Tag Archives: diário de ex-noiva

[Tô com feeling de que esse post vai ser polêmico.] Outro dia recebi um email de uma leitora que vai casar e me perguntou como foi o processo para alterar meu nome depois do casamento e se eu achava que ela deveria fazer isso. Ela explicou que não queria deixar de usar os nomes dos seus pais e que ao mesmo tempo não tinha certeza se queria ou não usar o nome do marido, mas tinha medo de falar isso para ele e ele se magoar.

Inicialmente respondi que não poderia dizer a ela o que fazer, infelizmente. Eu mudei meu nome. Foi uma opção minha. Eu sempre quis fazer dessa forma. Sei o quanto é trabalhoso trocar todos os documentos, sei que é chato, que pode ser uma grana e ainda assim eu escolhi fazer dessa forma. Mais uma vez: OPÇÃO MINHA! Não vamos entrar aqui no duelo machismo x feminismo, porque acho totalmente descabido. Acredito que é mais uma questão “faz quem quer” e ponto final.

Na real, optei por fazer essa mudança de forma bem lenta e gradativa. Não queria me estressar, não queria ter um super prejuízo logo de cara e queria minimizar o trabalho imediato. Resolvi que faria assim: conforme as datas dos documentos fossem expirando eu ia renová-los e fazer a mudança de status.

Com um único porém… até completar quase 1 ano de casada nenhum documento meu tinha expirado. Então, resolvi fazer uma surpresa para o Alexandre e renovar minha carteira de identidade e colocar no novo nome. Foi ótimo. Ele ficou super feliz, eu adorei ter na minha carteira o nome da minha nova família, da família que eu estou criando.

10551655_10152587105774162_8500104208387321097_oEssa falação toda é só para explicar que eu acho muito legal trocar o nome. Sei que muita gente pensa no trabalho que dá principalmente se acontecer de se separar. Gente, eu casei pensando em ficar junto para sempre. Se acontecer um divórcio, terei problemas muito maiores do que trocar de volta meu nome né?!

Eu tirei um nome da família do meu pai, mas continuo com os outros sobrenomes que eu tinha. Isso não foi um problema nem pra mim, nem pra ninguém da minha família. Portanto, no quesito sentimentos, o assunto sempre esteve super resolvido.

No quesito burocracia o buraco é bem mais embaixo. A documentação do meu casamento foi feita em um cartório aqui no Rio em que a juíza não permite que a mulher retire um de seus nomes para receber o nome do marido. Ou seja, após o meu casamento, eu ficaria com todos os meus 3 sobrenomes e ainda acrescentaria o do Alexandre, fazendo com que eu ficasse quase com nome de princesa. Não teve jeito, e foi exatamente isso que aconteceu. Mas no próprio cartório me explicaram que depois do casamento, quando eu fosse lá pegar a certidão, eu poderia pedir que alterassem o meu nome exatamente como eu queria. Retirando um sobrenome e colocando outro.

Claro, que essa burocracia tem um preço. Preço alto, por sinal. Paguei alguma coisa em torno de R$280 reais para isso. Sim, apenas para trocar o nome da forma como eu gostaria. Mais uma vez: MINHA OPÇÃO. Eu poderia ter ficado com nome de princesa, mas eu não queria por isso paguei.

Como falei acima não mudei muitos documentos, até porque acho que quando eu mudar a minha carteira de motorista, por exemplo, vou me sentir na obrigação de trocar os meus dois passaportes e todos os outros documentos que eu tenho. Então, vou fazendo aos pouquinho, sem estresse e sem despesas muito altas.

Foi exatamente isso que eu tentei explicar para a leitora fofa que me mandou o e-mail. Contei meu caso (de forma resumida) e expliquei pra ela que eu achava importante ela conversar com todos os envolvidos para tomar essa decisão. Assim, ela não se sentiria pressionada sozinha e conseguiria tomar essa decisão com mais tranquilidade.

férias

IMG_0476Tenho que ser honesta com vocês, meu casamento foi um sucesso. Deu tudo certo e não posso reclamar de absolutamente nada. Mas… sempre tem uma coisa aqui e outra ali que dá errado na hora e que muitas vezes ninguém nota, mas a gente que preparou aquilo por meses e mais meses repara. Não foi nada grave ou que não pudesse ser corrigido, mas aconteceu e a gente tem que se preparar para isso. Como esse foi um post super pedido por vocês, resolvi gravar em vídeo para dar mais detalhes e tal.

Quando acabei o vídeo lembrei de mais uma coisa… assim que eu cheguei na festa estava um calor infernal. O pessoal do salão não tinha ligado o ar porque aquele dia estava fazendo frio, então, lá dentro, ficou super quente. Quem ficou dançando começou a derreter… eu que sou calorenta então, fiquei desesperada. Mas rapidinho eles ligaram o ar a temperatura voltou ao normal. hahahahahah

Espero que vocês tenham gostado e entendam que é assim mesmo… chega na hora tem sempre alguma coisinha que sai do planejado, que dá erradinho ou que ninguém previu e acontece. A minha melhor sugestão pra vocês é: não se estressem e aproveitem ao máximo. Provavelmente ninguém percebeu que aquilo aconteceu e ninguém vai perceber, só você. Então relaxa e aproveita porque esse momento passa rápido demais pra você se estressar com qualquer coisa!

Nathalia e Alexandre-416Contei pra vocês no post da degustação dos docinhos que eu não sou muito fã de doce e que pra mim ficar provando isso era uma tortura. Depois da festinha da degustação, peguei o que havia sido mais votado e fiz uma seleção dos docinhos e bolo que eu colocaria no meu casamento.

Nathalia e Alexandre-453 Nathalia e Alexandre-454 Nathalia e Alexandre-456Pra falar a verdade, alguns itens como os brigadeiros, eu nem precisava pensar duas vezes, porque já sabia quem eu colocaria. Mas outros docinhos e o bolo, eu precisava mesmo da ajuda dos universitários. Acabei fechando com 3 fornecedores diferentes e fiquei muito satisfeita. Apesar de não ter comido nenhum docinho na festa, muitos foram pra minha casa e ficaram bem gostoso, além de lindos, claro!

Nathalia e Alexandre-458 Nathalia e Alexandre-460Se eu não me engano, fiz uma conta de mais ou menos 5 docinhos por pessoa e foi uma quantidade boa para encher a mesa, mas não sobrou muita coisa. Hoje teria calculado uns 6 ou 7 para garantir uma sobrinha maior. De bem casados, encomendei 3 por pessoa e foi uma quantidade boa. Daria pra fazer uma conta de 2,5 por pessoa. Já o bolo, me instruíram a calcular menos do que as pessoas presentes e foi ótimo. Mandei fazer bolo para 2/3 da festa e ainda sobrou.

Nathalia e Alexandre-462 Nathalia e Alexandre-468Meu fornecedores foram: Fabiana D´Angelo (brigadeiros incríveis), Denise do Rego Macedo (tem uns sabores mais diferentes) e Regina Rodrigues (são lindos). O bolo fiz com o Casal Garcia. Já os bem-casados, fiz com a Stein Doceria.

Nathalia e Alexandre-473 Nathalia e Alexandre-479Escolhi esses fornecedores não só pelo sabor, mas também pela apresentação e beleza dos doces e pela confiança que tenho neles. Não queria correr o risco de chegar no dia e faltar doce ou o fornecedor não entregar. Tem muitos outros que fazem doces maravilhosos, mas também não queria dividir muito pois achei que na hora de pagar ia ser um saco. Então optei pelas minhas três preferidas e pronto.

Nathalia e Alexandre-491Com relação ao chocolates, resolvi inovar um pouco. Depois de pesquisar preços por ai, fiquei um pouco chocada com o que estava sendo cobrado e resolvi comprar os chocolates do casamento no Duty Free. Quando voltei da minha despedida de solteira, peguei uma super promoção dos chocolates Guylian e comprei. Calculei 2 chocolatinhos por pessoa, por conta de todos os doces que eu já havia comprado. Não sobrou nada. hahahahahha Acho que o pessoal gostou da minha ideia!

Nathalia e Alexandre-464Nathalia e Alexandre-470No geral fiquei bastante satisfeita com o resultado da minha mesa de doces. Além da diversidade de opções, os doces eram bonitos, gostosos e agradaram meus convidados. Nada poderia me deixar mais feliz.

Nathalia e Alexandre-493 Nathalia e Alexandre-492Ah! Vou contar uma parte chata disso tudo. Queria colocar alguns doces portugueses no casamento (aqui no Rio estão super na moda). Liguei para a fornecedora mais famosa daqui para pedir um orçamento e ter uma noção de preço, mas fui tãããão mal tratada por ela no telefone que desisti. Não consigo entender o que leva um fornecedor a destratar um possível cliente. Ela foi grosseira, falou que não sabia quanto custariam os doces em 8 meses (tempo que faltava para o meu casamento) e que os clientes que ela quer ter não perguntam preço, que cliente bom é assim. Ok, então! Deixei pra lá e abstraí esses doces. Só queria mostrar que nem tudo são flores. Aliás, vou fazer um post com algumas coisas que “deram errado” no meu grande dia. Aguardem.

Nathalia e Alexandre-423Já contei milhares de vezes por aqui o quanto fui uma noiva prática em todos os aspectos do meu casamento. Quase não me estressei, quase não tive dilemas e quase não tive dificuldades em escolher as coisas. Mas tinha um item que me deixava insegura desde o primeiro dia: a decoração. Eu sabia que seria uma das coisas mais caras do casamento e sabia que não tinha muita noção do que eu queria, o que me deixava ainda mais insegura.

Nathalia e Alexandre-413 Nathalia e Alexandre-443Comecei a fazer algumas pesquisas e gostava muito de coisas totalmente distintas. Não tinham inspirações que casavam sabe?! Isso começou a me deixar ainda mais nervosa. Então, parei com as inspirações e resolvi correr atrás de profissionais que fizessem um trabalho que fosse do meu gosto. Não um trabalho específico, mas a grande maioria deles. Queria um profissional que me desse confiança, pois sabia que se chegasse na hora H e a flor X que tínhamos acertado que teria estivesse feia, ele ia ter que dar um jeito sem me ligar, sabe?! Eu realmente tinha que confiar muito.

Nathalia e Alexandre-416 Nathalia e Alexandre-430Ai começaram as entrevistas, conversas, orçamentos… até que escolhi a Cris Magalhães pra fazer minha decoração. Eu gosto muito do trabalho dela, ela me ofereceu um orçamento dentro do que eu poderia/gostaria de gastar e ela já tinha sido indicada por outras pessoas (que é um ponto positivo e importantíssimo nesse mundo de casamento). A Cris me acalmou e falou que eu tinha  muito tempo para pensar no que eu queria. Ela estava totalmente certa. Conforme o tempo foi passando, foi ficando mais claro pra mim o que eu gostava, o que queria, o que não queria e que realmente era importante para mim.

Nathalia e Alexandre-431 Nathalia e Alexandre-414Fizemos um orçamento inicial em que projetamos quantidade de mesas, cadeiras, lounges (sofás, mesa de centro e de canto), mesa de doces, flores, iluminação e etc. Comecei a pagar bem antes de ter o projeto definido, assim, eu não precisava largar um dinheirão de uma só vez e, quando foi chegando mais perto, fomos ajustando para o meu gosto. No final, fiquei MUITO satisfeita com tudo.

Nathalia e Alexandre-494 Nathalia e Alexandre-516Escolhi flores rosa choque e um pouquinho de bordô. A única flor que fazia questão que tivesse eram as orquídeas, minhas preferidas (e as mais caras tb!), pra não matar meu orçamento a Cris mesclou com outras e eu amei. Outro pedido especial, e o único que eu sabia desde sempre que eu amava eram as velas. Queria muitas, em todos os lugares possível, penduradas, nas mesas, lounges… A Cris sugeriu fazermos uma mistura com um tom de azul e um tom de bege mais neutro para dar um quebrada.

Nathalia e Alexandre-498 Nathalia e Alexandre-489A papelaria foi exatamente com esse mix: azul com bege. Assim como alguns detalhes como guardanapos, almofadas, alguns vidros e até uma parede que mandamos forrar. Sei que sou suspeita para falar, mas realmente gostei muito mesmo do resultado. Recebi milhares de elogios. Todo mundo falando que estava maravilhoso. Quer saber?! Eu também achei!

Fotos: Objectiva e Gal Oliveira Fotografia