Todo mundo já sabe que inverno no Rio não é exatamente um inverno de verdade. Mas para nós, cariocas, qualquer 20º já é motivo para tirarmos os casacos do armário, deixarmos o mergulho na praia de lado e sairmos por ai desfilando de botas. Porém, é nessa época também que os cariocas aproveitam as temperaturas mais amenas para fazer alguns programas diferentes e que não costumamos fazer no verão.

1. Passear pelo Centro da Cidade: O Centro do Rio tem se tornado cada vez mais um local de ótimas atrações para turistas e cariocas. Com as temperaturas mais baixas isso se torna ainda mais agradável pois conhecer os museus, no meio da selva de pedras, num verão de 40º é uma missão um tanto quanto difícil. Fiz um post com um roteirinho pelo centro e vocês podem ver aqui. Mas se quiserem os hotspots do centro, não deixe de visitar o Museu do Amanhã, MAR, AquaRio e claro ir e vir de VLT. É um passeio super divertido e e diferente.

2. Café da manhã em locais diferentes: Acho que essa é uma super dica. Como no inverno a cidade fica mais vazia e no verão além de lotada o calor é quase insuportável, as temperaturas mais amenas são boas para que você experimente tomar café da manhã em locais ao ar livre e diferentes do comum. Recomendo muito o Instituto Moreira Sales, Empório CR, Parque Lage, Confeitaria Colombo do Forte de Copacabana… além de fazer uma ótima refeição, vocês vão ter a oportunidade de conhecer esses lugares com menos gente e mais conforto.

3. Trilhas, trilhas e trilhas: Eu amo fazer esse programa. Já contei isso por aqui e no inverno as trilhas do Rio ficam ainda mais gostosas por conta das temperaturas e claro, porque não ficam completamente lotadas de turistas e cariocas. Fiz uma listinha aqui com algumas das trilhas que já experimentei e as que mais gosto. Recomendo que vocês comecem pela Morro da Urca e Pedra Bonita. São seguras, tranquilas de subir e com uma visual super lindo. Vale a pena.

4. Subir a serra: Essa é uma dica para o final de semana ou para quem tem mais tempo na cidade. Subir a serra e conhecer lugares como Itaipava, Nova Friburgo ou Teresópolis pode ser bem legal nessa época. Principalmente para aqueles que gostam de um frio de verdade. Por lá vocês vão comer ótimos fondues, sopas diferentes e ainda fazer programas que não são muito comuns na cidade. Em Itaipava você pode visitar a cervejaria Bohemia, em Nova Friburgo procurar um dos muitos hotéis-fazenda da região em Teresópolis podem ir na feirinha ou fazer um passeio pela Granja Comary, por exemplo. Tudo isso se hospedando em hotéis super bacanas, como o Quinta da Paz e visitando restaurantes como o Abadia.

5. Praias mais vazias: Quem disse que só porque é inverno você não pode aproveitar as praias do Rio?! As temperaturas caem um pouco mas o sol continua com tudo e as praias ficam beeem mais vazias. Você pode aproveitar a oportunidade para andar no calçadão, assistir o pôr do sol no Arpoador, pegar algum day use de hotel com praia ou ainda conhecer praias um pouco mais distantes como Reserva e Prainha.

Agora é só você escolher o melhor (ou os melhores) programas pra você e aproveitar o inverninho que tem feito na cidade maravilhosa. Nada mal né?! Eu já estou colocando alguns deles em prática, e você?!

Há quase 3 anos atrás fiz um post bem parecido com esse, falando de 10 destinos que eu tinha sonho em conhecer, mas não tinha tido a oportunidade ainda. De lá pra cá, conheci muitos lugares bacanas no mundo, mas, por algum motivo que não sei explicar vários desses que era (e continuam sendo) sonhos não saíram do papel.

Hoje, resolvi voltar com esse assunto e rever a minha lista… será que os países continuam os mesmos? Será que os destinos-desejos mudaram? Será que as prioridades mudaram? Vamos ver?

Egito: Segue sendo meu maior sonho de viagens.. não sei explicar bem, mas desde criança sonho em fazer essa viagem. Ela já está montada na minha cabeça há uns 9 anos, mas por diversos motivos, entre eles guerras e questões políticas de lá, não consegui colocar em prática ainda.

Tânzania e Zanzibar: Essa é novidade na lista, pode ser modismo, pode não ser… de uns tempos para cá me encantei muito com esse destino. Acho que comecei a conhecer melhor, me informar mais e ver como poderia ser incrível fazer essa viagem. Acho que agora, com um bebe pequeno, ela vai acabar demorando para sair do papel, mas um dia ela sai.

Mianmar: Outro destino novo e que tem chamado muito a minha atenção. Na verdade, sou apaixonada pela Ásia, então, fica fácil pra mim colocar vários destinos de lá. Mianmar, mais especificamente Bagan, é um dos lugares que chama muito a minha atenção e que me deixa morrendo de vontade de voltar para a Ásia.Peru: Sigo morrendo de vontade de ir a Machu Picchu. Apesar de ser bem pertinho do Brasil, por motivos de falta de férias/tempo acabei nunca indo. Certamente é a minha prioridade no quesito viagens não muito distantes. Quem sabe ano que vem ela não sai do papel…

Japão: Outra viagem que por motivos práticos (e financeiros… ô viagenzinha cara!) não saiu do papel. Acho que eu precisaria de mais tempo e dinheiro para conhecer o Japão como eu gostaria. Agora, com um bebê, não acho que seja um problema ir pra lá. O lugar tem uma boa estrutura, tem muitas crianças… acho que o pior deve ser o longo vôo mesmo.

Exuma, Bahamas: Esse lugar não estava e nunca esteve nas minhas listas de desejo de viagem, até uma conhecida ir pra lá e eu ficar de queixo caído com as praias e com o mar desse lugar. Fiquei realmente boquiaberta e mal posso esperar para visitar esse destino tão igual e ao mesmo tempo tão diferente.

Mendoza: Desde que voltei da minha lua de mel tenho me encantado com viagens que envolvam vinho e frio. Mendoza é um lugar que super parece atender essa expectativa. Como é pertinho, acho que não vai demorar para conhecer mais essa região da Argentina. Um feriado prolongado ano que vem não vai ser nada mal.

Filipinas: Essa viagem é o sonho do Alexandre na verdade, mas acabou sendo um pouco meu também. Assumo que quando comecei a pesquisar para ir, me envolvi tanto que acabei me apaixonando. Infelizmente essa acho que vai demorar a sair do papel, além de longe tem uma complexidade muito grande na organização e deslocamento. El Nido e Boracay terão que esperar um pouco.

Austrália e Nova Zelândia: Continua sendo um sonho do Alexandre que acabou me contaminando. E continua sem sair das nossas ideias única e exclusivamente por ser uma viagem cara, que exige tempo pra ser bem feita. Mas sem dúvida são destinos que quero muito conhecer.

Noruega: Na verdade, a Noruega em si não é um destino dos sonhos, mas ver novamente a aurora boreal é! E como já tive a oportunidade de conhecer a Islândia e ver a aurora por lá, acho que a próxima parada vai ser mesmo na Noruega, no inverno e numa posição privilegiada para ver essa lindeza da natureza.

Essas são as minhas viagens dos sonhos no momento e a de vocês? Tem algum lugar que vocês gostariam muito de ir e colocaram na whishlist de viagem de vocês? Alguma que esteja ai na minha lista!?

Acho que Miami dispensa apresentações né? Quem não conhece a cidade, pelo menos já ouviu falar nela, em suas praias, baladas, restaurantes e claro, nas (muitas) boas compras que ela oferece.

Vocês que já me acompanham aqui sabem que estive por lá para fazer as comprinhas do enxoval da Victoria, mas aproveitei a minha estada para conhecer melhor a cidade, seus programas culturais e pegar várias dicas para vocês. Vamos lá?

A cidade

Miami  é uma cidade localizada no estado americano da Flórida, no condado de Miami-Dade, do qual é sede. É a segunda cidade mais populosa da Flórida, depois de Jacksonville, e a 44ª do país.

A atual cidade tem origem numa povoação criada no fim do século XIX, que prosperou com o caminho-de-ferro e o porto. Miami é também conhecida por ter uma grande comunidade de exilados cubanos, principalmente concentrados na Little Havana.

Miami é um centro turístico, sendo uma das cidades mais visitadas por turistas nos Estados Unidos, por causa de seu clima quente durante o ano inteiro, e pelas suas praias. A cidade é uma das mais frequentadas pelos snow birds (termo usado para descrever os habitantes da região norte dos Estados Unidos, que passam o inverno nos Estados do Sul, em especial, a Flórida, para fugirem da neve e ao frio). O turismo tornou-se uma importante fonte de renda de Miami a partir da década de 1920, e é atualmente a principal fonte de renda da cidade.

São falados comumente na cidade, além do inglês, o espanhol, devido à quantidade de hispano-americanos (de origem cubana, porto-riquenha, mexicana e de outros países da América Central) morando em Miami. A região também conta com uma colônia judaica numerosa.

Nos arredores da cidade está o Aeroporto Internacional de Miami, que é o segundo aeroporto mais movimentado do estado, atrás apenas do Aeroporto Internacional de Orlando. Este aeroporto está em tempos atuais em reformas, o que possibilitará a operação de grandes jatos, como o A380, da Airbus e outros grandes aviões.

Muitos imigrantes ficam em Miami, ou pelo menos desembarcam de suas viagens imigrantes por Miami, por causa de sua proximidade com a América Central, e também pela cidade situar-se no litoral, facilitando assim o acesso aos Estados Unidos através do litoral. Fonte: Wikipedia.

Como chegar

Do Brasil para Miami existem diversos vôos diretos o que facilita muito a ida dos brasileiros para lá. A Latam é uma das companhias mais usadas para o trecho pois sai de quase todas os estados do país. A Azul, também voa sem escalas para Miami saindo de Campinas (o que é ótimo pois em geral os vôos tem um preço excelente!). Outra cia aérea que faz o trajeto é a TAP através de suas parceiras e a Avianca também com uma curta escala em Bogotá. Além dessas, você pode voar para Miami com as companhias aéreas americanas que vem ao Brasil como a American Ailines, Delta e United.

Se você quiser economizar, pode procurar um vôo para Fortlauderdale, por exemplo. A cidade fica a apenas 20 minutos de Miami e costuma ter vôos mais baratos pois o aeroporto é um pouco menor e menos conhecido. Você pode procurar passagens pelo Voopter.

Seguro viagem

Os Estados Unidos não exigem que o turista tenha um seguro saúde na hora de ingressar no país. Porém, como já falamos diversas vezes por aqui acho extremamente importante estar assegurado quando viajamos.

Eu sempre recomendo que vocês façam um orçamento com o comparador de preços e coberturas da Real. Sempre fecho com eles pois é fácil de encontrar o melhor seguro pra mim sem pagar caro por isso. Eles são parceiros do blog e eu sempre utilizei os serviços e nunca tive problemas.

coisas que amamos comissão real seguros

Clima

Um dos grandes atrativos de Miami é certamente seu clima ameno. A cidade não tem um inverno muito rigoroso o que faz dela uma ótima opção para quase todo o ano. Enquanto no verão as temperaturas sobem e podem chegar a 35ºC, a chance de chuvas aumenta. Já no inverno os termômetro baixam um pouco as temperaturas que alcançam 14ºC e a cidade fica mais cara e mais movimentada (por conta das festas de fim de ano).

Lembre-se que Miami fica na rota de furacões e vira e mexe é afetada por essas tormentas. Os meses de junho a novembro são os meses conhecidos por isso, setembro principalmente.

Eu fui no final de abril e início de maio e achei tudo ótimo: temperatura super agradável, cidade cheia no limite (sem perrengues para ir ao shopping ou a restaurantes) e apenas com 2 horinhas de chuva em 10 dias que estive por lá. Deu pra curtir a praia e fazer os programas sem nenhum problema.

Como se locomover

Miami é uma cidade onde as coisas ficam muito espalhadas umas das outras, por isso, estar de carro é fundamental. O transporte público lá não é dos mais acessíveis e você vai sentir falta de ir e vir com liberdade se não estiver dirigindo.

Eu costumo alugar meus carro com a RentCars e nunca tive problemas. Dessa vez também foi ótimo, principalmente por que tínhamos diversas questões com o carro dado que íamos fazer o enxoval, estar com muitas malas e teríamos dois motoristas diferentes em 10 dias de viagem. Sem problema algum. Tudo perfeito!

Outra opção é usar o uber. O aplicativo é super utilizado pelos moradores e é também uma boa opção para quem quer beber ou dar uma volta na cidade sem precisar se preocupar com a direção ou estacionamento do carro.

Se você tem dúvidas sobre a carteira internacional de habilitação, clique aqui para ver o post completo explicando tudo sobre ela.

Onde ficar

Miami é uma cidade grande e como falei as atrações, hotéis e shoppings ficam bem espalhados. Na minha opinião, se você está indo pela primeira vez para a cidade Miami Beach é o melhor lugar para se hospedar. Aliás, se você não está indo pela primeira vez mas quer curtir a cidade em si, continua achando Miami Beach uma ótima opção.

Outro bairro que tem crescido muito no quesito hospedagem é a região de Brickel, que na teoria, é uma região mais comercial. Mas de uns anos para cá tem se tornado uma excelente opção de bairro para se hospedar também.

Mandarin Oriental

Vou começar falando desse hotel maravilhoso que eu visitei quando estive por lá. O Mandarin Oriental é daqueles hotéis de cair o queixo, sabe? Lindo, luxuoso, confortável e bem localizado. Não tem como ser melhor. Ele fica na Região de Brickel, mais especificamente na Ilha de Brickell Key com vista para a baía de Biscayne.

Não cheguei a conhecer os quartos, mas posso garantir que a área de lazer já vale a sua estada por lá. A piscina com borda infinita é deliciosa, assim como os tratamentos do Spa, que é uma coisa de outro mundo. Falei sobre ele aqui.

Pelo que pesquisei os quartos são muito confortáveis também, todos bem amplos, com varanda e ótima infraestrutura. Os restaurantes do hotel são bem interessantes também. Além do La Mar by Gastón Acurio, um peruanos incrível, eles também tem o Azul que serve uma espécie de fusão entre comida asiática e francesa e o MO Bar + Louge, que oferece drinks e pratos mais leves aos visitantes. Reserve aqui!

COMO Metropolitan Miami Beach

Uma das minhas opções preferidas em Miami Beach. Ele fica ao mesmo tempo perto e longe do agito e tem ótimo custo x benefício para o hotel que é o serviço que oferece. O hotel, que fica a beira mar, oferece todas as comodidades de um hotel de luxo com um preço um pouco mais acessível.

Ele está a poucos minutos da Lincon Road e a apenas 15km do aeroporto. Seus quartos são amplos e tem decoração vintage, uma das marcas registradas do hotel. Além de tudo isso conta com ótimas piscinas, serviço de praia e claro bons restaurantes. Reserve aqui!

The National, Stiles Hotel e Daddy´O

Esses são algumas outras opções de hotéis um pouco mais baratas, menos luxuosas mas ainda assim bem localizados (em Miami Beach) e com boa estrutura para os turistas. Cada um com seu benefício como estar a uma quadra da praia, ter shuttle para o shopping na porta, aceitar animais de estimação, contar com estacionamento e etc.

O que fazer

Mostrei aqui alguns programas diferentes para se fazer em Miami, acho que além das compras Miami tem muito a oferecer, mas claro, não é sempre que podemos fugir dos programas tradicionais nas cidade, por isso, selecionei algumas coisas que considero imperdíveis pra você fazer quando estiver por lá.

  • Design District: Surgiu recentemente na cidade e ganhou uma enorme notoriedade tanto para os turistas, que vão lá fotografar os famosos Wynnwood Walls, como também para os locais, dado que a região era meio abandonada e agora foi toda revitalizada e hoje conta com galerias de arte, lojas de luxo e bons restaurantes.Quem gosta de arte não pode deixar de ir conhecer e bater perna por lá. Durante a semana e aos sábados as lojas e galerias ficam abertas e é possível entrar e sair delas, vendo as obras, conhecendo os autores e vivendo um pouco uns dos bairros mais “cools” de Miami.É também lá que ficam os famosos muros de Wynwood onde os turistas fazem aquelas fotos super tradicionais nas paredes coloridas.

  • Ocean Drive/Art Deco District: Uma das ruas mais famosas da cidade não pode ficar de fora do seu roteiro. Vale passear por ali, conhecer um pouco a região, ver os prédios iguais em estilinho Art Deco. Acho bem fofo. Se não quiser perder muito tempo por ai, passe de carro devagarinho. A rua está sempre engarrafada e você vai conseguir sentir o clima e ver um pouquinho da famosa Ocean Drive.
  • Lincon Road: Outra rua imperdível no seu roteiro. Essa pode até entrar no roteiro de compras pois além dos muitos restaurantes, ela também é lotada de lojas. Como é uma rua peatonal (fechada para carros) você vai poder passear tranquilamente por ali, escolher um lugar para sentar, tomar um drink e ver o movimento das pessoas na rua.
  • Everglades: Contei sobre o passeio a Everglades aqui. Adorei ter feito isso, foi uma experiência super diferente do tradicional e muito bacana. Fizemos um tour de airboat pela região e foi ótimo. Vimos muitos jacarés super de pertinho, bem mais do que eu vi quando fui a Amazônia, por exemplo. Valeu muito a pena.

  • Coconut Grove: Nessa viagem para Miami não estive em Coconut Grove, mas na minha última estada por lá tive a oportunidade de conhecer esse bairro e adorei. É tudo super lindinho, com bares, restaurantes, lojinhas… bem fofo. Vale a visita.
  • Key Biscayne: A ilhota de Key Biscayne fica do ladinho de Miami Beach e Brickel e é um passeio super bacana e diferente na cidade. Você pode passar o dia na praia, nos restaurantes, lojinhas ou apenas da um pulo para admirar o skyline de Miami. Para saber mais, veja aqui.

  • Florida Keys: Certamente você já ouviu falar em Key West, mas talvez nem saiba que a cidadezinha mais ao sul da Flórida faz parte dos famosos Keys. O arquipélago é composto por diversas ilhas e uma estrada lotada de pontes incrivelmente linda (e gigantesca) que faz a conexão entre essas ilhotinhas: a Overseas Highway.Se você pretende ir a Key West, recomendo que vá com algum tempo. Diria para passar pelo menos duas noites por lá para conseguir aproveitar o que a região tem de melhor. Além de conhecer a cidade, você vai parando no caminho em diversos locais interessantes, vai curtindo a estrada e claro, mergulhando nas muitas praias de água turquesa que vai encontrar pelo caminho.Em Key West, aproveite para passar um dia na cidade, curtir seu hotel, os restaurantes e pontos turísticos dali e o outro separe para conhecer o Dry Tortugas National Park. Um passeio lindo onde você vai poder visitar um forte abandonado e se encantar com a vida marinha da região em um dos muitos mergulhos de snorkel que você vai fazer por lá.Sugestão de hotéis em Key West: Casa Marina, Hyatt Centric, Margaritta Ville e La Concha.

Onde comer

Ahhhhhhhhhh! Como temos opções boas para comer em Miami. Assumo que me surpreendi com as ótimas opções de restaurante que experimentei nessa viagem. Preparem-se para comer MUITO bem e gastar uma graninha também, afinal, tudo que é bom tem um preço.

  • Casa Tua: Acho que esse foi o restaurante que eu mais gostei dessa minha temporada em Miami. Um italiano escondidinho e delicioso pertinho da Lincon Road. Pedimos uma burrata de entrada que estava ótima e para o prato principal optei por uma massa trufada que estava dos deuses. O lugar é muito romantiquinho e é necessário fazer reserva. Site oficial.

  • Juvia: Restaurante super badaladinho que fica no alto de um dos primeiros prédios da Lincon Road. Se tiver a oportunidade faça sua reserva para um horário em que você consiga aproveitar a vista, mas que não perca o pôr do sol e a noite por lá. Com o escurecer o restaurante vai ficando badaladinho, com DJ, gente dançando… muito legal. Não esqueça de fazer sua reserva. Site oficial.

  • La Mar by Gastón Acurio: Já falei um pouquinho desse restaurante por aqui, mas acho que ele foi uma das maiores surpresas da viagem pra mim. Não sou muito de comidas exóticas e estava tensar de comer em um restaurante peruano. Quanto bobeira! O restaurante é incrível, a comida é deliciosa e o fato de ser peruano só interfere se você quiser dessa forma. Foi um almoço fenomenal, com uma vista linda e com alguns dos melhores pratos que pude experimentar na viagem. Site oficial.

 

  • Seaspice: Outra opção bem bacana em Miami. Optamos por deixar esse restaurante para ser o último da viagem para fechar com chave de ouro e acertamos na mosca. Almoçamos lá no dia de voltar para o Brasil e foi uma ótima pedida. Ambiente super gostoso, frutos do mar fresquinhos e um mix de agito e calmaria que é a cara de Miami. Site Oficial.

  • Cecconis: Fomos ao Cecconis experimentar o famoso brunch de domingo oferecido por lá. A comida, como era de se esperar estava excepcional. Comemos muito bem. Foi caro, mas foi uma ótima pedida. Se você estiver por lá aos domingos, não perca a oportunidade de experimentar o brunch deles. Site Oficial.

  • Prime 112: Um restaurantão de carne em South Miami Beach de colocar qualquer argentino no chinelo. Pedimos uma carne super gostosa com purê de batata com alho e aspargos e de sobremesa, deixamos espaço para os famosos “Oreos Fritos”. Bem gostoso.

  • Burger Fi: Essa é uma dica dos locais. Recebi a recomendação de uma pessoa que mora lá e outras várias que já moraram: “Troquem o Shake Shack pelo Burger Fi e vocês não vão se arrepender”. Quase dito e feito, não chegamos a trocar. Fomos nos dois e realmente amamos o Burger Fi. Recomendo muito o hamburguer chamado The CEO. É dos deuses. Muito delicioso.

  • Cheesecake Factory: Acho que essa dica talvez nem merecesse estar aqui pois muita gente já conhece, mas como eu não conheci e amei, resolvi recomendar. Estive lá em 3 dias da viagem e adorei todas as vezes. Os pratos são bem grandes e super tranquilos de serem divididos, inclusive, recomendo muito que você faça isso para poder deixar um espacinho para o gran finale: o cheesecake. Nós comemos de Oreo todas as vezes e eu amei! Estava incrível. Site Oficial.

Se você tem dúvidas de como fazer reservas para os restaurantes usando o Open Table (site que administra as reservas dos restaurantes), clique aqui. Expliquei como ele funciona há um tempo atrás.

Compras

Por mais que a gente negue ou resista (pelo menos um pouquinho), Miami é sim o paraíso das compras. Por isso, fiz um roteirinho aqui para os amantes dos shoppings e das boas compras nos Estados Unidos.

Se vocês estão procurando as pechinchas não importa o sacrifício os melhores lugares são os outlets do Sawgrass Mills (fica a uns 40 minutos de Miami Beach) e o Dolphin Mall. Lá vocês vão encontrar as principais lojas dos Estados Unidos com muitos descontos bacanas. Uma boa dica aqui é comprar o cupom de descontos do Sawgrass quando chegar lá. O boletinho custa U$10 e dá descontos variados em quase todas as lojas do outlet. Vale super a pena. Outra barbada por lá é a Saks 5th Avenue Off. Pra quem quer comprar peças de marca e pagar mais barato, vale dar uma passada lá. Eles tem bolsas de grife, vestidos de festa, calças jeans, óculos de sol… tudo com ótimos descontos.

Se a sua ideia é passear por um lugar agradável, com lojas bacanas e bons restaurantes, você não pode deixar de ir ao Bal Harbour e ao Shops at Merrick Park. Esse segundo por sinal, foi o meu shopping preferido de todos. Adorei a estrutura, os restaurante e claro, as lojas. Por lá encontrei uma das únicas Pottery Barn Kids de Miami, acreditam?! No Bal Harbour vocês vão encontrar as lojas de luxo todas reunidas em um só local.

Ufa! Acho que é isso. Aqui dá pra vocês terem uma boa noção do que fazer, onde ir, melhores restaurantes e etc. Miami é uma cidade gostosa e passear por lá, curtir as praias e as boas compras é sempre um prazer.

Interrompemos a programação internacional para falar de uma viagem super bacana pelo Brasil: Bento Gonçalves. Estive lá no último feriado e adorei o local. Além de ser um lugar lindo, é um passeio delicioso para fazer em casal, em família, com crianças…

Fui com uma missão especial: ser madrinha de um casamento. Mas já que estava lá, mal não faria em dar uma voltinha, conhecer a região, as vinícolas, restaurantes e claro, anotar tudo para passar pra vocês.

A cidade

Bento Gonçalves é um município do estado do Rio Grande do Sul, na Região Sul do Brasil. Ao longo de sua história, já foi conhecida como Cruzinha e Colônia Dona Isabel. A cidade foi erguida onde antigamente era um distrito da cidade de Montenegro. A área era habitada por índios caigangues desde tempos imemoriais, mas estes foram desalojados violentamente pelos chamados “bugreiros”, abrindo espaço, no final do século XIX, para que o governo do Império do Brasil decidisse colonizar a região com uma população europeia. Desta forma, milhares de imigrantes, em sua maioria italianos da região do Vêneto, mas com alguns integrantes de outras origens como alemães, franceses, espanhóis e polacos, cruzaram o mar e subiram a Serra Gaúcha, desbravando uma área ainda quase inteiramente virgem.

Depois de um início cheio de dificuldades e privações, os imigrantes conseguiram estabelecer uma próspera cidade, com uma economia baseada inicialmente na exploração de produtos agropecuários, com destaque para a uva e o vinho, cujo sucesso se mede na rápida expansão do comércio e da indústria na primeira metade do século XX. Ao mesmo tempo, as raízes rurais e étnicas da comunidade começaram a perder importância relativa no panorama econômico e cultural, à medida que a urbanização avançava, formava-se uma elite urbana ilustrada e a cidade se abria para uma maior integração com o resto do Brasil. Durante o primeiro governo de Getúlio Vargas houve uma séria crise entre os imigrantes e seus primeiros descendentes e o meio brasileiro, quando o nacionalismo foi enfatizado e as manifestações culturais e políticas de raiz étnica estrangeira foram severamente reprimidas. Depois da Segunda Guerra Mundial a situação foi apaziguada, e brasileiros e estrangeiros passaram a trabalhar concordes para o bem comum. Em 2016 o município adotou o talian como língua co-oficial, ao lado da língua portuguesa.

Atualmente, a cidade é o 18º município mais populoso do Rio Grande do Sul e o 264º município mais populoso do Brasil. Sua economia se baseia na produção de uva e vinho, no turismo e no setor moveleiro, sendo o maior polo moveleiro e um dos maiores polos industriais e turísticos do Brasil. Fonte: Wikipedia.

Como chegar

Se você estiver em outro estado ou país, pode ir até Porto Alegre ou Caxias do Sul de avião e seguir viagem de carro ou ônibus. O aeroporto mais próximo de Bento Gonçalves fica em Caxias do Sul, a 45km. O aeroporto de Porto Alegre fica a 124km e tem vôos internacionais, além dos nacionais como Latam, Gol, Avianca e Azul.

As empresas Itapemirim e Penha têm ônibus partindo de diversas capitais do país com destino a Porto Alegre. A viação Unesul faz a linha Porto Alegre x Bento Gonçalves.

A nossa opção foi avião + carro alugado. Saímos do Rio de avião e chegando no aeroporto de Porto Alegre alugarmos um carro. A estrada é boa e com um GPS/GoogleMaps/Waze em mãos o caminho é bem fácil de achar. A viagem dura em média 1h45. Como de costume, alugamos o carro com a RentCars, que é parceria do blog e costuma ter o melhor preço no comparativos das empresas de aluguel.

Clima

Sou suspeita para falar pois sou apaixonada pelo friozinho da região Sul do país. Bento Gonçalves é assim, sempre friozinho. No verão as temperaturas sobem bastante, na primavera e no outono fica aquele frio gostoso e no inverno as temperaturas despencam. Por isso, prepare-se bem para o período da sua visita.

No verão, as temperaturas máximas chegam a 27ºC enquanto as mínimas não passam de 15ºC. Já no inverno, a temperatura máxima é de 18ºC e as mínima de 6ºC.

Onde ficar

Optamos por conhecer e nos hospedar no Spa do Vinho, um hotel da Autograph Collection, e um dos melhores (se não o melhor) da região. Gostamos bastante de ficar lá, além de ser do lado do local do casamento, era um ótimo hotel, com boa estrutura, super bem localizado na região e claro, um spa de cair o queixo.

Os quartos eram simples, principalmente os banheiros que deixavam a desejar um pouco já que é um hotel 5 estrelas. Mas ainda assim, gostamos muito. O café da manhã era delicioso e muito farto. O spa, maravilhoso. Fiz uma das melhores massagens da vida por lá. Valeu muito a pena.

Além disso, o hotel fica bem em frente a Miolo, no alto de uma colininha, então, tem uma vista lindíssima. Curtimos!

Como estávamos em um grupo grande que foi para o casamento, meus amigos tiveram a oportunidade de experimentar outros hotéis da região. Vou aproveitar para colocar aqui outras opções pra vocês. Alguns são ainda na região das vinícolas, outros ficam mais perto da cidade. Os preços mudam também. É bom pra todos os gostos, bolsos e estilos. Vamos lá: Hotel LaghettoDall Onder Grand Hotel, Pousada Terragnolo e Hotel Villa Michelon.

Vinícolas

Como vocês sabem, eu viajei grávida, mas nem por isso perdi a oportunidade de visitar as vinícolas e conhecer melhor a região. Sobre os vinhos, dessa vez, não vou dar minha opinião, mas sobre os lugares que foram bacanas de serem visitados isso sim vocês vão ver por aqui.

  • Miolo: Não tinha como não ir. Além de ser bem em frente ao nosso hotel, é uma das vinícolas mais famosas da região. Fizemos o tour por lá e foi super bacana conhecer mais do processo de produção, engarrafamento e estoque de todos os vinhos da Miolo. Essa degustação tem um custo, mas como éramos hospedes do Spa do Vinho, tínhamos um voucher que dava direito a gratuidade.Outro ponto positivo da visita, é o jardim aberto que eles tem do lado de fora onde você pode sentar, fazer um picnic, ver os patinhos no lago e comer por ali. Os noivos do nosso casamento organizaram um almoço nessa área externa e foi delicioso. Vários lounges baixinhos, almofadas no chão pra sentar, ambiente super lindinho. Gostei muito.

  • Lidio Carraro: Uma das vinícolas mais indicadas na região para degustação de vinhos. Nós também fomos nela. Ela fica coladinha na Miolo e também é bem perto do Spa do Vinho. O esquema lá é diferente. Você não conhece a vinícola em si, eles te mostram tudo através de um video enquanto você vai degustando alguns dos vinhos deles. Eles tem uma bela seleção de vinhos premiados e comprando na vinícola os preços costumam ser melhores, né!? Essa degustação tem um custo, mas como éramos hospedes do Spa do Vinho, tínhamos um voucher que dava direito a gratuidade.
  • Casa Valduga: Outra vinícola com vinhos bem legais. Sou suspeita para falar pois escolhi um espumante deles para servir no meu casamento. O esquema lá é diferente. Ou você faz um super tour demorado, com muitas explicações e passeios pela vinícola ou entra na lojinha e prova os vinhos que possam te interessar para comprar. Foi isso que nós fizemos. Como não tínhamos tanto tempo assim para fazer o super tour, acabamos optando por esse esquema. Pra fazer isso você não precisa pagar nada. Uma dica aqui é: Suba até o topo do prédio onde fica a lojinha, a vista lá de cima é bem bonita e vale umas fotos.

  • Pizzato: Uma vinícola bem pequenininha mas com ótimos vinhos (foi o que me disseram!). Visitamos ela exatamente pelo excesso de elogios que ouvimos aos vinhos. Fizemos o mini tour e depois a degustação. Nela pudemos ver o pequeno parreiral que fica atrás da vinícola e tivemos uma ótima aula sobre vinhos, degustação, produção e etc. Cada pessoa pagou R$20 pelo tour + degustação.

  • Almaúnica: Infelizmente nas duas vezes que fomos estava fechada. Queríamos muito ter feito o tour e a degustação por lá. Já conheço alguns vinhos deles e assumo que era uma das que eu estava com mais vontade de conhecer. Como ela fica bem pertinho de todas essas outras, acho que vale colocar na sua listinhas de lugares para visitar por lá.
  • Cave de Pedra: Essa não conseguimos fazer tour ou degustação em si, mas como o casamento aconteceu por lá, tive a oportunidade de ver o espaço e provar os vinhos durante o casamento. O lugar é lindíssimo e já vale a visita por isso. Parece um castelinho de pedras mesmo, cercados pelos parreirais. Lindo demais. Fomos no fim da tarde e recomendo esse horário. O sol se pondo ali é lindíssimo.


As que eu não fui, mas queria ter ido…

  • Cristofoli: Não tivemos tempo de conhecer, mas sei que eles oferecem um picnic no meio das parreiras. Acho que deve ser uma experiência muito legal. Queria muito ter tido a oportunidade de conhecer.
  • Cave Geisse: Além de ter o espumante mais premiado do Brasil, eles tem um passeio de 4×4 pela vinícola que parece ser super interessante. Infelizmente era longe demais pra gente, e balançante demais pra uma grávida. Mas tá na minha lista para a próxima visita a região.
  • Salton: Além de ser uma das mais conhecidas da região, oferece um menu harmonizado com seus espumantes que deve ser uma delicia.
  • Chandon: Não fica em Bento, mas fica no caminho para lá. Não seria nada mal para para degustar alguns espumantes né?!

DICAS: É importante lembrar que quase todas as degustações precisam de reserva. É possível sim conseguir fazê-las sem reservar, mas na alta temporada recomendo que vocês reservem pela internet. | Esses passeios diferentes como o da Cave Geisse e o da Cristofoli só são feitos com reserva, por isso, não pense duas vezes e reserve tudo pela internet com antecedência. Eles costumam esgotar bem rápido. | Se você está grávida ou não bebe, não se preocupe. Quase toda as vinícolas oferecem suco de uva para quem não quer degustar os vinhos. | Se você vai com crianças, não precisa pensar duas vezes, a região apesar de focada em vinhos, tem muitos atrativos para os pequenos. Inclusive um tour de suco de uva na Aurora. Muito interessante.

Onde comer:

Como falei aqui ficamos super em função do casamento então não tive a oportunidade de comer em muitos restaurantes diferentes, mas consegui experimentar alguns que gostei muito e faço questão de recomendar.

Valle Rústico: Sem dúvidas o melhor restaurante da viagem. Comemos muitíssimo bem. A ideia do restaurante é fazer um menu degustação de 11 pratos com o melhor que a região oferece. Então, o cardápio não é pronto pensado com antecedência, ele muda diariamente com o que tem de mais fresco para você comer. Todos os produtos são orgânicos, frequíssimos e o cardápio é todo pensado para que os pratos estejam alinhados entre si e claro, com o ambiente natural do restaurante. Foi uma experiência incrível de jantar e eu recomendo muito. Ah! Lembrem-se de fazer reserva.


Spa do Vinho: Jantamos no restaurante do Spa do Vinho uma das noites em que estivemos por lá e gostamos muito dos pratos. O restaurante em si não é nada demais, porém, a comida estava bem gostosa e a comodidade de não precisar sair do hotel em um dia cansativo valeu o jantar.

Miolo: Como comentei acima, na Miolo eles tem um espaço aberto em que você pode comer, fazer um picnic e curtir o ambiente. As comidas são carinhas, mas bem saborosas. Gostei da ideia do lugar e do ambiente. Acho que vale para um lanche no fim da tarde ou para beliscar alguma coisa caso bata uma fominha. Como fomos no esquema do almoço de casamento, acho que a estrutura era diferente, mas ainda assim recomendo o espaço para um passeio e um lanchinho/almoço.

Acho que com esse post vocês conseguem ter uma ideia bacana sobre Bento Gonçalves, seus vinhos, vinícolas, programas e passeios né? Certamente preciso voltar a cidade para conhecer um pouco mais da região, para experimentar os vinhos e claro, para conhecer a cidade em si, que eu não tive a oportunidade de conhecer.