Quando comecei a montar minha viagem pelo Reino Unido eu tinha algumas especificidades que fazia questão de seguir e alguns lugares que não queria abrir mão de visitar. Então, pra começar a programa a viagem basicamente eu tive que “marcar no mapa” os lugares que eu queria ir e tentar traçar uma rota.

Baseei meu roteiro na viagem que um casal de amigos tinha feito alguns meses antes (Thanks Gus e Dani!) e fui adequando os locais, atrações e restrições que eu queria e tinha. Como estava grávida de 19 semanas, tive que maneirar na quantidade de paradas e na velocidade da viagem. Mas honestamente, acho que isso não interferiu em quase nada no roteiro.

Viajamos em fevereiro e era inverno, por isso, tivemos que adequar nosso roteiro as condições climáticas também. Por sorte pegamos dias maravilhosos, de céu azul, muito sol e temperaturas super toleráveis (considerando a estação do ano!)

Incluímos Londres pois conhecíamos pouco a cidade, e aproveitamos para colocar algumas cidades do interior da Inglaterra, além da Escócia e da Irlanda (que foi apenas Dublin, pela falta de tempo). No final o meu roteiro ficou assim:

Dia 1: Londres (Hotel: The Z Hotel Gloucester Place)
Dia 2: Londres
Dia 3: Londres
Dia 4: Londres – Winchester (Hotel: Mercure Winchester Essex Hotel)
Dia 5: Winchester – Stonehenge – Bath
Dia 6: Bath (Hotel: Hilton Bath City)
Dia 7: Bath – York
Dia 8: York (Hotel: Indigo Hotel)
Dia 9: York – Edimburgo
Dia 10: Edimburgo (Hotel: The Scotsman)
Dia 11: Edimburgo – Inverness
Dia 12: Inverness (Hotel: The Bunchrew House)
Dia 13: Inverness – Skye – Glasgow
Dia 14: Glasgow – Dublin
Dia 15: Dublin (Hotel: Temple Bar Hotel)
Dia 16: Dublin – Rio

O que levar em consideração na hora de montar o seu roteiro:

Acho que você tem que pensar em algumas coisas na hora que está preparando a sua viagem pelo Reino Unido.

  • Que tipo de viajante você é? Topa pular de cidade em cidade, prefere ficar muito ou pouco tempo em cada lugar? Gosta de viajar de carro ou prefere trem/avião?
  • Vai viajar no inverno? Topa pegar muito frio? Vai no verão? Faz questão de praia?
  • Tem alguma cidade especifica que queira visitar? Pesquisou alguma coisa sobre a região que pretende conhecer? Topa fazer um “roteiro copiado” de outra pessoa? Prefere montar o seu exatamente como você quer?

Se você pensa em tudo isso, as chances da sua viagem ser um sucesso são enormes. Você monta de acordo com o seu estilo de ser, com os seus gostos, com o seu budget…

Como contei nesse post aqui, fizemos a viagem toda de carro e foi bem tranquilo. Só pegamos o avião para ir de Glasgow para Dublin. Apesar de todo o percurso ter sido feito na mão inglesa, as estradas são bem sinalizadas, o GPS funciona super bem e com calma e tranquilidade você aprende a dirigir na “mão errada” numa boa.

Abaixo coloquei os links para os posts completos de todas as cidades que eu visitei, assim vocês podem ter uma noção melhor do que ver em cada local, como chegar, highlights…Pessoalmente achei esse roteiro bem completo. Pra ficar perfeito, só acrescentaria um ou dois dias extras para visitar Skye na Escócia, um lugar que passamos rápido e nos deixou encantados.

Post completo sobre Winchester, clique aqui.
Post completo sobre Bath, clique aqui.
Post completo sobre York, clique aqui.
Post completo sobre Stonehenge, clique aqui.
Post completo sobre Edimburgo, clique aqui.
Post completo sobre Inverness, clique aqui.
Post completo sobre Dublin, clique aqui.
Post completo sobre viajar de carro no Reino Unido, clique aqui.
Video sobre a viagem pelo interior da Inglaterra, clique aqui.

Ah! Lembrem-se que para entrar na Europa é obrigatório ter um seguro viagem no valor minimo de 30 mil euros. Recomendo o comparador de preços e seguros da Real. É onde eu sempre faço e nunca tive problemas.

Se tiverem dúvidas ou quiserem mais informações é só perguntar aqui nos comentários que eu respondo tudo!

comissão booking hotel minicomissão real seguro minicomissão rentcars carro mini

 

 

 

Obaaaaaa! Mais um video da minha última viagem pela Europa. No CqA TV de hoje, mostrei um pouquinho do nosso roteiro pela Inglaterra. Como contei aqui no blog, passei por Londres, Winchester, Stonehenge, Bath e York, e mostrei isso em vídeo para vocês!

Curtiram? Ficaram com água na boca e querendo conhecer todas essas cidades? Essa era a intenção do video. As dicas do que fazer, como chegar, onde ficar e etc vocês encontram nos posts de cada uma das cidades que visitei.

Não se esqueçam de curtir o canal (clicando aqui) e ficar por dentro de todas as novidades que estamos postando semanalmente por lá. Cliquem no sininho para receber o alerta sempre que tiver novas postagens por lá! =)

10
abr 2017

Bath | Inglaterra

Ainda seguindo a minha rota pelo interior da Inglaterra, saímos de Winchester, passamos por Stonehenge e seguimos para a segunda parada oficial: Bath. Assumo que estava com altas expectativas para conhecer a cidade por conta da sua fama dos banhos termais e da boa comida.

Bath, sem dúvidas, valeu a pena. Uma cidadezinha pacata, com muuuuita história para contar, banhos termais incríveis (para ver e para aproveitar) e claro, a tão falada boa comida que eu estava esperando.

A cidade

Bath é uma cidade do sudoeste de Inglaterra, localizada no Condado de Somerset. É muito conhecida pelas suas termas que provêm de três nascentes (ou captações de água). Se diz que a cidade foi criada devido aos romanos terem ali descoberto uma água com propriedades milagrosas (curativas), no qual o Império Romano construiu umas termas. Só que a tradição oral indica que já era conhecida antes.

Ainda hoje esta água proveniente dos seus nascentes é considerada curativa para muitos males (doenças). Desde a época isabelina até à época georgiana, foi um complexo termal para os ricos. Por causa disto, a cidade possui numerosos exemplos de arquitetura georgiana, com o expressivo ao Royal Crescent (Crescente Real). A cidade tem uma população de cerca de 80 000 habitantes e é Patrimônio da Humanidade. Fonte: Wikipedia.

Como chegar

Chegar a Bath é bem tranquilo. De transporte público, a melhor opção para quem sai de Londres, é pegar um trem na estação de Paddington, e em aproximadamente 90 minutos você estará lá.

Outra opção é pegar um tour direto de Londres ou da cidade que você estiver. O que não faltam são opções desse tipo por lá. Existem diversos bate-volta que, inclusive, podem ser combinados com Stonehenge, Salisbury e Windsor.

Nós estávamos de carro, então, foi bem tranquilo chegar. O GPS te direciona direitinho para a cidade e para quem estiver sem um GPS, não precisa se preocupar, existem milhares de placas no caminho indicando a direção correta.

Como contei, alugamos um carro na RentCars e fomos dirigindo. Quem quiser saber mais sobre como é dirigir na Inglaterra (na mão inglesa), clique aqui.

Onde ficar

Em Bath passamos duas noites e mais uma vez constatei a importância de um hotel bem localizado nessas cidades do interior da Inglaterra. Principalmente se você estiver de carro ou a pé.

Nos hospedamos no Hilton Bath City e achei a localização excelente. Bem pertinho de tudo. Super de fácil acesso, com estacionamento coladinho (pago a parte), café da manhã delicioso e super farto e um quarto bem confortável.

Na época que estava pesquisando cogitei ficar no Francis Hotel by Sofitel porque tinha recebido muitas indicações boas dele e no MacDonald Bath Spa, que um casal de amigos queridos tinha se hospedado a menos de 3 meses e tinha amado.

Outros dois hotéis que chamaram a minha atenção foram o Loch Fine Hotel and Restaurant (que por sinal é um dos restaurantes mais recomendados nas cidades do interior da Inglaterra, tem em várias delas e é realmente delicioso) e no The Griffin Inn, porque tinha uma ótima localização e um preço bem acessível.

O que fazer / Quanto tempo ficar

Passei um dia inteiro por lá e acho que valeu super a pena para conhecer bem a cidade. Infelizmente pegamos chuva o dia todo, o que atrapalha um pouquinho o turismo, mas ainda assim valeu e deu pra fazer muita coisa.

Logo de manhã optamos por fazer um free walking tour, que sai diariamente, às 10h30 e às 14h, do jardim da abadia (onde fica a entrada das termas, em frente a catedral). Esse tour foi ótimo para dar uma geral na cidade, aprender mais sobre a história e claro, ir a lugares que provavelmente não iríamos por nossa conta.

Uma dica bem legal é passar no Centro de Informações da cidade que fica coladinho na Catedral. Lá você consegue informações sobre as atrações, dicas de restaurantes, cupons de descontos e muito mais!

  •  Banhos Romanos: Dois mil anos atrás os Romanos construíram um spa, no local onde fica a única fonte de água termal de toda a Grã-Bretanha. O spa virou museu e guarda uma seleção incrível de objetos encontrados ali, nos Banhos Romanos. Achei a visita imperdível. Vale muito a pena conhecer por dentro, ver como surgiu e como era utilizada essa terma. Hoje, ela está aberta apenas para visitação e não é permitido entrar na água.
  • Spa Thermal: O Thermae Bath Spa foi inaugurado em 2006 e utiliza água de três nascentes diferentes em Bath (são as mesmas nascentes dos Banhos Romanos). Aqui sim, é um lugar perfeito para experimentar o que os Romanos faziam no passado. O lugar é incrível e tem uma vista magnífica da Abadia de Bath. Só não fui porque achei beeeem caro. A opção mais barata oferecida por eles custa £50 apenas para entrar e curtir a piscina aquecida por 3h. Quem se interessar por curtir o local e fazer uma massagem, não deixe de reservar com antecedência pelo site.

  • Abadia: A Abadia, da forma como vemos hoje, é resultado de uma restauração feita em 1616, mas ela existe a mais de mil anos. Vale a pena pegar o tour da torre (Tower Tour) e subir os 212 degraus até o topo. Grávidas, infelizmente, não estão autorizadas a subir. Lá de cima você terá uma linda vista da cidade, que certamente valerá o esforço de ter subido tudo isso.

  • The Royal Crescent: O Royal Crescent é uma construção de 30 casas coladinhas que formam uma enorme curva. Foi construída entre os anos de 1767 e 1775, sendo até hoje um dos melhores exemplos de arquitetura georgiana na Grã-Bretanha.
  • Ponte Pulteney: É de 1174 e tem estilo paladiano. É uma das únicas do mundo a contar com lojas nos dois lados e em toda a sua extensão.

  • Rio Avon: Vale caminhar pela beira do Rio para ver os parques e as pontes. A vista é bem bonita.
  • The Circus: conjunto de residências dispostas em um círculo, que é uma das marcas registradas da cidade e que contribuiu para que Bath fosse declarada Patrimônio da Humanidade.

Onde comer

Acho que o lugar mais bacana para comer em Bath é na George St. e no seu entorno. Comi por lá todos nas duas noites e gostei muito.

Martini: um restaurante tipicamente italiano, com comida deliciosa e preço justo.
Bistrô Pierre: restaurante francês bem bacana. Tem que fazer reserva.
Clayston Kitchen: Outro restaurante bem bacananinha na George St.
The Raven: Pub familiar super famosos pelas suas tortas (empadões) de sabores variados. Boa opção para almoço.

No geral achei a cidade muito simpática e acho que vale incluir no roteiro pelo interior da Inglaterra. Um dia inteiro é suficiente para você conhecer bem a cidade, passear, comer em restaurantes varias, beber em alguns pubs e ainda relaxar no spa termal. Nada mal né!?

Se você tiver interesse pode acessar o site VisitBath para ter acesso a outras informações sobre a cidade, dicas, atrações diferenciadas… e pode seguir o perfil da cidade no instagram @bathtourism para ver as fotos da cidade em tempo real.

Special thanks to Bath Tourism for all their support and for helping us organize the perfect time in Bath.