16
maio 2011

Diário de Viagem: El Calafate

Gente! Tinha esquecido de fazer o diário de viagem de El Calafate e Ushuaia. Como vocês sabem, passei 1 semana viajando pela Patagônia Argentina, mais exatamente por duas cidades novas pra mim: Ushuaia e El Calafate. Tive a oportunidade de fazer passeios muito bacanas, conhecer lugares lindos e ver paisagens que eu nunca imaginei que veria no nosso continente. O diário de hoje é sobre El Calafate… a primeira das duas que visitei.

A cidade de El Calafate é super micra e fica no meio do nada na Argentina, ou seja, praticamente uma cidade fantasma. Se não fosse sua Av. del Libertador, a principal (e quase única) da cidade, você diria que a cidade não tem nada (e não tem mesmo, mas nem por isso deixa de ser deliciosa!).

A principal atração da cidade é o Glaciar Perito Moreno, que depois dos polos, é o maior glaciar do mundo! Como se não bastasse ver um glaciar que quase parece infinito, você ainda tem a possibilidade de fazer um trekking nele. Eu fiz, e recomendo muito. Não é nada cansativo (fiz o mini trekking, ok!?), é viável para todas as idades (inclusive com crianças maiores de 12 anos e pessoas até 65) e é uma experiência indescritível. Você coloca os grampones nos pés e sai andando pelo gelo como se fosse a coisa mais natural do mundo. Muuuito bom!

Esse é um passeio de dia inteiro que você pode contratar na agência Hielo y Aventura na rua principal. Um ônibus te pega no hotel/albergue leva até o Glaciar, você faz o trekking, almoça e depois passeia pelas plataformas de observação do Glaciar. Onde você irá tirar fotos lindas! Ah! Não tem restaurante para almoçar, você deve levar sua comida. Os mercados vendem os itens para você fazer seu almoço, mas se preferir a maioria dos hotéis oferece o serviço de almoço pra você. Eles preparam sua marmitinha e você leva na hora de ir pro passeio.

TIP! Fiquei com muita dúvida da roupa que deveria usar para esse programa, mas não se preocupem com isso. O principal é: casaco impermeável e quentinho, óculos de sol, protetor solar e tênis (pode ser qualquer um esportivo ou aqueles para trekking mesmo, mas all star não vale!). Se você não tiver nada disso, ou não quiser levar para não ocupar espaço na mala, na Av. de Libertador tem algumas lojas que alugam essas roupas. Eu aluguei uma calça impermeável por $40 pesos. Achei um bom preço e ajudou a manter meu jeans sequinho. Lá você também pode alugar casacos, meias, tênis…

Um outro passeio que fiz foi o de 4×4 no Cerro Frias. Vou ser honesta, é um passeio super calmo, onde você vai passeando num jipe por um morro vendo animais da região, a vegetação, e o lago argentino (que é lindo de morrer!). É um passeio bonito, mas sem muita emoção. Se você está esperando uma aventura, esqueça esse e opte por outro.

Além desses, um outro passeio famoso é a visita a cidade de El Chaltén. Eu não fui porque não tinha tempo e porque achei que seria muito cansativo (fora que ficar fazendo mil caminhadas não é muito a minha praia). São mais ou menos 5 horas de estrada para ida e mais 5 para a volta. Achei que pra mim não valeria a pena. Mas quem foi amou. É um local ótimo para quem gosta de fazer trekkings e caminhadas pelas montanhas e florestas.

Comer é um prazer em qualquer lugar da Argentina né?! Lá não seria diferente, e não é mesmo. A comida típica da região são os cordeiros patagônicos assado no chão, isso mesmo, no chão (no post de Ushuaia eu coloco uma foto pra vocês!)! E são incríveis. Não experimentei muitos restaurantes até porque não fiquei muito tempo, mas os poucos lugares que fui estavam excelentes.

La Tablita: O melhor cordeiro patagônico da viagem. Preço super honesto (especialmente para nós brasileiros que temos a moeda valorizada) e qualidade sem fim. Liguem para fazer reserva por que o restaurante fica cheio!

Casimiro Biguá Internacional: Ambiente e atendimento excelente. Ótima carta de vinhos e uma comidinha diferente do que você vai poder experimentar durante a viagem. O cardápio foca no internacional mesmo. Os pratos são deliciosos. Acho que é o restaurante mais caro da cidade, mas não se assuste, não é nenhum absurdo.

Quem acha que vai se esbaldar de fazer compras por lá, pode ir desanimando. As únicas coisas que você encontra com preços que realmente valem a pena são as peças em lã de ovelha e os chocolates. Tem em toda a parte e realmente os preços são bons. Para as mocinhas, a tentação de comprar jóias em prata será enooorme, mas avaliem bem por que em todos os lugares que vi achei os preços meio caros se comparados com os preços daqui sabe?! Não achei que valiam a pena.

E pra finalizar o diário de viagem sobre El Calafate, apesar da cidade ser super pequena, eles oferecem alguns atrativos noturnos: um super cassino na avenida principal, alguns bares agitados e até um karaokê, que fica numa rua paralela. Claro que quem está procurando agito noturno foi parar no lugar errado, mas se você quer tomar uma cerveja típica ou conhecer gente, esses lugares são boas opções. Enjoy!

Para se hospedar dê uma olhada nas opções no entorno da Av. Libertador General San Martin, que é a principal. Eu fiquei no Patagonia Queen e gostei. É um hotel simples mas bastante confortável. Se quiserem ver mais opções, podem clicar aqui.

comissão booking hotel minicomissão real seguro minicomissão rentcars carro mini