Uma das coisas que mais amo em trabalhar no Centro é estar muito muito perto do roteiro cultural do Rio. Dificilmente venho para essas bandas no final de semana, então, durante a semana eu aproveito para ficar por dentro das exposições e atividades culturais bacanas que rolam por aqui.

coisas que amamos cultural exposição ron muek mam rio 1

Essa semana aproveitei minha hora do almoço e dei um pulo no Museu de Arte Moderna (MAM) para ver a exposição do Ron Muek. Me lembrei que ela vai acabar agora no final do mês e corri para ver. Ron Muek (australiano sitiado na Grã Bretanha) produz efeitos especiais super realistas ao criar duas esculturas. Elas reproduzem os detalhes do corpo humano com tanta precisão que, se não fosse pelo tamanho, poderiam passar por seres reais.

coisas que amamos cultural exposição ron muek mam rio 3

Algumas esculturas como a cabeça, o casal de idosos, a galinha e o homem no barco são incríveis de tão reais. É realmente impressionante. Algumas são enormes e outras nem tanto, e por isso, você pode reparar em cada detalhe feito pelo artista. Ele pensa em tudo, desde as dobrinhas da pele, até a cor, veias, pêlos… muito real.

coisas que amamos cultural exposição ron muek mam rio 2

Essa é uma exposição bem pequena, composta apenas por nove obras, mas ainda assim bem interessante de ver. Até as crianças que estavam lá estavam, curtindo bastante. Como  um plus, você ainda tem uma pequena exposição de obras restauradas e outra sobre cartazes de filmes nacionais mais antigos.

Onde? Museu de Arte Moderna – MAM | Av Infante Dom Henrique, 85 – Aterro do Flamengo.
Quanto? R$14
Quando? Até 30 de junho, domingo. De 3a a 6a, das 12h até as 18h, e sábados e domingos, das 11h às 19h.

17
abr 2014

Dica: Classy!

coisas que amamos livro classy Derek Blasberg 1

Sei que esse livro talvez não seja novidade para muita gente, mas para mim ele é. Explico, já conhecia e sabia da existência dele, mas por milhares de motivos não tinha ainda tido um real interesse em comprar. Dia desses passando pela Livraria Saraiva, vi o livro (em sua versão já traduzida para o português!) numa promoção especial e acabei arrematando. E pra minha surpresa, gostei bem mais do que eu esperava.

Achei que iria apenas ler mais “blablabla” sobre etiqueta, mas não. O livro vai muito além disso. Claro que o mote principal é esse, como ser “phyna” em diversos ambientes e situações, mas as informações são úteis e muito atuais. Achei realmente interessante.

coisas que amamos livro classy Derek Blasberg 2

Outra coisa que faz desse livro um grande sucesso pra mim são as imagens e ilustrações. Além de serem super divertidas, são realmente esclarecedoras em diversas situações. Derek Blasberg consegue falar sobre um tema que é, no geral, meio chato de forma engraçada, divertida e super leve.

Pra quem não sabe, Derek Blasberg é editor geral da Harper’s BazaarV Magazine e V Man, além de ser escritor, claro. Ele mantém um blog pessoal com conteúdo muito diversificado abordando assuntos como moda, mulheres mais bem-vestidas, viagens internacionais, entre outros. Além disso tudo, é também BFF de várias celebs internacionais, entre elas Karlie Kloss.

E antes que alguém diga que esse livro não serve de nada e é uma grande besteira… saibam que ele ficou na lista dos 30 mais vendidos do NYTimes durante alguns meses e já tem sua segunda versão publicada. Tombou? Derek manda beijinho no ombro!

14
fev 2014

Pipoquinha de Janeiro

Depois das férias conseguir tirar um pouco o atraso dos filmes em cartaz e fui assistir alguns indicados ao Oscar. Como o final de semana tá  ai, resolvi fazer uma pequena resenha dos três últimos que vi e que estão na disputa por algum Oscar. Será que a minha opinião foi igual a de vocês?! Acho que tem filme ai que vai gerar polêmica!

O Lobo de Wallstreet

Sinopse: Durante seis meses, Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio) trabalhou duro em uma corretora de Wall Street, seguindo os ensinamentos de seu mentor Mark Hanna (Matthew McConaughey). Quando finalmente consegue ser contratado como corretor da firma, acontece o Black Monday, que faz com que as bolsas de vários países caiam repentinamente. Sem emprego e bastante ambicioso, ele acaba trabalhando para uma empresa de fundo de quintal que lida com papéis de baixo valor, que não estão na bolsa de valores. É lá que Belfort tem a ideia de montar uma empresa focada neste tipo de negócio, cujas vendas são de valores mais baixos mas, em compensação, o retorno para o corretor é bem mais vantajoso. Ao lado de Donnie (Jonah Hill) e outros amigos dos velhos tempos, ele cria a Stratton Oakmont, uma empresa que faz com que todos enriqueçam rapidamente e, também, levem uma vida dedicada ao prazer.

Bom, não posso negar que as atuações são incríveis. Mas pra mim o filme só tem isso de bom. Não gostei. São 3 horas de uma história que poderia ser contada em 1h30. O filme ficou muito cansativo e repetitivo na minha opinião. Acho que até vale assistir pois está concorrendo a vários Oscars, incluindo o de melhor filme, direção, ator e ator coadjuvante. Mas podem ir ao cinema com baixa expectativa e saibam que o filme tem MUITA nudez e cenas com drogas. Basicamente o filme é só isso.

Trapaça

Sinopse: Irving Rosenfeld (Christian Bale) é um grande trapaceiro, que trabalha junto da sócia e amante Sydney Prosser (Amy Adams). Os dois são forçados a colaborar com um agente do FBI (Bradley Cooper), infiltrando o perigoso e sedutor mundo da máfia. Ao mesmo tempo, o trio se envolve na política do país, através do candidato Carmine Polito (Jeremy Renner). Os planos parecem dar certo, até a esposa de Irving, Rosalyn (Jennifer Lawrence), aparecer e mudar as regras do jogo.

Taí um filme que os atores dão show de atuação, e só tem atorzão hein! Mas também esperava mais. Não achei esse filme ruim, pelo contrário, mas esperava que ele fosse mais movimentado, e que envolvesse mais. Achei ele canstivo até a metade e bom da metade pro final, que aliás é ótimo. Também está concorrendo a diversos Oscars como melhor filme, ator e atriz, direção, e ator e atriz coadjuvante. Ou seja, premiado assim merece no mínimo o crédito, né?!

A menina que roubava livros

Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, uma jovem garota chamada Liesel Meminger (Sophie Nélisse) sobrevive fora de Munique através dos livros que ela rouba. Ajudada por seu pai adotivo (Geoffrey Rush), ela aprende a ler e partilhar livros com seus amigos, incluindo um homem judeu (Ben Schnetzer) que vive na clandestinidade em sua casa. Enquanto não está lendo ou estudando, ela realiza algumas tarefas para a mãe (Emily Watson) e brinca com a amigo Rudy (Nico Liersch).

Fui assistir esse filme com o pé atrás, afinal, eu já lido o livro e dificilmente o filme é bom quando nós já lemos o livro. Gostei muito do filme. Ele relata exatamente o que lembro de ter lido, senti as mesmas emoções de quando li, e não me decepcionei. Já adianto que o filme é triste e bem paradão, mas vale muito a pena ver. A história é muito bacana e saber que ela foi baseada em fatos reais é ainda mais motivador, sabem?! Enfim, gostei bastante. Diferente dos outros, esse só está concorrendo a melhor trilha sonora.

 

Outros filmes que estão concorrendo ao Oscar como Gravidade, Blue Jasmine e Capitão Philips já foram resenhados por mim nesse post aqui. Alguns cinemas ainda estão passando mas como eles são filmes mais antigos talvez não seja tão fácil encontrar para assistir. No Net Now e no Netflix talvez vocês encontrem.

Semana passada fui conferir mais um espetáculo do Cirque du Solei. Já assisti alguns espetáculos da companhia e adoro esse tipo de programa. Sai do comum e normalmente é bem bacana. Corteo é o espetáculo que está se apresentando esse ano aqui no Rio, na Marina da Gloria.

blog coisas que amamos cirque du solei corteo 1

Corteo, que significa “cortejo” em italiano, é uma procissão alegre, uma parada festiva imaginada por um palhaço. Este espetáculo reúne a paixão do ator com a graça e a força do acrobata, para transportar o público a um mundo teatral de prazer, comédia e espontaneidade situado num espaço misterioso entre o céu e a terra.

O palhaço imagina o seu próprio funeral, numa atmosfera de festa e observado por amáveis anjos. Contrastando o grande e o pequeno, o ridículo e o trágico, a magia da perfeição e o charme da imperfeição, o espetáculo evidencia a força e a fragilidade do palhaço, mas também a sua sabedoria e ternura, para ilustrar o aspecto humano de cada um de nós. A música, ora lírica, ora divertida, transforma Corteo numa festa intemporal onde a ilusão brinca com a realidade.

blog coisas que amamos cirque du solei corteo 2

Achei o espetáculo bom, especialmente para quem curte acrobacias, palhaçadas, equilibristas… Mas essa não foi minha apresentação preferida do Cirque (vai ser difícil algum bater o “O” de Vegas), mas ainda assim acho que vale a pena assistir, especialmente se você nunca assistiu a nenhum. Para as crianças aquilo é um mundo mágico mesmo. Elas ficam impressionadas com tudo o que vêem por lá. Uma dica! Quem for assistir ao show, fique atento a atuação da Valentina. Ela é a sensação desse espetáculo! =)

Para os adultos, eu recomendo o Tapis Rouge que é um setor vip do Cirque du Solei. Apesar de mais caro, ele te dá benefícios como: cadeiras mais próximas ao palco, área vip com comes e bebes, estacionamento e brindes. Você chega um pouco mais cedo e curte o pré-show num ambiente todo estilizado no melhor estilo Cirque du Solei Corteo.

O show fica no Rio até março e depois viaja para outras cidades do Brasil. Os ingressos estão sendo vendidos aqui, pelo preço único (e promocional) de R$200.