21
set 2017

Yummy Tip: Nola

Inaugurou há 15 dias, na Dias Ferreira, rua cativa dos restaurantes badalados da Zona Sul, no lugar do antigo Brigitte, o restaurante Nola. São os mesmo donos do Brigite mas com uma proposta bem diferente. Um cardápio mais fresco e natural, preços mais acessíveis e um restaurante com mais rotatividade, gente e mesas. Fui em uma 5a a noite e agradeci a mim mesma por ter feito reserva. O restaurante lotou super rápido e quando eu menos esperava já tinha uma filona na porta aguardando uma mesa para sentar. Éramos 4 pessoas, então tivemos a oportunidade de pedir várias entradinhas para provar: cocotte de cogumelos com ovo mollet, crostini de atum, dadinhos de tapioca e tartar de atum.

Todo mundo adorou as entradas, mas a pedida que fez mais sucesso foram os crostinis de atum. Para o prato principal não fomos muito criativos e a grande pedida foi o St. Peter em crosta de castanha com caponata de legumes e purê de banana. Eu, diferentona que sou, pedi um milanesa de mignon com purê de baroa trufado, que estava dos deuses. Amei muito!

O peixe também foi muitíssimo elogiado. Todo mundo amou. Pra sobremesa, não resistimos ao suflê de creme de avelã, que era de comer rezando, bom demais. Ficamos na dúvida se pedíamos isso ou alguma das gostosuras da Raph´s Patisserie que são servidas por lá.

Fazendo um rápido comparativo com o Brigitte: o ambiente segue o mesmo porém com muito mais mesas (ficou até um pouco entulhado demais!), a comida segue saborosa, porém com um toque mais natural, a frequência ficou bem mais jovem que, na minha opinião, é um resultado do novo cardápio com o preços mais baixos.

No geral achei que o restaurante tá muito gostoso e vale muito a ida até lá. Bom preço, bem mais justo do que na versão anterior. Testado e aprovado!

Nola
Rua Dias Ferreira 247 – Leblon.
Tel.: (21) 2274-5590
http://www.restaurantenola.com.br/ (ainda fora do ar!)

drenagem linfática na gravidez coisas que amamos vanessa metzQuem acompanhou a minha gravidez, notou que durante toda a segunda metade da gestação eu fazia, religiosamente, toda semana pelo menos uma sessão de drenagem linfática. Eu comecei a inchar muito a partir da 20ª semana e a drenagem foi, sem dúvidas, uma salvação pra mim.

Fiz as minhas sessões de drenagem com Gabi, fisioterapeuta que trabalha no consultório da Dra. Vanessa Metz. Ela me acompanhou antes do meu casamento, durante todos esses anos e agora, claro, não poderia ser diferente. Ela realizou todas as sessões de drenagem em mim durante a gravidez, e segue fazendo agora que a Victoria já nasceu.

Conversei com a Dra. Vanessa e pedi para ela explicar um pouco mais sobre a drenagem e a importância dela na gravidez.

“No organismo da grávida há um grande aumento da circulação sanguínea para dar a oxigenação necessária para a placenta e para o bebê. Por isso, é natural que as grávidas fiquem mais inchadas. Além da circulação feita pelas artérias e veias, há também o sistema linfático. Esse sistema ajuda a tirar o excesso de impurezas do organismo. Quando a volemia aumenta, aumenta também o extravazamento da água dos vasos e veias e o sistema linfático capta essa água para liberar na urina”, explicou.

Minhas maior queixa era o inchaço nas pernas e pés, e a Dra. Vanessa explicou que isso é super comum e que essas são as regiões que costumam ficar mais inchadas mesmo. Que a drenagem só não pode ser realizada na região abdominal, exatamente porque essa parte precisa de mais liquido para dar oxigenação ao bebê.

Vale lembrar que esse procedimento tem que ser feito por uma pessoa especializada e que tenha orientação para drenar gestantes.

Eu, que antes de engravidar, achava essa coisa de drenagem a maior bobeira, paguei a língua e fiquei viciada. Não só pelos benefícios imediatos como alivio do inchaço e até da dor, mas também pelos benefícios estéticos. Afinal, a drenagem faz você liberar os líquidos e com isso você dá uma reduzida no tamanho né?!

Ok, vou começar dizendo que talvez (quase com certeza) eu tenha exagerado um pouco na quantidade de coisas que levei. Mas como contei no video sobre a minha mala da maternidade, prefiro prevenir do que remediar, então preferi levar coisas a mais do que sentir falta de algum desses itens por lá e ter que pedir para alguém comprar ou pegar na minha casa.

Sou virginiana e hiper organizada, então sempre prefiro fazer as coisas do meu jeito, com antecedência, super organizadinha… Por isso a malinha ficou tão grande. Assim como a minha mala, optei por levar peças extras, roupinhas a mais e uma variedade de roupas que pudesse ser mais confortável pra ela. Fiquei com medo de colocar roupa demais e ela sentir calor ou roupa de menos e ela ficar com frio, então levei tudo pras duas ocasiões.

E ai? Exagerei muito? O que acharam? Vou colocar pra vocês aqui de onde são as saidinhas de maternidade e algumas outras peças que estão na malinha.

Dia 1: Look azul Lilibee + sapatinho que era meu + touca Carters + luva Upiá
Dia 2: Macacão rosa Lilibee + Body Upiá + touca Carters + meia Trumpettes + luva sem marca
Dia 3: Saída vermelha Lá em Casa tem Bebê + Body e calça Upiá
Extra: Look lilás Lilibee.

Além disso, levei 3 pijaminhas de plush da Carters e outros 3 macacões de algodão também da Carters para garantir. Nunca se sabe quando um recém nascido vai ter um acidente né? As mantinhas são da Pottery Barn (rosa), Lilibee (azul) e sem marca (branca).

Ah! Os saquinhos dos kits também são da Lá em Casa tem Bebê, e são a coisa mais linda desse mundo. Tinha visto vários modelinhos, mas esse foi disparado o mais lindo que eu vi. Fiquei realmente apaixonada por ele.

Os itens personalizados como as necessaires, saquinho e o trocador são da BowBox e o colchonete com o nome dela comprei na Touché Bebê.

Acho que os outros detalhes vocês conseguem ver no video né?! Espero que tenham gostado e espero que ajude vocês a organizar a mala de maternidade do baby de vocês.

Não esqueçam de curtir o video e de se inscrever no canal. Quem tá inscrito assiste sempre primeiro e tem acesso a conteúdo exclusivo. Ah! Cliquem no sininho para serem avisados sempre que tiver conteúdo novo por aqui.

comparativo vic ceridono mac russian red cruella ruby woo Há pouco mais de três semanas foi finalmente lançado o tão esperado batom da blogger e ex-editora de beleza de Vogue, Vic Ceridono para MAC. O vermelhão que, diga-se de passagem, é a cara dela, esgotou tão logo chegou nas lojas e no e-commerce da marca. Com a ajuda da minha cunhada (Thanks Dani!) consegui garantir o meu.

Com ele em mãos foi fácil compará-lo com alguns outros batons da marca, como os best sellers Ruby Woo e Russian Red. Além de alguns outros que tinha em casa também. Vamos ver o resultado?!

comparativo vic ceridono mac russian red cruella ruby woo comparativo vic ceridono mac russian red cruella ruby woo Coloquei o batom da Vic lado a lado com alguns outros vermelhos que são similares. Além do Ruby Woo e Russian Red, comparei também com o Cruella da Nars, o Lady Red da coleção da Charlotte Olympia para MAC, o Retro Matte (líquido) Dance with Me e o Wild Berry da Contem 1g.

Das comparações que eu fiz, achei que ele se parece muito com o Lady Red, da Charlotte Olympia e com o Cruella da Nars. Ou seja, se você já tem um desses dois, talvez não precise desse da Vic Ceridono. Agora, diferente do que andei lendo, não achei ele tão parecido com o Ruby Woo ou com o Russian Red.

Boas comparações né? No final das contas, vale a pena para a gente ver que por mais que ele seja “mais um batom vermelho” é um pouco diferente dos vermelhos mais vendidos da MAC e também do vermelhão da Nars. Ele tem um tom mais escuro e fechado, lindo de morrer.comparativo vic ceridono mac russian red cruella ruby woo (Aqui entre o Ruby Woo e o Russian Red, na luz artificial!)

Hoje, as interessadas em adquirir o batom devem procurar no grupo do Facebook (Vic Ceridono x MAC) onde é possível encontrar meninas que estão vendendo e outras que conseguem comprar nas poucas lojas que ainda tem alguns exemplares e podem enviar pelos Correios para as interessadas. O mesmo funciona para quem está fora do Brasil e tem interesse em adquirir o batom.

COMPRE AQUI: Ruby Woo, Russian Red, Dance with me e Cruella.