e coloquei a mão na massa.

Roupas: Sem dúvida esse é o item mais complexo na hora de você pré-organizar. São muitas peças, de tamanhos diferentes, estilos diferentes e que poderão (ou não) ser usadas agora ou só daqui a um ano ou mais. O que eu fiz foi:

  • Separar as roupas de 0-6 meses / 6-12 meses / 12+ meses
  • Lavar e passar as roupas de 0-6 meses
  • Colocar em dois sacos separados as peças de 6-12 meses e 12+ meses e colocar no vácuo
  • Separar as roupas de RN pra colocar na cômoda
  • Preparar os kits da maternidade (assunto para outro post)

Basicamente esse foi o passo a passo das roupinhas. Separei por idade e só deixei lavado aquilo que já vai começar a ser usado. As peças de 6+ meses eu embalei a vácuo (usei esses sacos aqui) e vou deixar para lavar mais pra frente quando ela começar a usar de fato esses itens. Coloquei no vácuo para ocupar menos espaço no armário e para deixar as coisas guardadinhas e compactas. Etiquetei (uso essa etiquetadora aqui) cada um dos sacos para não fazer confusão depois na hora de tirar para lavar e pronto. Deixei tudo já pré-organizado.

(Foto: Hello Baby Brown)

Lençóis, paninhos, fraldas, mantas e toalhas: Trouxe muitas dessas coisas dos EUA, então já deixei tudo separadinho também e vou começar a lavar aos poucos, dando prioridade aos itens de recém-nascido como toalhas-fralda, paninho de boca e ombro e pelo menos 2 jogos de lençol para o berço. O resto posso ir lavando aos poucos e guardando no armário.

Sapatinhos e meias: Victoria não tem muitos sapatos, pessoalmente, não acho isso um problema. Por isso, separei os sapatinhos de tricô (que provavelmente serão usados nos primeiros meses) do resto. Fiz o mesmo com as meinhas. Peguei as menores, já vou lavá-las e deixar separadinhas em um lugar para que possam ser usadas durante esses primeiros meses em que a criança/bebê usa pouco sapato.

Algumas dicas sobre como lavar a roupa do recém-nascido: Lavar com sabão neutro (como sabão de côco ou Ola Bebê, por exemplo), evitar amaciantes por causa do cheiro forte, não misturar com as roupas do resto da família, usar – principalmente no inicinho – um balde e bacia separados para o bebê, lavar as roupas na mão (isso pode ser excesso de frescura, se optar por lavar na máquina, faça uma lavagem da máquina/autolimpeza sem nada antes), utilizar o cestinho para roupas delicadas na máquina para evitar que peças pequenas se percam ou entrem na máquina, tirar MUITO bem o sabão de cada peça, enxaguando várias vezes para que não fique nenhum resíduo de química nas roupinhas. Atenção: Não utilize alvejantes, sabão em pó comum ou removedor de manchas.

A recomendação é que você comece a lavar as roupinhas do bebê com mais ou menos 32 semanas, ou 7/8 meses. Assim pode fazer tudo com calma e deixar arrumadinho antes do fim da sua gravidez. Se você quiser, pode embalar as coisas em sacos plásticos ou fronhas limpas e já deixar arrumadinhas nas gavetas e no armário para que elas não peguem poeira até o momento do neném chegar. É exatamente isso que estou fazendo.

Produtos de higiene/limpeza: Separe tudo aquilo que é de banheiro e já abra espaço no banheiro que o bebê vai usar para deixar as coisinhas dele armazenadas ali. Eu consegui arrumar esses itens praticamente assim que voltei de viagem, mas a parte de higiene que vai para o trocador, por exemplo, eu ainda não separei. Por isso, acho que o plano aqui é você pensar no que vai precisar nesse primeiro momento. Se você já comprou itens para armazenar, ótimo. Se não comprou, já deixe algumas fraldinhas RN compradas, pomada, algodão e potinhos para fazer a troca de fraldas do bebê. O shampoo e sabonete adequados são muito importantes também. Eu optei pelo shampoo/sabonete corporal da Cetaphil, que comprei lá fora, pela fralda Pampers Premuim Care que foi a sugerida pelas mamães que eu perguntei, pelas pomadas A+D e Desitin, que também trouxe de viagem. Já tenho tudo mais ou menos organizado, só falta colocar na cômoda dela. Para levar para a maternidade, separei algumas fraldas RN e P, tubinhos de pomada e até um lencinho umedecido feito 99,9% de água que comprei lá fora. A minha maternidade não pede essas coisas, mas sendo quem eu sou, estou levando. Estou levando também tesourinha de unha e escova de cabelo. Ah! Estou levando 3 chupetas com bicos diferentes e 1 mamadeira pequena. Não pretendo usar a mamadeira, mas, é melhor prevenir do que remediar né?!

Resultado de imagem para arrumando as coisas do bebe(Foto: Westwing)

Itens de cozinha: Aqui foi a mesma coisa. Antes mesmo de viajar para Miami abri um espaço dentro de um dos meus armários da cozinha para colocar as coisas da Victoria e quando cheguei de viagem foi ótimo já ter feito isso. Todos os potinhos, pratinhos, colheres, a máquina de papinha e coisas do tipo ficaram guardados ali. Como esses são itens que provavelmente não vou usar tão cedo, cobri tudo com um plástico para evitar que fiquem pegando poeira ou gordura. Conforme eu for sentindo necessidade, vou tirando as coisas dali, esterilizando e colocando para o uso.

O próximo passo agora é realmente começar a arrumar os armários e sair da fase de pré-organização para a fase de arrumação final. Mal posso esperar! =)

02
maio 2017

Yummy Tip: Azur

onde comer com vista no rio azur leblonTaí uma dica ótima para turistas, cariocas, gringos e pessoas que gostam de comer bem. Conheci o Azur há dois finais de semana e me encantei. Ele é mais um dos quiosques renovados da praia do Leblon, porém, com um diferencial: ele tem sua cozinha assinada por um renomado chef de cozinha. Pedro Artagão, o responsável pelos comes e bebes servidos no Azur, é também o dono de outros grandes nomes da culinária carioca como Irajá Gastrô (aquele do melhor e mais famoso bolo de chocolate do Rio), Formidable Bistrot e Cozinha Artagão. Sabem o que isso significa? Um lugar de muito boa comida!

Fui almoçar lá despretensiosamente depois de um pulinho na praia e que programa gostoso. Tão bom que voltei na Páscoa com a família. O local, nas duas ocasiões, estava cheio, claro, mas logo conseguimos uma mesa para sentar e começar a farra. O atendimento foi ótimo. Desde o momento de espera do lado de fora do quiosque até lá dentro quando já estávamos comendo. Todos, sem exceção, foram muito prestativos e eficientes. Exatamente, como eu acredito que tenha que ser o atendimento de um bom restaurante.

onde comer com vista no rio azur leblon onde comer com vista no rio azur leblonO cardápio é bem brasileiro e oferece muitas opções com frutos do mar. As comidinhas de balcão são carinhas, mas muito gostosas. Experimentamos os pasteis de siri, camarão e palmito (R$14/cada) e todos estavam ótimos. Para os pratos principais, escolhemos moqueca de peixe (R$140) e bobó de camarão (R$160), eu comi um pouco dos dois e posso falar, estavam deliciosos.

Só não vou dizer que achei os pratos caros, porque eles serviram muito bem 3 pessoas, ou seja, dividimos os dois pratos por seis pessoas e saímos todos muito satisfeitos. Em geral os pratos acompanham arroz branco, farofa de dendê e pirão. Os acompanhamentos são pequenos, mas os gentis garçons nos trouxeram aquele reforço quando o acompanhamento acabou sem cobrar a mais por isso. Mais um ponto para o restaurante.

onde comer com vista no rio azur leblononde comer com vista no rio azur leblonA carta de vinhos foi uma das únicas coisas que achamos que era um ponto negativo do lugar. Os vinhos são caros. O mais barato custa R$128. Sei que talvez a ideia do quiosque não seja receber jovens beberrões de vinho, mas podiam pesar um pouco menos a mão no preço das garrafas para segurar um pouco mais a clientela do almoço por lá… Fica ai a dica! hehehehe

Outro ponto negativo que pode facilmente ser mudado é a música que toca por lá. Na primeira vez ela incomodou pouco, mas na Páscoa estava nas alturas e tocando uma música meio bate-estaca, super nada a ver com o clima e com o ambiente do lugar.

Resumo da história: valeu muito a pena conhecer o Azur, experimentar a deliciosa comida e fazer esse programa tão gostoso. Espero que os governantes do Rio vejam como os cariocas são carentes de locais assim e continuem reformando e expandindo os quiosques da orla, da Lagoa Rodrigo de Freitas e criem mais áreas com espaço para uma boa comida e um ambiente super agradável com esse (aliás, o Jardim de Alah está alí doido para ser mais bem aproveitado hein!). Aprovadíssimo!

Serviço:
Quiosque Azur
Av. Delfim Moreira, S/N, Posto 11 | Leblon.

24
abr 2017

Edimburgo | Escócia

edimburgo dicas escócia coisas que amamos Mais uma país na minha lista de países visitados… Eeeee! A Escócia foi um dos lugares que mais queríamos conhecer. Foram dias e dias planejando, pensando no roteiro, no que iríamos fazer, os lugares que queríamos visitar… Edimburgo foi nossa primeira parada e não poderia ter deixado melhor impressão.

A cidade é uma gracinha, cheia de atrações fofas, bons restaurantes, muitas lojas e aquele turismo alcóolico que a gente ama (mesmo grávida, adorei!). Uma bela mistura de cidade grande com pequena cidade do interior da Europa. Amo isso!

A cidade

Edimburgo é a capital da Escócia, no Reino Unido, com poderes próprios, situada na margem sul do estuário do rio Forth (Firth of Forth). É a capital escocesa desde 1492, sendo sede do parlamento escocês desde 1999. Segundo o census do ano 2011, a cidade conta com 495 360 habitantes, sendo a segunda cidade mais populosa da Escócia, depois de Glasgow, e a sétima mais populosa cidade do Reino Unido.

Edimburgo é também uma das 32 Áreas de Conselho da Escócia, subdivisão administrativa similar aos estados brasileiros, desde 1996 quando este tipo de subdivisão foi atribuída para substituir os distritos e regiões que existiam desde 1975.

A cidade é dominada pelo Castelo de Edimburgo construído sobre uma rocha de origem vulcânica. Após a unificação do parlamento da Escócia com o da Inglaterra, Edimburgo perdeu sua importância política mas permaneceu um importante centro econômico e cultural. A cidade é mundialmente conhecida pelo Festival de Edimburgo que acontece durante três semanas no mês de agosto. A cidade ainda possui uma das mais prestigiadas universidades da Europa e do mundo, a Universidade de Edimburgo, pioneira na informática e gerenciamentos. Fonte: Wikipedia.edimburgo dicas escócia coisas que amamos

Como chegar

Chegar em Edimburgo é bem fácil, afinal, a cidade é a capital da Escócia então o que não faltam são boas opções de transporte para ir e vir. Infelizmente não há vôos diretos do Brasil para lá, mas você pode pegar vôos de companhias como Alitália, KLM, Ibéria, Air France… As lowcost também voam pra lá.

A cidade também tem uma malha ferroviária incrível e de trem você chega lá super rápido saindo de diversas cidades da Inglaterra, Paris e do interior da Escócia também. A RailEurope e a virgin trains são algumas das empresas de trem que levam até Edimburgo.

Se estiver de carro, como nós estávamos não se preocupe. As estradas para chegar até Edimburgo são ótimas e super bem sinalizadas. Como contei, alugamos um carro na RentCars com GPS e fomos dirigindo. Bem tranquilo. Quem quiser saber mais sobre como é dirigir na Inglaterra (na mão inglesa), clique aqui.

Como se locomover por lá

Ande, ande, ande e ande. A cidade é ótima para ser explorada a pé. São muitas ruelas, prédios históricos, bares e pubs, lojinhas, monumentos… muita coisa a ser descoberta. Portanto, se você foi de carro, estacione em algum lugar e caminhe.

Se precisar pegar algum tipo de transporte, peça um táxi/uber. Eles não são baratos mas funcionam bem por lá. O transporte público também é ótimo, mas é um pouco mais restrito e não são todos os meios que chegam na parte alta da cidade, por exemplo.

Onde ficar

Como vocês já estão carecas de saber, sou uma louca por localização quando o assunto é hospedagem em cidades em que você pode/consegue turistar a pé. Sempre achei que andando você conhece a cidade muito melhor, então, sou muito a favor de ficar hospedada em um local de fácil acesso e pertinho de tudo. Dessa vez não foi diferente.

edimburgo dicas escócia coisas que amamos edimburgo dicas escócia coisas que amamos Escolhemos ficar no The Scotsman Hotel, que fica hiper bem localizado, pertinho de tudo. O hotel tem uma história muito bacana, ele já foi a sede do jornal The Scotsman, um dos mais famosos da Escócia. Hoje é um hotel de 4 estrelas, confortável e luxuoso, com vista para o Castelo de Edimburgo e sobre a Estação de Waverley (ou seja, se você chegar de trem, mal vai precisar andar para chegar até o hotel!). Gostei muito do hotel. Achei o quarto e o banheiro bem amplos, o atendimento foi ótimo em toda a nossa estada e o café da manhã, um dos melhores que tivemos na viagem.

edimburgo dicas escócia coisas que amamos edimburgo dicas escócia coisas que amamos Fotos dos hotéis: Booking.com

O que eu percebi foi que ficar hospedado perto da High Street/Royal Mile é uma ótima pedida exatamente porque ali você está pertinho de tudo. Minha outras opções eram o Radisson Blu, que infelizmente estava lotado quando eu fiz minhas reservas e o Hilton Edimburgh Carlton. Todos ficam bem próximos uns dos outros.

Uma opção mais em conta que também fica super bem localizada é o Ibis Centre Royal Mile. Fica a dica para quem vai passar pouco tempo ou quer gastar menos na hora de se hospedar.

O que fazer/Quanto tempo ficar

Acho que passar 2 dias inteiros são suficientes para você curtir a cidade, conhecer os principais pontos turísticos e passear, principalmente, pela parte antiga de lá. Foi exatamente o tempo que eu fiquei e não senti necessidade de prolongar esse período.

  • Castelo de Edimburgo: É um dos principais pontos da cidade, se não for o principal. Ele fica no alto da High Street, que é também o alto de um morro. Um ponto estratégico para um castelo/fortaleza. Lá dentro você encontra outras grandes atrações como o Palácio Real e o Scottish National Memorial. A entrada custa £16.50 para adultos e pode ser comprada lá mesmo, na hora. Minha única dica aqui é: não deixe para ir no castelo na última hora. Tentei 3x entrar e não consegui por conta do horário e do mal tempo. O vento e a chuva fizeram com que o castelo fosse fechado 12h do dia que eu ia visitá-lo.

edimburgo dicas escócia coisas que amamos edimburgo dicas escócia coisas que amamos

  • Leith: a região portuária de Edimburgo que de decadente passou a “cool”. Ela fica fora dao babafá turistico então vale para quem quer fugir um pouco, conhecer uma nova área e ver uma Edimburgo diferente. É por lá que fica também o Royal Yatch Britannia, barco da família real por muitos anos e que hoje, ancorado, funciona como museu.
  • Scotch Whisky Experience: Uma das coisas que eu mais gostei de fazer em Edimburgo mesmo sem poder beber. É uma mistura de brinquedo da Disney com visita a destilaria. Muito interessante. Fiz o tour mais básico, que é o Silver (custa £14.50 por pessoa) e achei que atendeu bastante as minhas necessidades de apenas saber um pouco mais sobre whisky. O tour contempla um passeio de barril de whisky (sim, isso mesmo!) + uma aulinha sobre a produção de whisky escocês + degustação (com copinho de brinde). Nesse passeio você conhece também a maior coleção de whiskies do mundo, que por acaso pertence a um brasileiro. Muito legal!

edimburgo dicas escócia coisas que amamos

  • Royal Mile: A Royal Mile é a rua mais famosa da cidade. Começa no Castelo de Edimburgo e vai passando por diversos pontos turísticos famosos.  Para quem está de apenas de passagem, a Royal Mile é o lugar mais recomendado para conhecer, pois é o coração da cidade e passeando por ali você se dá conta de que está mesmo em Edimburgo. Algumas das atrações da Royal Mile incluem o Scotch Whisky Experience, Writer’s Museum, Catedral de St. Giles e a Thistle Chapel…
  • Parlamento Escocês: Fica na ponta oposta ao Castelo de Edimburgo ainda na Royal Mile. Pode ser visitado pelo público em horários variados dependendo do dia. É possível ver a sala onde os ministros questionam o Primeiro Ministro e também fazer um tour guiado pelo prédio de projeto arquitetônico moderno.
  • Princess Street: Vale passear por lá, fazer compras e admirar a imponente Scott Monument e terá uma linda vista do castelo e dos jardins que “cortam” a cidade.

edimburgo dicas escócia coisas que amamos

  • Camera Obscura & World of Illusions: Um prédio com 6 andares super divertidos e cheios de ilusão de ótica. Custa £12.50 por adulto e o ingresso pode ser comprado na hora.
  • Grassmarket: uma região super viva, pertinho da Royal Mile e do Castelo, cheia de lojas, bares, restaurantes e gente nas ruas. Aos sábados, das 10h às 17h, acontece um mercado ao ar livre bem interessante.
  • Carlton Hill: Um outro morro que fica bem no centro de Edimburgo. É um lindo parque ótimo para fotografar a cidade do alto. Se estiver um dia de limpo e bonito vale ir no horário do pôr do sol.

edimburgo dicas escócia coisas que amamos edimburgo dicas escócia coisas que amamos

Onde comer

Passeamos muito pela cidade e tivemos a oportunidade de experimentar vários bares e restaurantes, mas alguns chamaram a nossa atenção. No entorno do Castelo, High Street e Royal Mile existem várias opções interessantes de restaurantes. Mas se você quiser fugir um pouco dos turistas, a George Street é uma boa pedida.

The Witchery by the Castle: o restaurante que mais gostamos. É bem pertinho do castelo, colado no Whisky Experience. A comida é deliciosa e o lugar é muito diferente. Se quiser comer por lá reserve com antecedência, mesmo se for almoçar. O local é super disputado e conseguir uma mesa em cima da hora é missão quase impossível.

Angels with Bagpipes: Outro restaurante em que comemos muito bem. O local é mais moderninho e a comida é cara, mas ainda assim vale a pena pois é tudo muito gostoso. Assim como o The Wichery fica na High Street.

Gusto: Esse foi muito recomendado pelos funcionários do nosso hotel. Gostamos do local, do cardápio e do ambiente, mas no dia que fomos (uma segunda feira eu acho) não tinha nem uma pessoa comendo por lá. Acabamos desistindo de ficar. Ele fica na George Street.

Newsroom: Entramos lá para tomar uns drinks. É um restaurante/bar bem animadinho, com DJ e gente jovem. Boa pedida para quem quer dar uma badaladinha no final de semana.

The Conan Doyle e Deacons Brodie Tavern: Dois pubs que conhecemos meio sem querer. Chegamos em Edimburgo no dia da final do campeonato de rugby, um dos esportes mais aclamados no país. Então, aproveitamos para conhecer alguns pubs e assistir aos jogos por lá. Esses estavam bem animados. O Brodie em especial estava lotado em todas as vezes que passamos por ele.

edimburgo dicas escócia coisas que amamos E assim terminam minhas dicas de Edimburgo. Espero que vocês tenham gostado e que tenham ficado com água na boca para conhecer esse país e essa cidade que é uma delicia. Assumo que foi um ótimo começo para a Escócia. Sai de lá querendo conhecer mais, querendo voltar e doida para explorar ainda mais esse país tão interessante